terça-feira, 30 de junho de 2009

PARABÉNS MILITARES SERGIPANOS PELA VITÓRIA ALCANÇADA E PELA UNIÃO DE TODOS EM PROL DOS SEUS DIREITOS E DOS SEUS OBJETIVOS.

Ouse sonhar
Pois os sonhadores vêem o amanhã.
Ouse fazer um desejo,
Pois, desejar abre caminhos para a esperança.
E, é ela que nos matém vivo.
Ouse buscar as coisas,
Que ninguém jamais pode ver.
Não tenha medo de ver,
O que os outros não podem.
Acredite em seu coração,
E, na na sua própria bondade;
Pois ao fazê-lo,
Outros acreditaram nisso também.
Acredite na magia,
Pois a vida é cheia delas.
Mas, acima de tudo,
Acredite em si mesmo...
...Porque,
É dentro de você que existe toda magia...
...Da Esperança...
...Do Amor...
...E, dos Sonhos de Amanhã!!!
Vocês jamais serão esquecidos pelas suas lutas militares sergipanos,
Pois vocês fizeram história na Corporação!!!
PARABÉNS A TODOS.

Uma homenagem do Dr. Márlio Damasceno advogado da ABSMSE a todos os militares sergipanos e aos bravos representantes das Associações Unidas e em especial ao Sgt. Vieira e Cb. Palmeira, gestores da ABSMSE.

MILITARES APROVAM REAJUSTE DADO POR DÉDA.

Policiais aprovam aumento e cantam hino da corporação

Em uma assembléia lotada como de costume, os policiais militares aprovaram no final da tarde desta terça-feira, 30, a proposta de reajuste de 24% em maio, sendo quase 80% escalonado até dezembro de 2010, anunciada pelo governador Marcelo Déda. Quem pensou que seria um encontro tranqüilo, se enganou. As vaias soaram forte na quadra do Colégio Militar, quando um membro da corporação usou o microfone para dizer ser contrário ao aumento. Após a votação, os policiais demonstraram emoção ao cantar o Hino da Polícia Militar, seguido de muitos aplausos.

Para o representante das Associações Unidas, capitão Samuel Barreto, o aumento não foi o que reivindicaram, mas contemplará a classe. “Não foi o que nós reivindicamos, mas diante de toda a nossa labuta foi o que conseguimos e o que a categoria aprovou. Eu sou o líder dos militares e como líder tenho que segui-los”, destaca.

Capitão Samuel esclarece dúvidas da nova tabela salarial

Na assembléia, capitão Samuel Barreto convocou a categoria para estar na Assembléia Legislativa, no dia em que o projeto será votado. “Queremos todos lá, usando o colete vermelhinho, símbolo da nossa luta, do nosso esforço”, conclama enfatizando que hoje a folha de pagamento da Polícia Militar de Sergipe é a segunda maior, ficando atrás apenas da Educação e ultrapassando a Saúde.
Fonte: Infonet

GOVERNADOR ANUNCIA REAJUSTE SALARIAL DE PMs.

Assista a reportagem exibida no telejornal SE Notícias 2ª edição da TV Sergipe, onde o Governador do Estado apresententa o novo reajuste para os militares sergipanos, que será analisado e aprovado ou não pela classe no dia de hoje, através de uma Assembléia Geral das Associações Unidas.

Clique no link abaixo e confira:
http://emsergipe.globo.com/multimidia/?id=29580

MAIS MIL HOMENS.

O governador disse que se a situação financeira melhorar ele deseja realizar concurso público para 500 homens na PM e 500 na polícia civil. Para a PM, o governador deveria retornar aos quadros algumas centenas de policiais militares cedidos a vários poderes e órgãos. Até o Banese tem policiais militares quando deveria ter a sua própria segurança.

Fonte: Infonet - blog do jornalista Cláudio Nunes.

POLICIAIS MILITARES TERÃO REAJUSTE DE ATÉ 84%.

Os policiais militares e agentes do Corpo de Bombeiros terão reajustes variáveis entre 39% e 84%. Os percentuais não contemplam os triênios e serão concedidos gradativamente entre maio de 2009 e dezembro de 2010. O reajuste vai gerar um impacto na folha de 96,8%. Em termos reais, a folha de abril será de R$ 22,192 milhões, em maio sobe para pouco mais de R$ 27 milhões e em dezembro de 2010, chega a R$ 43,668 milhões.

Com os novos valores, segundo o governador Marcelo Déda (PT), os militares de Sergipe passam a ser os mais bem remunerados do Nordeste e um dos melhores do país. “Não tenho dados, mas tenho essa convicção”, afirmou, ressaltando que a decisão coloca o Estado muito próximo do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Eu reduzi significativamente a minha margem de segurança em relação à LRF. Não recomendo a ninguém trabalhar assim”, observou Déda, em entrevista coletiva à imprensa, no Palácio de Veraneio no final da tarde de ontem.

Pela nova tabela, o reajuste médio em maio deste ano será de 24%. O percentual já será pago este mês, com as respectivas diferenças relativas aos meses de maio e junho. Em outubro, militares e bombeiros terão mais 3% de reajuste e em março de 2010, outros 5%. Nos meses de maio, julho, setembro e novembro, terão mais 8% incorporados aos seus vencimentos. O escalonamento se encerra em dezembro quando serão concedidos 10%. “No final estará assegurado um reajuste médio de 80% para os praças e oficiais, e de 40% para os oficiais superiores sem considerar os triênios”, disse Déda.

Com os triênios, destacou o governador, o acréscimo médio passa para 92%, com variação entre 64% para oficiais superiores e de até 110% paras as demais graduações. Ele destacou o esforço para chegar aos números apresentados e apelou para que a tropa esteja unida, respeitando a hierarquia e a sociedade, trabalhando para combater o crime. “É hora de recuperarmos a honra e o prestígio desta instituição secular no Estado de Sergipe”, ressaltou Déda.

O projeto de reajuste será encaminhado na próxima semana à Assembleia Legislativa para aprovação e posterior sanção. Para analisar a matéria, os deputados estaduais terão suas férias interrompidas, mas sem custos para o Executivo. É que antes do recesso ficou acertado que o presidente da AL, Ulices Andrade (PDT), autoconvocaria o Parlamento. A expectativa de Déda é de que até o dia 15 próximo a proposta esteja aprovada.

Reestruturação

Durante a coletiva, Déda aproveitou para anunciar que a partir do próximo mês de agosto vai começar a ordenar a estrutura da Polícia Militar sergipana. Ele adiantou que não vai mais querer usar o regulamento do Exército Brasileiro, mas elaborar um Código de Ética e Disciplina que garanta um patamar de respeito à hierarquia e à sociedade. “Vamos trabalhar para que, ainda este ano, tenhamos a PM reformada do ponto de vista legal e constitucional”, afirmou o governador.

Fonte: Jornal da Cidade.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

CONFIRA A TABELA SALARIAL APRESENTADA PELO GOVERNO DO ESTADO.

Valores que os militares receberão até o final de 2010, sem os triênios, segundo proposta apresentada pelo Governo:

Coronel – R$ 9.539,71 (soldo) mais periculosidiade: R$ 12.401,62

Ten. Coronel – R$ 8.295,40 (soldo) mais periculosidade: R$ 10.784,02

Major – R$ 7.604,12 (soldo) mais periculosidade: R$ 9.885,35

Capitão – R$ 6.615,15 (soldo) mais periculosidade: R$ 8.599,70

1º Tenente – R$ 5.512,63 (soldo) mais periculosidade: R$ 7.166,41

2º Tenente – R$ 4.410,10 (soldo) mais periculosidade: R$ 5.733,13

Aspirante – R$ 4.240,48 (soldo) mais periculosidade: R$ 5.512,63

Subtenente – R$ 3.687,37 (soldo) mais periculosidade: R$ 4.793,59

1º Sargento – R$ 3.511,79 (soldo) mais periculosidade: R$ 4.566,32

2º Sargento – R$ 3.080,51 (soldo) mais periculosidade: R$ 4.004,67

3º Sargento – R$ 2.702,21 (soldo) mais periculosidade: R$ 3.512,87

Cabo – R$ 2.456,55 (soldo) mais periculosidade: R$ 3.193,52

Soldado do de 1ª Classe: R$ 2.317,50 (soldo) mais periculosidade: R$ 3.012,75

Soldado engajado – R$ 2.250,00 (soldo) mais periculosidade: R$ 2.925,00

Soldado não engajado – R$ 1.875,00 (soldo) mais periculosidade: R$ 2.437,50

ATENÇÃO! ASSEMBLÉIA EXTRAORDINÁRIA AMANHÃ DIA 30 DE JUNHO

Devido ao anuncio do Governo referente a proposta salarial antecipamos a Assembléia Geral do dia 1º de julho para amanhã dia 30 de junho. Atenção a Assembléia será às 15:00 horas, no Colégio Militar situado na Rua Boquim, em frente a ABSMSE (Caixa Beneficente). Mais uma vez a presença de todos é fundamental, face ao momento decisivo que passamos para a aprovação ou não da proposta do Governo. Lembrem-se, a nossa união é o motivo do sucesso do nosso movimento (Associações Unidas).

DÉDA CONCEDE AUMENTO DE 24% AOS POLICIAIS.

Esse percentual será apenas a 1ª parcela. O reajuste será escalonado até dezembro de 2010

Déda anuncia aumento no Palácio de Veraneio

“O diálogo fluiu. Quando se trouxe o feito à ordem, o processo chegou a uma solução”. Foi o que afirmou o governador Marcelo Déda (PT), ao anunciar no início da noite desta segunda-feira, 29, o reajuste médio de 24% em maio de 2009 e de quase 80% escalonado. As Associações Unidas dos Oficiais Militares só comentará o reajuste na tarde de terça, 30, após assembléia com toda a categoria.

Com o novo aumento para policiais militares e bombeiros, um coronel que recebe R$ 9.539, 71 passará a ganhar R$ 12.401.62 em dezembro de 2010. Um tenente coronel ganhará em dezembro de 2010, R$ 10.784,02; Um major, R$ 9.885,35, um capitão, R$ 8.599.70, 1º tenente, R$ 7.166, 41, 2º tenente, R$ 5.733. Um aspirante, R$ 5.512, um subtenente, R$ 4.793, 1º sargento, R$ 4.565, 2º, R$ 4.004 e 3º sargento, R$ 3.512, 87. Um cabo rceberá R$ 3.193, 52 e soldado 1ª classe, R$ 3.012, 75. soldado engajado, R$ 2.925 e não engajado, R$ 2.437.

A nova proposta de reajuste dos militares será encaminhada ainda esta semana para a Assembléia Legislativa e os deputados deverão estar votando, sem custo extra, como fez questão de ressaltar o governador, provavelmente a partir de 15 de julho. “O reajuste será aplicado aos salários de Abril. Em julho, os militares receberão o reajuste de julho, mais a diferença de maio e junho”, explica.

Serão incorporadas ao soldo a Gratificação de Compensação por Serviço Externo (Gracoex) e a Gratificação de Atividade Militar (Gam). Os militares da reserva que não recebiam a Gracoex, passarão a receber os respectivos valores, tendo sido reestruturados os escalonamentos verticais. “Eu não tenho dúvidas de que é o melhor reajuste do Nordeste, sendo a primeira parcela de 24% agora e o restante, escalonado”, acredita Marcelo Déda.
Na ocasião, o governador destacou que no final, estará assegurado um acréscimo médio de 80% para os praças e oficiais intermediários e de 40% para os oficiais superiores, sem considerar os triênios. Com os triênios, o acréscimo médio passa para 92%, com variação entre 64% (oficiais superiores) até 110% nas demais graduações. “A folha de abril de 2009 foi de R$ 22.192.253 e a folha de dezembro de 2010, será de R$ 43.668.748, em um acréscimo R$ 21.476.494”, ressalta acrescentando que a folha vai praticamente duplicar.

Deda: "É o melhor reajuste do Nordeste"

Reuniões

O governador disse ter passado toda a manhã desta segunda-feira, 29 reunido em sua residência com o secretário da Fazenda, João Andrade, para discutir a nova proposta de reajuste. “Trouxemos a nova tabela para mais uma reunião agora à tarde, desta vez com o comandante da PM, coronel Pedroso, com o secretário João Eloy e os secretários de Administração, Jorge Alberto e da Fazenda, João Andrade. Não impus nenhuma restrição ao coronel Pedroso, que reuniu a sua tropa com muita lealdade e segurança na tarefa do diálogo. Foi um processo de diálogo construído ao longo de 30 dias sempre levando em conta as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e finalizado hoje”, enfatiza Déda.

Compromissos

Durante a coletiva, Déda disse ainda que “como governador, não posso permitir que o estado assuma compromisso que fique impossibilitado de cumprir ou seja obrigado a fazer demissões porque não cumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal. No Brasil moderno, quem quiser servir aos servidores tem que ter a régua e compasso da LRF”, afirma.
Marcelo Déda cobrou ao final da coletiva, uma nova Polícia Militar. “Esperamos uma Polícia Militar mais eficiente, disciplinada com hierarquia para recuperar o seu prestígio junto a população. Essa é a contrapartida que o Governo tem de cobrar”, entende.

Anúncios

Déda anunciou também que em agosto estará deflagrando o processo de discussão em torno da Lei de Organização Básica da Polícia Militar de Sergipe. “Ela fixa o efetivo, organiza, ou seja, vamos ter como saber por exemplo, quantos coronéis existem na corporação”, garante.

“Vamos editar o Código de Ética e Disciplinar da PM. Não vamos mais usar o regulamento do Exército. Isso num patamar de respeito à sociedade”.

Comando

Para o comandante da Polícia Militar de Sergipe, coronel José Carlos Pedroso, o reajuste “atende aos anseios da corporação e os limites do Governo, quanto à Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Fonte: Infonet

DÉDA ANUNCIA AUMENTO DE MILITARES QUE VAI DE 24% AGORA A MAIS DE 80% EM 2010.

O governador Marcelo Déda (PT) anunciou, na tarde desta terça-feira, um aumento de 24% retroativo a maio e apresentou o escalonamento de aumento até dezembro de 2010, dentro de uma ordem que não atinja a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Segundo o governador já em outubro será concedido 3%, em março de 2010 mais 5%, em maio de 2010 mais 8%, em julho de 2010 mais 8%, em setembro mais 8%, em novembro mais 8% e fecha o ano com 10% em dezembro.

No final de 2010 os militares terão um aumento de 74% além da incorporação das gratificações da Gracoex e da atividade militar, o que atingirá mais de 100% escalonado em l8 meses. Segundo o governador estará assegurado um acréscimo médio de 80% para praças e oficiais intermediários e de 40% para nível superior, que levando em consideração os triênios, terão aumento de 92%.

Marcelo Déda elogiou o trabalho realizado pelo deputado federal Jackson Barreto e senador Valadares, aos secretários Jorge Alberto (Administração) e João Andrade (Fazenda). Além de destacar a atuação do líder do Governo, deputado Francisco Gualberto (PT), para que houvesse êxito nas negociações.

As associações militares já estão se mobilizando, tanto que anteciparam para esta terça-feira (30) uma reunião para apresentar os percentuais oferecidos pelo governador Marcelo Déda.
O presidente da Assembléia Legislativa, Ulices Andrade (PDT), anunciou a convocação extraordinária para a próxima semana, sem nenhum pagamento aos parlamentares.

Fonte: Fax Aju.

DÉDA CONCEDE AOS MILITARES UM REAJUSTE DE 90% ESCALONADO ATÉ 2010.

Governo dará agora 23,9% retroativos. Aumento está dentro do limite da LRF

O governador Marcelo Déda (PT) reuniu a imprensa, na tarde de hoje, segunda-feira, dia 29, no Palácio de Veraneio, e anunciou que está oferecendo aos policiais militares e aos bombeiros um reajuste retroativo médio de 90% escalonado até o final do ano de 2010. Os militares terão, neste momento, não mais um aumento de 10%, como o Estado havia anunciado, e chegou a enviar o Projeto de Lei à Assembleia Legislativa, mas de 23,9%.

No mês de outubro deste ano, o governo reajustará os vencimentos em mais 3%. Em março e abril de 2010, haverá aumentos de até 5%. E nos demais meses do ano reajustes de 8%, exceto em dezembro de 2010, quando os policiais e bombeiros receberão os últimos 10%, para completar os 90%.

"Estamos fazendo um esforço muito grande dado o momento econômico. E este aumento mostra que nem o governo quer humilhar a Polícia Militar, e nem pode aceitar que a hierarquia seja quebrada. Quando organizou e trouxeram foi resolvido em três semanas", disse o governador.

Segundo Déda, antes mesmo de começarem as negociações disse à sua equipe de governo (os secretários de Administração, Jorge Alberto, e o da Fazenda, João Andrade) e aos mediadores dos militares - o secretário de Estado de Segurança Pública, João Eloy, e o comandante da PM, o coronel Pedroso - que Sergipe conquistou com muito sacrifício a regularidade fiscal, e não poderia colocar em xeque o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

"Disse que não poderíamos jogar este esforço fora", lembrou o governador, que salientou o empenho dos deputados estaduais que formaram uma comissão para discutir o assunto, do deputado federal Jackson Barreto (PMDB) e do senador Antonio Carlos Valadares (PSB). "Que quando foi governador sempre deu muita atenção à Polícia Militar", comentou Déda.

"Construímos uma solução que pode não ser a melhor, mas é a ideal neste momento. Espero da tropa que este esforço e a confiança do governo e da sociedade sejam refletidos no trabalho da PM. Será uma das polícias melhores remuneradas do Brasil", comentou o governador, assegurando que a sociedade quer pagar bem aos militares e bombeiros, mas exige segurança.

Por volta das 15 horas de amanhã, a Associação Unidas dos Policiais Militares estará realizando uma assembleia com os policiais militares e os bombeiros para avaliar o aumento.

Fonte: Universo Político

DÉDA CONCEDE REAJUSTE ESCALONADO.

O governador de Sergipe, Marcelo Deda (PT) anunciou no final da tarde desta segunda-feira (29) o reajuste salarial dos policiais militares e agentes do Corpo de Bombeiros. Os índices variam de 39% a 84% - sem levar em conta os triênios - e serão repassados entre maio deste ano e dezembro do ano que vem.

O reajuste - já acatado pela categoria que se reúne amanhã em assembléia - de acordo com o governador vai gerar um impacto na folha de 96,8%. Em termos reais, a folha de abril será de R$ 22,192 milhões, em maio sobe para pouco mais de R$ 27 milhões e em dezembro de 2010, chega a R$ 43,668 milhões.

"Eu reduzi significativamente a minha margem de segurança em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Não recomendo a ninguém trabalhar assim", afirmou o governador, em entrevista coletiva à imprensa, no Palácio de Veraneio.

Fonte: Atalaia Agora

AVISO AOS ASSOCIADOS DA ABSMSE.

Em virtude da Assembléia Geral marcada para amanhã, dia 30, às 15:00 horas, a ABSMSE avisa a todos os associados que não haverá atendimento jurídico, com o objetivo de que todos os militares possam participar da assembléia, que é de extrema importância pois será apresentada proposta feita pelo Governo do Estado para que a categoria aprove ou não a mesma. Na quarta-feira, o atendimento jurídico voltará ao normal. A ABSMSE agradece a todos pela compreensão.

PROPOSTA DE PM's SERÁ APRESENTADA AO GOVERNADOR.

O clima entre os policiais militares é de otimismo. A categoria aguarda com ansiedade a aprovação de um novo reajuste salarial por parte do governador Marcelo Déda. Nesta segunda-feira(29), Déda recebe as propostas de reajuste, escalonamento e promoções elaboradas pela comissão liderada pelo comandante geral Coronel Pedroso.

"Nós já fechamos alguns números, formas de escalonamento e alguns detalhes. Mas, vamos terminar a proposta para que o governador avalie e aprove", disse Pedroso.

Mesmo sem divulgar valores, o comandante da PM adiantou que a carga horária pode ser discutida apenas em 2010, mas ainda depende de um entendimento com o governador. Ele explicou que sobre a exigência de nível superior para o início da carreira militar, não haverá mudança que atinja os que forem aprovados no próximo concurso público a ser promovido pelo governo.

O coronel Pedroso ainda colocou que não há ilegalidade sobre o trabalho desenvolvido por policiais militares nas delegacias. "O trabalho continuará sendo feito em parceria com a polícia civil", disse.

De acordo com os representantes das Associações Unidas as negociações estão caminhando para um entendimento e o aumento diferenciado deve ser dado de forma parcelada. "O que está faltando é utilizar os números de acordo com a margem diferencial, de acordo com os valores apresentados pelas Associações. Estes números estão ainda sendo colocados e esses números devam ser anunciados ainda estav semana", informou Samuel Barreto, presidente das Associações Unidas da Polícia Militar.

Assim que a proposta for aprovada pelo governador Marcelo Déda, o projeto de lei será encaminhado para tramitação na Assembléia Legislativa, que entrou em recesso de férias, mas pode ser convocada extraordinariamente para voltar o projeto de reajuste dos militares.

Fonte: Atalaia Agora.

domingo, 28 de junho de 2009

EXPECTATIVA.

É grande a expectativa da PM sobre a proposta do governo que deve ser anunciada até terça-feira. Muitas são as especulações, mas se sabe que existe uma proposta concreta até o próximo ano. Tem gente torcendo que o governo envie a proposta com reajuste até 2011. Ou seja, em outro governo, aí ficará difícil. Na quarta-feira os policiais militares realizarão outra assembléia.

Fonte: Infonet - blog do jornalista Cláudio Nunes.

sábado, 27 de junho de 2009

PM PROPÕE INCORPORAÇÃO DE GRATIFICAÇÕES AO SOLDO.

O Comando da Polícia Militar está propondo a incorporação de gratificações salariais aos soldos (salários-base) dos praças e oficiais da corporação, como forma de melhorar os valores pagos à categoria. A informação foi admitida ontem pelo comandante da PM, coronel José Carlos Pedroso, que se reuniu ontem à tarde com o secretário estadual da Fazenda, João Andrade. O encontro no gabinete da Sefaz durou quase três horas e gerou expectativas nos policiais militares que compareceram a uma assembléia convocada para a quadra do Colégio Militar, no centro da cidade.

A informação sobre a reunião entre Andrade e Pedroso provocou a suspensão da assembléia por tempo indeterminado, mas circulara a informação de que o comandante estaria conversando com o governador Marcelo Déda sobre o assunto e que a questão do reajuste poderia ser decidida. Os militares tinham decidido ficar na quadra até que os líderes recebessem um telefonema com o resultado da reunião.

No entanto, o coronel negou ao JORNAL DO DIA que tenha sido chamado por Déda e que o encontro foi apenas com o secretário João Andrade. “A proposta ainda está sendo formulada. Nós estivemos fechando números, formas de escalonamento e alguns detalhes. Essa proposta ainda deve ser encaminhada ao governador para que ele decida”, disse Pedroso, sem querer adiantar que números e que tipo de reajuste deve ser proposto pelo comando. “Isso quem deve anunciar é o governador”, corta.

A resposta fez com que os militares marcassem uma nova assembléia para o próximo dia 1º de julho, às 15h, na mesma quadra do Colégio Militar, “em virtude de até o término da Assembléia Geral realizada no dia de hoje (ontem), não ter sido encaminhada a proposta por parte do Governo para ser apreciada por todos os militares”, como informa uma nota publicada à noite no blog da Associação Beneficente dos Servidores Millitares (ABSMSE).

O comandante reiterou que a proposta de isonomia salarial dos policiais militares com os agentes e escrivães da Polícia Civil – que alguns militares consideram como item inegociável – está fora da proposta. No entanto, será proposta a incorporação de algumas gratificações recebidas pelos policiais ao soldo pago atualmente aos militares. “É claro que isso vai passar pela incorporação de gratificações. Esse é um dos itens do reajuste”, confirmou Pedroso, que também não quis dizer quais delas seriam incorporadas. “Eu vou ter que falar em valores e, se eu fizer isso, vou acabar divulgando a proposta e isso pode criar problemas”, esquiva-se ele.

Ainda de acordo com o comandante, outra reunião deverá ser feita na semana que vem, caso o governador convoque-o ao seu gabinete para saber da proposta. Ele acredita também que João Andrade ou outros secretários também devam ser chamados para tratar do assunto. A expectativa é de que a proposta salarial do comando da PM deva ser aprovada por Déda e, depois, encaminhada para tramitação na Assembléia Legislativa – esta entrou em recesso de férias, mas pode ser convocada extraordinariamente para votar o projeto de reajuste dos militares.

Fonte: Jornal do Dia.

GOVERNADOR RECEBE PROPOSTAS DE PM's NA SEGUNDA-FEIRA (29).

O clima entre os policiais militares é de otimismo. A categoria aguarda com ansiedade a aprovação de um novo reajuste salarial por parte do governador Marcelo Déda. Na próxima segunda-feira(20), Déda recebe as propostas de reajuste, escalonamento e promoções elaboradas pela comissão liderada pelo comandante geral Coronel Pedroso.

"Nós já fechamos alguns números, formas de escalonamento e alguns detalhes. Mas, vamos terminar a proposta para que o governador avalie e aprove", disse Pedroso.

Mesmo sem divulgar valores, o comandante da PM adiantou que a carga horária pode ser discutida apenas em 2010, mas ainda depende de um entendimento com o governador. Ele explicou que sobre a exigência de nível superior para o início da carreira militar, não haverá mudança que atinja os que forem aprovados no próximo concurso público a ser promovido pelo governo.

O coronel Pedroso ainda colocou que não há ilegalidade sobre o trabalho desenvolvido por policiais militares nas delegacias. "O trabalho continuará sendo feito em parceria com a polícia civil", disse.

De acordo com os representantes das Associações Unidas as negociações estão caminhando para um entendimento e o aumento diferenciado deve ser dado de forma parcelada. "O que está faltando é utilizar os números de acordo com a margem diferencial, de acordo com os valores apresentados pelas Associações. Estes números estão ainda sendo colocados e esses números devam ser anunciados ainda estav semana", informou Samuel Barreto, presidente das Associações Unidas da Polícia Militar.

Assim que a proposta for aprovada pelo governador Marcelo Déda, o projeto de lei será encaminhado para tramitação na Assembléia Legislativa, que entrou em recesso de férias, mas pode ser convocada extraordinariamente para voltar o projeto de reajuste dos militares.

Fonte: Atalaia Agora.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

JÁ ESTÁ CONVOCADA NOSSA ASSEMBLÉIA GERAL PARA O PRÓXIMO DIA 1º DE JULHO.

Em virtude de até o término da Assembléia Geral realizada no dia de hoje, não ter sido encaminhada a proposta por parte do Governo para ser apreciada por todos os militares, as Associações Unidas desde já convocam novamente a classe para comparecer a nova Assembléia Geral que será realizada na próxima quarta-feira, dia 1º de julho, às 15:00 horas, no Colégio Militar situado na Rua Boquim, em frente a ABSMSE (Caixa Beneficente). Mais uma vez a presença de todos é fundamental, face ao momento decisivo que passamos para a aprovação ou não da proposta do Governo. Lembrem-se, a nossa união é o motivo do sucesso do nosso movimento.

MILITARES CONTINUAM AGUARDANDO PROPOSTA DO GOVERNO.

Categoria está reunida na quadra do Colégio Militar desde às 15h desta sexta, 26, mas até agora o comando da PM não entregou a proposta de aumento salarial

Quadra está lotada de PMs e BMs

Policiais militares continuam aguardando a proposta do Governo do Estado quanto ao aumento salarial da categoria. Eles estão reunidos desde às 15h desta sexta-feira, 26 na quadra do Colégio Militar e prometem permanecer no local até que saia uma decisão.

De acordo com o representante das Associações Unidas, sargento Jorge Vieira, o comandante da Polícia Militar de Sergipe, coronel José Carlos Pedroso ainda não foi entregar a proposta para que possa ser avaliada pela categoria.

“O comandante está reunido desde às 15h com o secretário da Fazenda, João Andrade, acredito que tentando fechar a proposta, mas até agora não chegou nada às nossas mãos. Também iniciamos a assembléia às 15h e só vamos sair daqui com a proposta salarial”, promete sargento Vieira.
Vejam mais fotos da Assembléia Geral de hoje abaixo:

Sgt. Vieira e Cb. Palmeira, gestores da ABSMSE


Os militares lotam a quadra do Colégio Militar para a Assembléia Geral, como sempre tem ocorrido, mostrando a união da classe

GOVERNADOR JAQUES WAGNER INCENTIVA A PMBA A FAZER GREVE.

O Governador Jaques Wagner está definitivamente empurrando a Polícia Militar para uma nova greve, pois vem atacando a PM da Bahia de todas as formas, agora humilha a todos os Oficiais e Praças, ao conceder aumento de 54% a Policia Civil. Não que os companheiros Investigadores e Peritos Técnicos não mereçam o aumento referido, pelo contrário, são merecedores dos 100% reclamados, o que não pode é tratar duas Instituições que prestam segurança ao povo baiano, com dois pesos e duas medidas. Está na hora de Oficiais e Praças da Polícia Militar se unir, pois este Governo demonstrou que só dá ouvidos aos que lutam pelos seus direitos. Em 1981 foram os Oficiais, em 2001 foram as Praças que empreenderam a luta, agora está na hora de toda a PM se unir e resgatar a sua dignidade. Basta de revanchismo Petista, não podemos permitir que um partido político destrua uma Instituição de mais de 183 anos de existência. Exigimos deste Governo o respeito à Constituição Estadual, que determina isonomia entre as Instituições de Segurança “Art. 47 - Lei disporá sobre a isonomia entre as carreiras de policiais civis e militares, fixando os vencimentos de forma escalonada entre os níveis e classes, para os civis, e correspondentes postos e graduações, para os militares”. Se o Governador rasga a Constituição Estadual, que jurou obedecer ao tomar posse está autorizando a todos nós Policiais Militares a descumprirmos a vedação Constitucional à GREVE. Pois como já dizia o saudoso Jurista e Político baiano Aliomar Baleeiro "A liberdade não se recebe por mercê ou tolerância dos opressores. A que merecê-la ou disputá-la. Sempre que houver alma de escravos, existirão vocações de senhores".
Fonte: AOPMBA

MAIS UM PROBLEMA DA SEGURANÇA PÚBLICA ... CONFLITOS ENTRE POLICIAS CIVIL E MILITAR - É POSSÍVEL UNIFICAÇÃO?

Clima tenso entre polícias Civil e Militar

O incidente em que policiais militares e civis desentenderam-se com armas em punho, na terça-feira à noite, em Lages, na Serra Catarinense, expôs ainda mais a rivalidade histórica entre as duas corporações em Santa Catarina.

O fato de Lages aumentou a animosidade entre os policiais civis e militares, acirrada no início da semana, quando o governo do Estado se preparava para enviar à Assembleia Legislativa o plano de cargos e salários da Polícia Civil.

Na ocasião, 40 coronéis da Polícia Militar (PM) exigiram melhorias salariais, o que retardou o andamento da reivindicação dos civis.Mas há outras razões para o atrito. Uma delas é o decreto 660, de 2007, do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), que permitiu aos policiais militares aplicarem os Termos Circunstanciados – procedimento utilizado pela autoridade policial para encaminhar os casos de menor gravidade aos juizados especiais criminais, que definem as penas.

Outra queixa dos policiais civis está na existência dos Serviços de Inteligência da PM nos batalhões espalhados pelo Estado, onde atuam os chamados P2 (policiais militares à paisana). Essas equipes atuam descaracterizadas em trabalhos de investigação, atribuição constitucionalmente definida como sendo da Polícia Civil.Na Capital, o descontentamento dos delegados é geral com a atitude dos coronéis da PM, que atrasou a questão dos cargos e salários.

Nos bastidores, delegados prometem trazer a público dossiês contra policiais militares envolvendo jogo do bicho e apreensões ilegais de objetos com infratores.Entre os delegados há pouca informação sobre o resultado da reunião de quarta-feira à noite, em Lages, entre a cúpula das polícias Civil e Militar sobre o episódio entre os subordinados (veja as duas versões na página ao lado).

Um dos temas discutidos envolve o carro dos militares, que estaria com placas irregulares, conforme acusou o delegado de Lages César Talon.Associação de delegados pede paciência às partesO delegado-geral da Polícia Civil, Maurício Eskudlark, afirmou ontem que obteve na reunião a garantia do comando da PM de que o veículo usado pelos militares é um carro oficial e as placas são de segurança (próprias da polícia), por isso não constam no sistema.

Para o delegado, faltou bom senso entre as partes.O comandante-geral da PM, coronel Eliésio Rodrigues, não dá detalhes do que aconteceu na Serra. O coronel garantiu que os fatos serão apurados e que o desentendimento não vai perturbar o relacionamento das polícias.– A nossa orientação é conversação e parceria – comentou.A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão pretende retomar nas próximas semanas as operações integradas no Estado.

O secretário Ronaldo Benedet reuniu-se ontem, durante mais de três horas, com coronéis da PM, em Florianópolis. Os oficiais apresentaram a ele uma proposta de reajuste salarial. Em entrevista à Rádio CBN/Diário na manhã de ontem, Benedet afirmou que o fato ocorrido em Lages foi lamentável e reconheceu que pode ter sido consequência de disputas históricas entre as polícias.

A delegada Sonêa Ventura Neves, presidente da Associação dos Delegados de Polícia em Santa Catarina, pediu paciência à categoria em nota divulgada na rede interna de e-mails dos policiais civis. Ela definiu o momento como tenso e de descontrole emocional e apelou para que as situações jamais terminem em confronto. A delegada afirmou que confia na palavra do governador Luiz Henrique na defesa do plano de cargos.Mestre em Ciência Jurídica, a professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) Marciane Zimmermann Ferreira classificou o conflito entre as polícias de inaceitável.

Para ela, o interesse público deve prevalecer diante das divergências corporativas.– O cidadão é o destinatário final do serviço público e ninguém se sentirá seguro vendo um conflito entre quem deveria protegê-lo – opinou.O desentendimento em Lages teria começado quando a PM investigava um caso de extorsão.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

ATENÇÃO MILITARES. ASSEMBLÉIA GERAL AMANHÃ NO COLÉGIO MILITAR

As Associações Unidas avisam aos militares que a Assembléia Geral marcada para amanhã às 15:00 horas, está confirmada para o Colégio Militar. Contamos com a participação de todos, pois a união faz a força.

MENDONÇA DEFENDE EQUIPARAÇÃO SALARIAL.

Um piso nacional salarial para todas as corporações militares, incluindo ativos e inativos, está sendo defendido, nesta sexta-feira, 19 de junho, durante o Seminário dos Policiais Militares da Região Norte, pelo deputado federal Mendonça Prado (DEM/SE), em Boa Vista, Roraima.

Trata-se da Proposta de Emenda à Constituição Federal, PEC300/08, de autoria do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SE), que regulamenta a equiparação salarial de todas as corporações militares do país tendo como fundamento à remuneração praticada no Distrito Federal.

A PEC se tramita na Comissão Especial, graças ao parecer do relator na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal, Mendonça Prado, que atestou a admissibilidade da proposta, viabilizando a continuidade do processo de aprovação da isonomia salarial militar no país.Como membro titular da Comissão Especial, Mendonça pretende sugerir a criação de um fundo compartilhado, entre a União e os entes federados, para subsidiar o pagamento da complementação salarial dos militares nos Estados de origem.

“O objetivo é fazer com que a responsabilidade para o pagamento do piso seja compartilhada entre Estados e União, já que a maior arrecadação tributária é feita pela União”, argumentou Prado.Durante a palestra, Mendonça Prado explicará que a PEC300/08, tem como objetivo alterar a redação do § 9º, do artigo 144 da Constituição Federal, determinando que a remuneração dos Policiais Militares dos estados não poderá ser inferior à da Polícia Militar do Distrito Federal, sendo extensiva aos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e aos inativos.

Fonte: Assessoria do Deputado.

POLICIAIS FAZEM MANIFESTAÇÃO POR MELHORES SALÁRIOS NA AVENIDA ATLÂNTICA.

RIO - O Movimento Cívico Juntos Somos Fortes volta às ruas da cidade, ordeira e pacificamente, neste sábado, às 10:00 horas, para um ato cívico em Copacabana, na Avenida Atlântica com Princesa Izabel. O movimento é formado por policiais e considera que a insegurança pública se agravou sobremaneira no atual Governo Estadual, se transformando em uma gigantesca tragédia, que resulta em milhares de assassinatos de cidadãos fluminenses.

Segundo os policiais que divulgaram um manifesto, a cada ano, mais de dez mil cidadãos fluminenses são assassinados ou desaparecem (incendiados em fornos de micro-ondas, dados como alimento para porcos, sepultados em cemitérios clandestinos, etc) no Estado do Rio de Janeiro.

A seguir, o manifesto divulgado na Internet

"O movimento nasceu do desdobramento das mobilizações cívicas ocorridas no Rio de Janeiro, nos anos de 2007 e 2008, quando Oficiais e Praças, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, no uso de seus direitos cidadãos, foram às ruas para cientificar à população fluminense sobre a grave crise vivenciada na segurança pública, diante do total descaso governamental, com os servidores públicos, que possuem a missão de servir e proteger os cidadãos fluminenses.

Os grupos mobilizados “Coronéis Barbonos” e “40 da Evaristos” encaminharam documentos formais ao Governador Sérgio Cabral (PMDB) e diante de sua total inércia, na adoção de medidas efetivas para solucionar a crise, foram às ruas, ordeira e pacificamente, realizando atos cívicos em Copacabana (2); Cinelândia (1) e ”Marchas Democráticas”(2) na orla do Leblon.

Informamos ao povo fluminense as nossas péssimas condições de trabalho, bem como, os nossos salários famélicos, espantando o cidadão fluminense, que surpreso não acreditava que arriscávamos as nossas vidas por cerca de R$ 30,00 por dia. Os Oficiais e os Praças foram perseguidos pelo Governador Sérgio Cabral (PMDB) que os movimentou de OPM; puniu disciplinarmente; alterou leis; afastou de funções; cortou gratificações; impediu promoções e encerrou carreiras honradas.

Apesar de todas essas represálias, nós não desistimos e continuamos na luta, sobretudo através da internet, onde criamos a “blogosfera policial”, um fenômeno reconhecido internacionalmente, onde garantimos o nosso direito constitucional da liberdade de expressão".

Fonte: Jornal do Brasil.

CORONÉIS VÃO PARA A RESERVA SEM PREJUÍZO.

O governo do Estado pretende enviar para a Assembléia um projeto de lei para solucionar o número exagerado de coronéis na PM de Sergipe. Hoje, proporcionalmente a população, a PM de Sergipe é a que tem mais coronéis do pais. São ao todo 29 coronéis, incluindo aí dois coronéis médicos. A idéia, segundo informações, é estimular que alguns coronéis possam ir para a reserva, após 25 anos de serviço sem prejuízo financeiro, inclusive incorporando cargos de chefia que ocuparam.

Fonte: Infonet - blog do jornalista Cláudio Nunes.

POLICIAIS À DISPOSIÇÃO.

Uma das promessas de campanha do atual governador foi que colocaria nas ruas os policiais militares que estão à disposição de diversos poderes e órgãos. Muitos deles não sabem o que é colocar a farda há anos e anos. Mais ganham até mais daqueles que estão nas ruas. Está errado. É preciso que o governo encontre uma maneira de pagar mais a quem está nas ruas e quem está à disposição não tenha os mesmos benefícios.

Fonte: Infonet - blog do jornalista Cláudio Nunes.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

CONVOCAÇÃO EXTRA DA ASSEMBLÉIA PARA APROVAR AUMENTO SALARIAL DOS MILITARES.

A Assembléia Legislativa deve ter convocação extraordinária em julho, para aprovação da proposta de aumento aos policiais militares. O governador Marcelo Déda já conversou com o presidente da Casa, Ulices Andrade, e com o líder do Governo, Francisco Gualberto, sobre a necessidade da convocação. “Os policiais podem ficar tranqüilos”, disse Déda.

Sobre o reajuste a ser concedido aos policiais militares, o governador Marcelo Déda informou que o trabalho de discussão e análise do impacto financeiro da proposta está sendo feito. Déda disse que a versão apresentada pelo comandante da PM, Carlos Pedroso, foi entregue ao secretário de Estado da Fazenda, João Andrade, que apresentou uma contraposta para ser discutida ainda esta semana com o comandante.

Para o governador, as negociações estão muito bem encaminhadas, pois cerca de 85% das solicitações apresentadas pelos policiais foram razoavelmente incorporadas pelo Governo. Déda afirmou que uma das preocupações é não chegar a uma situação que prejudique o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Caso seja necessário, será negociado com os policiais uma extensão no prazo para a aplicação das inovações.

Mesmo não tendo acertado definitivamente o reajuste, Déda afirmou que os valores pagos aos policiais serão retroativos ao mês de maio, não causando nenhum tipo de prejuízo à categoria. Para o governador, o Estado está estudando a melhor forma de diluir o impacto do reajuste em sua folha de pagamento e buscando soluções para que a proposta não pese tanto nas finanças deste ano e nem comprometa a aplicação da LRF em 2010.

Fonte: Fax Aju

AVISO.

A ABSMSE informa aos seus associados que devido aos festejos juninos, não haverá expediente nos dias 24/06 (quarta-feira) e 29/06 (segunda-feira).

O conselho gestor deseja a todos os associados e familiares, aos amigos, colaboradores e à família militar um bom São João e São Pedro, com alegria, saúde e paz.

ATÉ LULA JÁ ADERIU AO MOVIMENTO.

UNIÃO PREPARA PROJETO DE LEI COM MUDANÇAS NOS DIREITOS E DEVERES DAS FORÇAS DA UNIÃO E DOS ESTADOS.

O governo federal vai colocar o dedo numa casa de abelha para tentar reorganizar o sistema de segurança pública do país, hoje marcado pelo bate-cabeça entre as polícias da União e dos Estados, tão evidenciado durante os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito das Escutas Clandestina (CPI dos Grampos).

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) elaborou um projeto de lei para redefinir os papéis das polícias no Brasil, com direitos e deveres, com o objetivo de torná-las mais eficazes.

O texto, entretanto, está sendo mantido em sigilo, não só pela polêmica que promete gerar, mas também porque deve ser discutido durante a Conferência Nacional de Segurança Pública (Conseg), marcada para acontecer em agosto. A proposta é debater com todas as forças de segurança as reformas necessárias e, somente então, dar o formato final ao projeto.

O secretário da Senasp, Ricardo Balestreri, não fala sobre as propostas do governo, por considerar prematuro, mas um grupo de parlamentares já está interessado em conhecer o texto. Entre eles, está o senador Delcídio Amaral (PT/MS), um defensor da iniciativa. ?Eu acredito que essa iniciativa vai gerar muita polêmica, mas é preciso criar uma nova modelagem para a atuação das policiais no país?, diz. Segundo ele, ?é preciso botar o dedo na ferida e estabelecer as fronteira de atuação das forças de segurança pública, com regras claras?

O senador, em março, foi vítima de uma ação precipitada da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que depois de prender um homem por uso de documento falso, numa rodovia no Mato Grosso do Sul, decidiu interrogá-lo e divulgar o depoimento gravado para emissoras de televisão. A gravação sugeria a existência de um plano para atingir a imagem do senador, mas não se sustentou com as investigações, que demonstraram que o preso tinha problemas mentais.

PEC GARANTE ADICIONAL NOTURNO PARA POLICIAIS E BOMBEIROS.

Vicentinho argumenta que o período noturno é o horário mais difícil da atividade policial.A Câmara analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 339/09, do deputado Vicentinho (PT-SP), que assegura o direito ao adicional noturno para policiais militares, bombeiros militares e integrantes dos órgãos de segurança pública.

Vicentinho lembra que o atual texto constitucional garante esse benefício a todos os trabalhadores rurais e urbanos e servidores públicos, exceto para policiais militares, bombeiros militares e integrantes dos órgãos de segurança pública. A proposta do parlamentar torna expresso esse direito na Constituição.

Policiais civis

Em relação aos integrantes dos órgãos de segurança pública civis (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Ferroviária Federal e polícias civis), o deputado explica que, apesar de a Constituição garantir o direito ao adicional noturno, ainda há obstáculos para oe fetivo pagamento do benefício.

"As alterações são necessárias para pacificar as discussões e possibilitar que todo profissional da segurança pública receba a justa remuneração pelo seu sacrifício de trabalhar nos horários mais difíceis para a atividade policial. À noite é quando a sociedade mais necessita da atenção dos policiais", diz o deputado.

Tramitação

A admissibilidade da PEC será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovada, será analisada por comissão especial e votada em dois turnos pelo Plenário.

Fonte: Agência Câmara

terça-feira, 23 de junho de 2009

ATENÇÃO MILITARES PARA CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL.

As Associações Unidas convocam todos os militares que estiverem de folga para comparecerem a Assembléia Geral marcada para a próxima sexta-feira, dia 26, às 15:00 horas, no Colégio Militar, situado na Rua Boquim, em frente a ABSMSE (Caixa Beneficente), para que possam ser repassadas as informações acerca das negociações para o aumento da classe, bem como, tomar decisões em conjunto. A participação de todos é de extrema importância, pois nunca é demais lembrar que a união faz a nossa força.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

QUANDO O CAPITÃO SAMUEL SOUBE QUE O AUMENTO QUE O GOVERNO QUERIA DAR A PM ERA DE 5,53%, NÃO AGUENTOU, TEVE UM "CUSTUPIO" E FOI PARAR NO HPM.

PM APÓIA JORNALISTAS.

Na manhã deste sábado, 20, o Capitão Samuel, da Polícia Militar de Sergipe, deu nota de repúdio a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em derrubar a obrigatoriedade do diploma para a prática do jornalismo. A nota foi ao ar no programa Fala Segurança, da Caixa Beneficente da PM/SE na rádio Jornal.

O Capitão exemplificou alguns de seus amigos, que tem o dom para ser policial, mas como não fez o curso não pode ir às ruas como tal. Citou um professor de filosofia que ensinava: "louco é aquele que tenta desassociar prática da teoria".

O PM afirmou que se não fosse os jornalistas a sociedade não teria conhecimento da luta da categoria. Encerrou a nota dizendo que a PM está à disposição do Sindicato dos Jornalistas para qualquer ação de protesto.

Fonte: Universo Político.

CUT VÊ DÉDA COMO UM GESTOR VAIDOSO.

"Basta ver a forma como ele se dirige às pessoas", diz presidente

O sindicalista Rubens Marques, o professor Dudu, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), revelou que não adianta o governador Marcelo Déda (PT) ir à imprensa chamar o movimento social de anacrônico, e nem afirmar que os sindicatos estão fazendo o jogo político da direita porque os movimentos continuarão defendendo as causas do trabalhador.

"As mesmas causas que ele defendia antes de chegar ao poder. Ainda acreditamos numa mudança.

Há tempo. Mas até que aconteça, estaremos cobrando. Não mudamos e estamos no caminho certo", disse o presidente da CUT, revelando enxergar em Déda um gestor vaidoso.

"Basta ver a forma como ele se dirige às pessoas. Está certo que ele é humano e quando é agredido reage. Isso é normal, mas uma coisa é você como cidadão comum agir a uma provocação. Outra coisa é o governador, de quem se espera muito mais equilíbrio, muito mais compreensão. Não vejo um governador trocando farpa com um sindicalista, com a oposição. Ele precisa estar acima. Mas fiquei surpreso com as declarações dele contra Luiz Moura, do Dieese, de forma acintosa tentando desqualificar", disse Dudu.

Segundo o sindicalista, a vaidade do governador aparece neste episódio no momento em que ele sequer levou em conta que foi Luiz Moura quem sempre o muniu de informações, na época em que ele, Déda, era deputado federal e necessitava de embasamento para fazer o debate.

"E, hoje, tenta agredir o Dieese com o serviço prestado que ele tem ao movimento sindical. Isso é inconcebível. Não estou aqui fazendo a defesa de Nilson Lima. De jeito nenhum. Mas a forma com saiu no jornal, quando perguntado o que ele (Déda) achava de Nilson Lima ter dito que o Estado comportava um reajuste maior, ele disse ‘Nilson Lima é ex'. Achei uma forma vaidosa.

Pelo menos saiu no jornal. E não defende Nilson Lima porque quando ele esteve no governo não fez nada para que o aumento fosse maior. Do mesmo jeito, quando ele (Déda) se refere a Fredão diz: ‘não é aquele rapaz?' Isso para desqualificar", explicou Dudu.

Fonte: Jornal da Cidade.

POLÍCIA FEDERAL ASSINA ACORDO PARA RECADASTRAMENTO DE ARMAS.

Atualmente, 6 milhões de armas registradas e não foram recadastradas

A Polícia Federal e a Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições - Aniam - assinarão, às 11h desta quarta-feira, 17, um Acordo de Cooperação que tem por objetivo implementar ações que proporcionem a viabilização, fortalecimento e divulgação da Campanha do Recadastramento Nacional de Armas.

Além de divulgar informações sobre o recadastramento, através de materiais informativos e os principais meios de comunicação, o acordo prevê a criação de postos para recadastrar armas em todo o país, facilitando o procedimento para os proprietários. O recadastramento também poderá ser feito através site da Aniam (www.aniam.org.br) ou da Polícia Federal (http://www.dpf.gov.br/).

Em vigor desde abril de 2009, a Lei 11.922, sancionada pelo presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, criou novo prazo para o recadastramento de armas de fogo. Os proprietários de arma de fogo devem solicitar seu registro que é gratuito e sem burocracia até dezembro deste ano.

Para recadastrar é preciso CPF, RG e os dados da arma: número de série, marca, calibre, país de fabricação e o registro atual, se o tiver. Armas sem registro, como as doadas ou recebidas de herança, também precisam ser regularizadas.

Com a nova lei, cerca de 14 milhões de brasileiros possuidores de armas de fogo adquiridas legalmente e registradas nos Estados e na PF têm a oportunidade de permanecer na legalidade. Somente no Sistema Nacional de Armas - Sinarm -, existem mais de 6 milhões de armas registradas e não recadastradas.

Quem deixar de recadastrar e for pego com uma arma de fogo sem registro poderá responder criminalmente, sujeito a pena de detenção de um a três anos e multa.

Fonte: Jornal Cinform

UTILIDADE PÚBLICA - HEMOSE PRECISA DE SANGUE.

Como todo período junino, o Centro de Hemoterapia de Sergipe – Hemose – promove campanha para a captação de doadores de sangue no hemocentro. Com a disseminação dos festejos por todo o Estado, os riscos de acidentes de trânsito e queimaduras por fogos de artifício aumentam vertiginosamente.

Durante todo o ano, hospitais sergipanos são auxiliados pelo Hemose. Preocupado em atender eventuais acidentes e deixar para trás a atual situação – baixo estoque de sangue -, principalmente o tipo O Negativo, o Hemose necessita de novos doadores, principalmente daqueles com fatores RH Negativo.

O Centro também apela para que mais mulheres passem a doar sangue no Estado. Apenas 18% das doações são feitas por pessoas do sexo feminino, enquanto em Estados como Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro o percentual chega a 45%.

Para as pessoas que tiverem interesse em doar sangue, basta entrar em contato o Hemose, por intermédio do Núcleo de Captação de Doadores – Nasce -, através do telefone 79 – 3259-3174 ou comparecer ao órgão, situado na Avenida Tancredo Neves, s/n°, bairro Capucho – Anexo ao Huse.

Fonte: Jornal Cinform

POR ENQUANTO ESSA É A BANDEIRA DOS MILITARES SERGIPANOS.

VEJAM A SITUAÇÃO DE POLICIAIS MILITARES QUE TRABALHAM NAS DELEGACIAS DOS INTERIOR DO ESTADO, DESVIADOS DAS SUAS FUNÇÕES.

Confira a reportragem exibida pela TV Atalaia que mostra a situação de policiais militares nas delegacias no interior do Estado, que trabalham desviados das suas reais funções, bem como, mostra que policial militar na Delegacia de Ribeirópolis, de forma legal, se recusou a exercer a função que é de competência de policial civil.

Clique no link abaixo e assista:
http://www.youtube.com/watch?v=v0hHWH724jA

sábado, 20 de junho de 2009

MILITARES DECIDEM AGUARDAR DECISÃO DO GOVERNO ATÉ SEXTA-FEIRA.

Representantes das Associações Unidas da Policia Militar, realizaram uma assembléia, na tarde desta sexta-feira (19), para discutir sobre as negociações salariais com o governo do estado. Os representantes das Associações Unidas decidiram que vão esperar uma resposta do governo até a próxima sexta feira (26), quando realizarão uma nova assembléia. Eles aguardam respostas para às reivindicações da categoria, a exemplo de salário-base para soldado em R$ 3 mil.

Os PMs decidiram que vão trabalhar no Forró-Caju para garantir a segurança dos participantes dos festejos.

Fonte: Fax Aju.

PRESO É RESGATADO DE UMA DELEGACIA POR 2 COMPARSAS.

Dois homens armados invadiram a delegacia do município de Cristinápolis, renderam o único policial militar de plantão e resgataram o preso José Evanildo Batista Viana, 48, o "Preá ou Itabaiana", que foi detido no último dia 10 com documentação falsa. Outros nove presos permanecem no xadrez. Os três fugiram sem levar a arma do PM. O episódio ocorreu na madrugada de ontem.

Fonte: Jornal Correio de Sergipe.

E EM 2010 ...

PM AGUARDA NEGOCIAÇÃO NO TRABALHO.

Em outra assembléia geral realizada ontem à tarde, policiais militares e bombeiros decidiram aguardar o resultado das negociações entre o governo estadual e o Comando da Polícia Militar sobre os reajustes salariais e benefícios a serem concedidos à categoria. Para isso, outra assembléia foi marcada para a próxima sexta-feira, na quadra do Colégio Militar de Sergipe, centro da cidade. O encontro foi marcado pela cautela e pelas demonstrações de confiança no comandante da corporação, coronel José Carlos Pedroso, responsável direto pelas negociações salariais da corporação.

Falando a uma quadra lotada de policiais em dia de folga, que acomodaram seus carros em fila dupla na rua Boquim, os líderes das Associações Militares Unidas reafirmaram que não vão paralisar os serviços e nem fazer qualquer tipo de protesto ou paralisação durante os festejos juninos, a fim de garantir o policiamento dos eventos na capital e no interior. “Estamos nos esforçando para que não aconteça nada que possa prejudicar a sociedade. O pessoal está trabalhando dentro da legalidade, com tranqüilidade e com afinco. A melhor resposta que podemos dar à sociedade é trabalhar atender aos anseios dela. A sociedade pode brincar o São João tranqüilo”, frisou o sargento Alexandre Prado, representante das Unidas.

Prado também disse que o clima da tropa ficou mais tranqüilo após o pronunciamento do coronel Pedroso, que falou aos militares na última segunda-feira, durante a formatura de 450 homens no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PM (CFAP). Foi quando ele prestou contas aos comandados sobre as conversas com o governador e apelou a todos para que voltem ao trabalho normal, sob pena de atrair a rejeição da sociedade. “Graças à Deus, a gente vê que o governo assinalou para negociar e abrandou as pressões”, disse o sargento.

A mesma idéia foi expressa pelo próprio governador durante a inauguração da nova sede Delegacia Plantonista, na última quarta-feira. “Agora, já que o comando está negociando, a hora é de pacificar, amansar os ânimos. Não vamos mais jogar lenha na fogueira, a não ser pra brincar o São João”, descontraiu Déda, ao informar que o coronel Pedroso já se reuniu com o secretário estadual da Fazenda, João Andrade, pára analisar a folha de pagamento da PM. “Vou despachar com os dois na próxima semana”, acrescentou.

Os líderes do movimento também deixaram claro que manterão as reivindicações da categoria, mesmo sem tocar mais na equiparação salarial entre as polícias Militar e Civil – esta já foi descartada publicamente pelo comandante José Carlos Pedroso e pelo governador Marcelo Déda. A expectativa dos praças é de que o salário-base de um soldado seja fixado em R$ 3 mil mensais, valor pelo qual seriam calculados os ordenados dos militares de outras patentes.

Fonte: Jornal do Dia.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

MILITARES CONTINUAM AGUARDANDO NEGOCIAÇÕES.

Categoria vai aguardar resposta do Governo até a próxima sexta, 26, mas promete segurança no Forró-Caju

Assembléia na quadra do Colégio Militar


Jarbas Cavalcante, do Piauí



Carros de policiais lotaram a rua Boquim

Os policiais militares lotaram a quadra da Escola Militar na tarde desta sexta-feira, 19 quando da realização de mais uma assembléia da categoria. A rua Boquim ficou praticamente intransitável por conta do estacionamento em filas duplas e o trânsito ficou lento na área. Os militares decidiram aguardar uma resposta do Governo até a próxima sexta, 26, quando realizarão nova assembléia. E prometeram garantir a segurança do Forró-Caju.

Em pronunciamento à categoria, os representantes das Associações Unidas afirmaram esperar uma solução quanto às reivindicações da categoria, a exemplo de salário-base para soldado em R$ 3 mil. “Estamos confiante em um desfecho final que venha a agradar acategoria. Vamos trabalhar no Forró-Caju para defender a sociedade e com certeza vamos ter o reconhecimento devido a nossa importância”, enfatiza sargento Jorge Vieira, representante das Associações Unidas.

Alguns representantes de associações policiais de outros estados que estão participando da Conferência de Segurança Pública em Aracaju, estiveram na assembléia dos militares. Segundo o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Piauí, Jarbas Cavalcante, a situação dos policiais é crítica em todo o país.

“Em todas as polícias do Brasil, a situação é de miséria. No Piauí já fizemos três greves. Íamos ter a quarta, mas o governo negociou. Com isso, o salário-base do soldado passou de R$ 1.400 para R$ 1.800”, destaca Jarbas Cavalcante.
Fonte: Infonet.

ESPERAMOS QUE NAO TENHA DESCULPA AGORA.

MENDONÇA DEFENDE EQUIPARAÇÃO SALARIAL.

Um piso nacional salarial para todas as corporações militares, incluindo ativos e inativos, está sendo defendido, nesta sexta-feira, 19 de junho, durante o Seminário dos Policiais Militares da Região Norte, pelo deputado federal Mendonça Prado (DEM/SE), em Boa Vista, Roraima.

Trata-se da Proposta de Emenda à Constituição Federal, PEC300/08, de autoria do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SE), que regulamenta a equiparação salarial de todas as corporações militares do país tendo como fundamento à remuneração praticada no Distrito Federal.

A PEC se tramita na Comissão Especial, graças ao parecer do relator na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal, Mendonça Prado, que atestou a admissibilidade da proposta, viabilizando a continuidade do processo de aprovação da isonomia salarial militar no país.

Como membro titular da Comissão Especial, Mendonça pretende sugerir a criação de um fundo compartilhado, entre a União e os entes federados, para subsidiar o pagamento da complementação salarial dos militares nos Estados de origem.

“O objetivo é fazer com que a responsabilidade para o pagamento do piso seja compartilhada entre Estados e União, já que a maior arrecadação tributária é feita pela União”, argumentou Prado.

Durante a palestra, Mendonça Prado explicará que a PEC300/08, tem como objetivo alterar a redação do § 9º, do artigo 144 da Constituição Federal, determinando que a remuneração dos Policiais Militares dos estados não poderá ser inferior à da Polícia Militar do Distrito Federal, sendo extensiva aos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e aos inativos.

Fonte: Assessoria do Deputado

quarta-feira, 17 de junho de 2009

ATENÇÃO TROPA!

UTILIDADE PÚBLICA - CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA POLIOMIELITE COMEÇA DIA 20.

A primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Poliomielite, doença conhecida como paralisia infantil, já está sendo preparada pela Prefeitura. O lançamento acontece no sábado, 20, na Unidade de Saúde da Família (USF) Carlos Hardman, no bairro Soledade. Crianças com idade de zero a quatro anos poderão receber a `gotinha` nas 43 USFs da cidade, nos dois shopping centers e também no aeroporto. A meta é atingir 95% de cobertura, o que corresponde a 45.159 meninos e meninas.

"Nós já estamos nos mobilizando para garantir o sucesso da campanha e alcançar a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Faremos reuniões com enfermeiros, gerentes, coordenadores e demais funcionários da Rede de Atenção Básica para traçar as estratégias de campanha", informa a coordenadora de imunização da SMS, Débora Moura.

Cerca de 600 pessoas participarão dos trabalhos. Na ocasião, é importante que os familiares levem o cartão de vacinação. Além de dar a gotinha contra a poliomielite, as equipes vão verificar no documento se a criança também precisa tomar doses das vacinas tetravalente, tríplice viral e contra hepatite B.

A paralisia infantil já foi erradicada no Brasil há alguns anos. Atualmente, apenas quatro países sofrem de fato com a doença: Índia, Paquistão, Afeganistão e Nigéria. "Mas isso não nos conforta. Com o aumento das viagens internacionais e o fluxo de pessoas por vários países, temos que criar mecanismos para evitar a reintrodução do vírus em nosso país", alerta Moura.

Contra-indicação

As crianças que apresentarem febre alta, vômitos severos e diarréia não devem tomar a vacina. Já as crianças imunodeprimidas, a exemplo de portadoras do HIV, devem tomar um tipo especial do imunizante disponível no Centro de Referência Imunobiológico Especial (Crie) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Fonte: Atalaia Agora.

CAPITÃO SAMUEL FAZ NOTA DE ESCLARECIMENTO PARA ESCLARECER EQUÍVOCO.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Eu, Cap. SAMUEL ALVES BARRETO venho de público esclarecer a matéria jornalística publicada no Jornal da Cidade de ontem, dia 16, no caderno B – CIDADES, onde consta que o Juiz Militar teria quebrado a hierarquia, ao ouvir os sargentos antes da minha pessoa. O que fora passado para a imprensa foi que se os militares fossem ouvidos de acordo com a patente, o primeiro a ser interrogado seria a minha pessoa e posteriormente dos demais, de acordo com a graduação e antiguidade, porém o Código de Processo Penal Militar, em seu artigo 405, reza que os acusados serão interrogados separadamente, pela ordem de autuação no processo, devendo ter havido um equívoco quando da confecção da matéria. Por isso, venho de público esclarecer tais fatos, para que não paire qualquer dúvida acerca da conduta, da moral ilibada e do alto saber jurídico do Dr. Diógenes Barreto, Juiz de Direito Militar.

Aracaju/SE, 17 de junho de 2009.


Cap. SAMUEL ALVES BARRETO
Presidente da ASSOMISE
Obs.: Esta nota será publicada também na imprensa

terça-feira, 16 de junho de 2009

ATENÇÃO MILITARES PARA A CONVOCAÇÃO DE MAIS UMA ASSEMBLÉIA GERAL.

AS ASSOCIAÇÕES UNIDAS CONVOCAM TODOS OS MILITARES PARA ASSEMBLÉIA GERAL NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA, 19 DE JUNHO DE 2009, ÀS 15:00 H, NO COLÉGIO MILITAR DE SERGIPE, SITUADO NA RUA BOQUIM, EM FRENTE A ABSMSE (CAIXA BENEFICENTE).

A PRESENÇA DE TODOS É IMPRESCINDÍVEL!

CHEGA DE TANTA HUMILHAÇÃO!

JUSTIÇA MILITAR INTERROGA LÍDERES DE ASSOCIAÇÕES.

Após o trato firmado com o Comando da Polícia Militar, quatro líderes das Associações Militares Unidas foram na manhã de ontem ao Fórum Gumercindo Bessa, no Centro Administrativo, onde passaram cerca de quatro horas e meia sendo interrogados pelo juiz Diógenes Barreto, da Auditoria Militar do Tribunal de Justiça. A audiência é relativa a um processo movido em 23 de abril pelo promotor Jarbas Adelino Júnior, do Ministério Público Militar, que denunciou o capitão Samuel Barreto e os sargentos Alexandre Prado, Edgar Menezes e Jorge Vieira por crime de motim – rebelião contra autoridade constituída, cuja pena varia entre quatro e oito anos de prisão.

A denúncia se refere a uma vigília dos militares marcada para ocorrer no dia 16 de abril, em frente ao Palácio de Despachos, sede do governo estadual, como parte de um calendário de protestos para pressionar o governo. A realização da vigília é citada pelo promotor como indício de crime de motim, pois atentou contra os princípios da hierarquia e da disciplina. O sargento Vieira negou que a vigília tenha acontecido naquele dia, pois os militares que foram para lá haviam sido orientados a seguir para a sede da Secretaria Estadual de Administração (Sead).

De acordo com ele, houve uma quebra de acordo por parte do coronel Alberto Magno Silvestre, então comandante da PM. “Ele disse que não aconteceria nada com quem fosse ao ato, desde que ele fosse com pessoas de folga e desarmadas. Mas, por debaixo dos panos, ele encaminhou a denúncia ao Ministério Público”, argumentou Vieira, frisando que tanto ele quanto seus colegas estão tranqüilos quanto ao processo. Magno foi arrolado como testemunha de acusação do processo, juntamente com o coronel João Ribeiro Oliveira, seu então subcomandante.

De acordo com o juiz Diógenes Barreto, os coronéis serão interrogados em 1º de outubro deste ano, para quando a próxima audiência do processo foi marcada. Já a defesa de cada um dos réus tem direito a indicar cinco testemunhas para serem ouvidas. O magistrado prevê que o julgamento dos líderes da Unidas deve ocorrer até o fim do ano. Participam dele quatro oficiais que integram o Conselho Especial de Justiça Militar, sendo dois majores e dois tenentes-coronéis da PM.

Fonte: Jornal o Dia

PMs SUSPENDEM PROTESTOS E VOLTAM A PATRULHAR AS RUAS.

O clima de desconfiança entre as tropas da Polícia Militar, que brigam com o governo estadual por aumento de salário e valorização da carreira, foi amenizado ontem de manhã, após um pronunciamento do comandante-geral da corporação, coronel José Carlos Pedroso. Após a formatura de 450 militares no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), no Bairro América, a categoria decidiu interromper a operação-padrão deflagrada no último dia 5 e, ontem de manhã, voltaram a fazer o policiamento de rua dirigindo as viaturas policiais.

Durante toda a semana que passou, os militares se recusavam a pilotar os carros e iam fazer o policiamento a pé ou de ônibus, alegando ter a Carteira de Habilitação vencida ou não possuir o Curso Prático de Motoristas de Viaturas de Emergência (CPME), itens exigidos no Código Brasileiro de Trânsito. A presença da polícia nas ruas diminuiu, o que provocou um aumento das ocorrências e muitas reclamações da população. Já a justificativa dos PM’s estava no impasse das negociações salariais com o governo, que só aceita negociar apenas com o comandante da PM.

A bandeira branca foi acenada no meio da cerimônia de formatura, quando Pedroso falou à tropa sobre as conversas que manteve na semana passada com o governador Marcelo Déda, que por sua vez pediu ao comando da PM uma proposta de reajuste a ser aprovada por ele e pela Assembléia Legislativa. O coronel chamou a atenção para a necessidade de ter a total confiança da tropa para obter sucesso nas negociações e apelou aos comandados para que voltem ao trabalho normal, sob pena de atrair a rejeição da sociedade.

“A tropa tem que estar fechada com o comandante. O governo foi sensível ao nosso pleito, abriu as negociações, o comandante criou uma comissão para analisar as propostas... mas qual o retorno que nós demos à população? Um serviço ruim. Então, temos que voltar à normalidade para ganharmos credibilidade junto ao governo e à população”, exortou José Carlos Pedroso, garantindo que irá atuar firme nas negociações. “Vou buscar uma proposta que contemple os anseios da minha tropa e que o governo tenha condições de pagá-la”, disse.

A ordem foi acatada de pronto pelos praças e oficiais da corporação, que já haviam tomado essa decisão em uma assembléia de urgência neste domingo. Segundo o capitão Samuel Alves Barreto, das Associações Militares Unidas, a categoria levou em conta o clamor da população contra a falta de policiamento nas ruas e a reabertura das negociações entre o Comando e o Palácio de Despachos. Mas o fator decisivo para o fim da operação-padrão na PM foi a intermediação do deputado federal Jackson Barreto (PMDB) e do senador Antonio Carlos Valadares (PSB), que participaram de uma reunião com os militares neste final de semana e os deixaram mais tranqüilos.

“Eles conversaram com o governador, e garantiram que as nossas propostas irão chegar às mãos dele”, afirmou Samuel Barreto, frisando que a tropa irá cumprir o acordo com o Comando. “Voltamos a dirigir as viaturas pelo bem da sociedade, que estava aflita. A partir de hoje, vamos pra rua combater a criminalidade e tirar os bandidos de circulação. E peço aos policiais civis que abram todas as delegacias, porque vamos enchê-las de bandidos”, frisou.

Fonte: Jornal o Dia

COMEÇA PRIMEIRA ETAPA DO PROCESSO CONTRA PMs.

O advogado de defesa dos militares alega que o processo de crime de motim é atípico

Iniciou nesta segunda-feira, 15, as oitivas do processo que acusa quatro policiais militares de crime de motim. O juiz Diógenes Barreto, da 6ª Vara Criminal, é o responsável pelo julgamento do caso. A denúncia de crime de motim, na Orla de Atalaia durante um protesto dos militares por melhores salários, realizado no dia 17 de abril, foi oferecida pelo promotor de Justiça Jarbas Adelino, que vai acompanhar as oitivas. A imprensa teve acesso à audiência, mas foi proibida de fazer gravações e imagens, durante os depoimentos.

O promotor de Justiça Jarbas Adelino foi quem ofereceu a denúncia

”Vou aguardar o que eles têm a dizer e não tenho nenhum questionamento formulado. Na verdade, eles são acusados de crime de motim e hoje é o depoimento dos réus. Tenho que aguardar as situações chegarem até mim. O que eu sei, é através da imprensa. Qualquer coisa que eu diga agora, seria precipitado. Também não vou ficar em saia justa, chegando algum documento até mim, vou julgar como entender”, declarou Jarbas Adelino, ao acrescentar que o processo deve ser julgado dentro de um ano. “Se não houver intercorrência", ressaltou.

Os quatro militares acusados negam que houve crime de motim. “No meu depoimento vou falar o que realmente ocorreu. Fui acusado de motim, porém, tudo que foi feito naquele dia (17 de abril na orla de Atalaia) foi acordado com secretários de governo, como Kércio Pinto, que era o secretário de Segurança Pública naquela época, Corpo de Bombeiros e o próprio comandante geral da PM (também naquela época), Carlos Magno. Portanto, foi tudo plenamente acordado. Se foi crime o que fizemos, foi com a autorização deles. Inclusive, no dia do protesto, o comandante Carlos Magno enviou um ônibus para o transporte dos militares até a orla”, declarou o sargento Edgar.

Sargento Edgar é um dos acusados do crime de motim

Além dele, os sargentos Vieira, Prado e capitão Samuel também estão respondendo pelo crime de motim. E, de acordo com o sargento Edgar , existe outro inquérito aberto contra a Polícia Militar, que pode ser transformado em processo na 6ª Vara Criminal. “Esse inquérito foi aberto por Carlos Magno, acusando-nos de estarmos na passeata das mulheres, realizada há aproximadamente um mês, encapuzados, quando na verdade estávamos usando máscaras cirúrgicas. Mas, esse inquérito ainda não foi transformado em processo. Não sei se o atual comandante vai levar o caso adiante”, ressaltou o sargento Edgar.

Capitão Samuel disse que o único crime que há no processo é o de perseguição

O capitão Samuel foi absolvido de participação no crime de motim no protesto da Orla de Atalaia, no sábado de Aleluia, na Sindicância do Comando da Polícia Militar, mas foi acusado de cometer esse mesmo crime durante uma vigília em frente ao Palácio dos Despachos, há cerca de dois meses. “Nesse dia eu estava no palácio cumprindo uma ordem expressa do governador, na Secretaria de Estado da Administração (Sead), eu estava com o comandante geral da nossa corporação, acompanhando a negociação baseada em um decreto do governador. Então, se houve crime, qual foi o crime? Por mais esforço que se faça, o único crime que tem nesse processo é o de perseguição”, desabafou o capitão Samuel.

O advogado de defesa dos militares alega que esse é um fato atípico

O advogado de defesa da Associação Beneficente dos Militares de Sergipe (antiga Caixa beneficente), Malio Damasceno Conceição alega que não houve qualquer tipo de motim e, sim reivindicações dos direitos da cetegoria. 'E os acusados foram autorizados por Marcelo Deda para intercederem pela tropa. Estavam todos de folga e desarmados no dia do protesto. Não houve nenhum impedimento do serviço militar. O ponto de vista do promotor deve ser respeitado, porém entendemos que não houve crime de motim. Casos semelhantes ocorrera em outros Estados e não foram considerados motim. Esse é um fato atípico', afirmou o advogado.
Fonte: emsergipe.com

RELATO DE UM POLICIAL MILITAR.

E-mail de um policial militar devidamente identificado: “Depois de ler, ouvir, assistir a inúmeras matérias, comentários e entrevistas sobre a polícia militar, o movimento das associações e o anuncio do aumento salarial, resolvi externar o meu descontentamento. primeiro: gostaria de saber desde quando qualquer pessoa sendo professor, jornalista, desempregado, funcionário da saúde, comerciante, promotor de justiça, advogado, político etc tem bagagem moral e intelectual para falar de segurança pública e da instituição centenária da policia militar? quando fizeram curso técnico, especialização ou bacharelado em segurança pública?! Por que, acredito que para falarmos sobre qualquer assunto devemos ter o menor entendimento. muitos nunca realizaram nenhum curso na área de segurança pública, desconhecem totalmente o serviço, a missão que a polícia militar do estado de Sergipe desempenha, não sabem de forma alguma ou se fazem de burros para não compreenderem que enquanto eles vão para festas e eventos como o forró caju que se aproxima, nós, militares, nos esforçamos para garantir a tranquilidade e segurança, sacrificando nossas horas de lazer e descanso com a família! busquem conhecer na raiz o serviço desempenhado pelos nobres polícias militares para depois pensarem, mas refletirem mesmo se podem tecer qualquer tipo de comentário sobre se um policial militar deve ou não ganhar bem!! Senhores jornalistas partidários, por favor se não têm nada a acrescentarem nessa discussão sobre o movimento dos militares, escrevam somente sobre outro assunto como educação, economia, saúde, festejos juninos e previsão do tempo. assuntos que os senhores também terão público, leitores, espectadores... a u d i ê n c i a ! Segundo: peço aos meus nobres companheiros de farda que abram os olhos em relação a esses políticos de plantão porque estes não merecem nossa atenção! não sejamos pueris, infantis, crianças tolas em acreditar em discursos utópicos!!! eles tiveram a oportunidade quando foram situação e nunca discursaram a nosso favor por que então esse repentino apoio?! estamos errando quando damos voz a esses parasitas politícos. Digam a Augusto Bezerra, Mendonça Prado e Venâncio Fonseca que até agrademos pelo apoio repentino mas dispensamos qualquer manifestação deles em solidariedade ao movimento, pois foram os mesmos que muitas vezes entregavam o chicote e a chibata para o ex-governador para nos açoitar!senhores coronéis, honrem as estrelas que carregam nos ombros. os senhores não chegaram ao posto de coronel por favores e essas estrelas tão pouco caíram do céu. então por que se dobram, curvam-se, ajoelham-se,... e até mendigam por um cargo em comissão, celular e veículo a disposição temporariamente?! lembrem-se que nada disso e nem todo o salário que recebem hoje levarão para a reserva! os senhores preferem serem lembrados historicamente por toda a tropa da pmse como aqueles que lutaram por nossos direitos legítimos ou esquecidos pelo tempo porque passaram pela instituição e nada fizeram!? larguem a política e lembrem-se da polícia.terceiro: recado para o excelentíssimo senhor governador do estado até 2010. aproxime-se de pessoas sérias, assessores competentes e que estão dispostos a doarem o sangue pelo estado como nós pm´s. afaste-se de pessoas que só querem o benefício próprio, o lucro, a auto-promoção, que só querem se aproveitar do momento. mudam de partido como se troca de roupa. não realize discursos arrogantes, autoritários, intransigentes, frios, decorados e repetivos (não seja a mesmice). vossa excelência teve o apoio maciço dos militares em 2006 e agora quer dar as costas?! e se vossa excelência quer legalidade, terá legalidade! militares sem curso de emergência na maioria ou quase totalidade não dirigirão viaturas mas irão para as ruas realizarem o policiamento tradicional a pé; militares em delegacias e presídios retornarão as cias e bpm´s para desempenharem a missão que o artigo 144, da CF prevê. viatura, motocicleta, helicóptero por si sós não resolvem a criminalidade se vossa excelência não tiver uma tropa motivada. e a questão não é somente s a l a r i a l, deixo aqui bem claro. passa pela carga horária, ingresso à instituição, lei de organização básica, regimento disciplinar, horas extras, promoções, cursos de atualização. se não mudar as práticas políticas, vossa excelência pode fazer um revezamento com todos os coronéis no comando que não resolverá, pode até trazer um coronel de fora que isso só irá piorar a situação. é preciso investir no homem, na tropa, na verdadeira v a l o r i z a ç ã o! quarto: recado para os policiais civis. nada mais justo que vocês agora retribuam a ação da pmse, cobrindo o policiamento ilegalmente. porém, há uma diferença enorme! quando cobrimos os senhores nas inúmeras e incontadas manifestações e greves que realizaram, nós não tivemos antes, durante e nem depois, nenhum aumento digno e significativo como os senhores tiveram! então, deve ser por isso que somos diferentes de vocês (há um abismo) e é por esse detalhe que os senhores estão retribuindo hoje o favor que o governador fez pelo "árduo" trabalho que devem desempenhar para a sociedade! e será que a sociedade já percebeu essa diferença na qualidade dos seus serviços!? pois são eles que julgam nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos!!! soldado esclarecido. Policial militar por opção e amor. levo a defesa da sociedade como missão e tenho Deus como meu patrão!!!”.

Fonte: Infonet - blog do jornalista Cláudio Nunes.

QUEM É O COE?

A tropa de elite da PMSE, COE, é composta por policiais que agem em situações especiais, nas quais os segmentos convencionais não têm o treinamento técnico devido. Não se trata de uma tropa melhor, apenas com treinamentos diferenciados. Em Sergipe, age conjuntamente com o COPE e a Divisão de Inteligência – DIPOL, ambos, órgãos da Polícia Civil de Sergipe, fazendo frente aos mais diversos modos e segmentos do crime organizado em Sergipe e em outras Unidades Federadas, perpassando por outros Países: já foram presos, em operações desta unidade especializada, Sul-Americanos, Africanos, integrantes do PCC, Comando Vermelho, Matadores de policiais, assaltantes de bancos, etc.

Seus componentes são submetidos a pesados treinamentos, e levam consigo, numa de suas principais Filosofias a de fazer o bem e promover a legalidade sem a necessidade do reconhecimento pessoal; doutrina esta sintetizada na seguinte máxima: Guerras Sem Tréguas, Herois Anônimos. Muito do seu sucesso nas operações se deve justamente ao seu anonimato. Assim, pouco se conhece das identidades dos seus partícipes, à exceção de seu Comandante, por conta de necessidades administrativas que dispensam maiores explicações.

Na dianteira das suas operações há sempre a figura do seu Grupamento de Inteligência, orientado por um Oficial de Inteligência. Grupamento que se utiliza das mais avançadas técnicas e equipamentos para o acompanhamento destas quadrilhas organizadas.

ORDEM EXARADA PELO CPMC

Por conta da postura de recusa frente às determinações do CPMC – Comando do Policiamento Militar da Capital – em aparente repressão, no dia 13 deste mês, aquele grande comando decidiu mandar que policiais civis colocassem as viaturas do COE em pontos estratégicos de Aracaju, e, que duplas de especialistas permanecessem fazendo o policiamento ostensivo, a pé, onde aquelas viaturas fossem postas. Inicialmente por 24 horas ininterruptas, devendo haver a rendição no local, sem as mínimas condições de higiene e dignidade, fazendo-se, por lá mesmo, suas refeições e necessidades fisiológicas.

Sabendo da constância de propósito dos seus componentes, entendemos que isso é pouco, ou nenhum obstáculo para que suas missões sejam cumpridas, afinal, eles são da nossa elite miliciana. Mas o que nos provoca questionamentos é justamente se é esta a sua verdadeira missão institucional do COE. Com a palavra o seu atual Comandante, o Capitão Henrique, ou o Cel. Iunes, ex-Comandante da Especializada, hoje Comandante do CPMC; os únicos que, curiosamente, poderiam emprestar autoridade às respostas dos questionamentos levantados, portanto.

Crentes de que esta não é a sua missão, questiona-se o trato que a instituição dá a seus componentes e às prováveis complicações que desta missão possam advir. O crime organizado, por exemplo, que em algumas de suas denominações mantém “estatutos” de combate aos que se interpõem entre os êxitos de seus atos, mantém inclusive “tabelas de preços” pela morte desses agentes: O PCC, que tem ramificações em Sergipe, só para ilustrar, atualmente perde espaço em Sergipe justamente por “culpa” da conduta desses bravos combatentes. Vejamos então o flagrante descuido dessa determinação, que em verdade esconde a sua verdadeira e ácida face: UMA INJUSTA E PONTUAL REPRESSÃO À TROPA ESPECIAL, PELA SUA POSTURA TOMADA COM BASE NA LEGALIDADE. Reflitamos então:

1. A identidade desses militares foi denunciada, na contra mão da coerência, pela própria instituição que os preparou para as missões de alto risco, fragilizando-os e às suas famílias;

2. O treinamento até a exaustão, que é o que os diferencia da tropa, foi suspenso, já que todos estão empregados e dispersos pela capital, e, quando saírem do serviço, terão que se recompor física e psicologicamente para o próximo serviço;

3. Havendo uma ocorrência com refém, na qual se urgem cuidados que só esta tropa poderá dispensar; quem, em tempo hábil, conseguirá recompor a tropa especial que fatalmente estará pulverizada pela escala de serviço? O COE estará resumido a policiais revezando-se entre descanso e a escala atípica de serviço. E aqui, sentimo-nos no dever de ressaltar os males que um retardo institucionalizado poderá repercutir, citando o fatídico caso de Monte Alegre-SE. Pronto, não precisamos de mais nada, nem do Comando-Geral, para advogar em favor do reagrupamento desta Especializada;

4. Nessas mesmas condições acima: quem atenderia, satisfatória e eficientemente, a uma ocorrência envolvendo explosivos? Onde estariam estes especialistas? Difícil responder;

5. Não temos dúvidas que os policiais, que já estão em processo irremediável de fragilidade, não se negariam a atender às ocorrências nas quais são especialistas. Mas fatores há que independem de suas vontades: o cansaço mental e físico é preponderante nas soluções eficazes destas ocorrências;

6. Por fim, pergunta-se: e depois, far-se-á o quê para corrigir os erros que já estão em execução? Preparar outros e renegá-los à sorte?

Lembremo-nos que não se está valorizando componentes do COE em detrimento da restante da tropa; até porque é de lá que emanam os Especiais, e é para lá que vão os que agora agiram de forma Especial, tão-logo o movimento alcance seus principais objetos.

Assina: Um Caveira de Espírito!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

PMs VOLTAM A REALIZAR TRABALHO OSTENSIVO NAS RUAS.

Assista reportagem exibida no telejornal SE Notícias 2ª edição da TV Sergipe, onde mostra que os militares sergipanos, atendendo ao apelo da sociedade e dando voto de confiança ao Comandante Geral da PM, resolveram retornar as atividades normais.

Confira a matéria clicando no link abaixo:
http://emsergipe.globo.com/multimidia/?id=29228

POLÍCIA VOLTA A NEGOCIAR COM O GOVERNO.

Em assembléia realizada neste domingo (14), os policiais militares decidiram recuar com a ‘greve branca’ e a “operação tartaruga”, que a PM vinha realizando no Estado. No final da assembléia, os PMs decidiram voltar a conduzir as viaturas a partir desta segunda-feira (15), numa demonstração de confiança no coronel José Carlos Pedroso, comandante da Polícia Militar, que deve levar esta semana sugestões ao governador Marcelo Déda (PT), para tentar debelar a crise entre o governo e a corporação.

O capitão Samuel Barreto, presidente da Associação dos Militares de Sergipe (Assomise), afirmou na manha desta segunda feira que a policia voltará ao ritmo normal de trabalho, a partir de hoje. Samuel esteve, juntamente com outros lideres, participando da formatura que é realizada no Cefap.

O clima de paz e a decisão dos policiais voltarem as ruas para combater o crime, ocorreu por causa dos avanços nas negociações com o governo do estado. O deputado federal Jackson Barreto e o senador Antonio Carlos Valadares, participaram de uma reunião com os militares neste final de semana, o que deixou os PMs mais tranqüilos. “Eles conversaram com o governador, e garantiram que as nossas propostas irá chegar ás mãos do governador”, afirmou Capitão Samuel, bastante animado e com esperanças de que o impasse chegue ao fim.

Quanto aos policiais que estão com suas carteiras nacional de habilitação (CNHs) vencidas, Samuel disse que nenhum policial em situação irregular irá dirigir as viaturas. “Ninguém dirige com habilitação vencida. “A partir de hoje, vamos pra rua combater a criminalidade e tirar os bandidos de circulação”, disse Samuel.

Fonte: Fax Aju

Vejam abaixo, fotos da Assembléia Geral do último domingo, dia 14:

Sgt. Vieira, Cb. Palmeira e Sgt. Araújo, representantes das Associações Unidas


Cap. Samuel, representante também das Associações Unidas




Assembléia Geral do último dia 14, domingo, onde os militares resolveram garantir o São João da sociedade e também dar um voto de confiança ao Cel. Pedroso, Comandante Geral da PM/SE