terça-feira, 31 de agosto de 2010

DENÚNCIA DE ABUSOS EM QUARTEL DE BOMBEIROS EM MATO GROSSO.

A reportagem do VG Notícias recebeu uma denúncia, de um bombeiro lotado no 2º Batalhão de Bombeiros Militar de Várzea Grande (2º BBM/VG), contra o comandante tenente coronel Paulo André da Silva Barroso.

O militar que não quis se identificar, relata que trabalha como bombeiro há mais de 15 anos e se diz indignado com o atual comandante do 2º BBM/VG.
De acordo com o denunciante, o comandante usa de autoritarismo e ingerência para usar os militares em atividades particulares. Ele afirma ainda, que por conta disso há uma sobre carga para tropa. Ele denuncia ainda, que até as refeições dos soldados são controladas.

“Como trabalhar tranquilos se não somos respeitados nem ouvidos por nossos próprios superiores. Ao ponto de controlar comida, e de nos submeter a uma escala de 24 horas por 24 horas. Absurdo, pois somos seres humanos e não máquinas”, diz trecho do desabafo do militar. (confira na íntegra no final da matéria)

Outro Lado – O tenente coronel Barrosso, em entrevista ao VG Notícias negou que usa a tropa para fazer quaisquer serviços particulares. Ele ainda se identificou como uma pessoa aberta a conversações. Explicou que recebe em seu gabinete a imprensa, políticos e, principalmente, militares, “as minhas portas estão abertas, meu celular está aberto, isso é novidade para mim”, disse.

“Comida não pode ser desperdiçada, por dia mais de 40 mil pessoas morrem de fome”, declarou o comandante ao concordar que as refeições dos militares estão sendo controladas, porém, atribuiu o controle ao desperdício de alimentos.

“Tem soldado que se deixar come de quatro a cinco bifes. Tem que ter um controle maior para evitar o desperdiço e o abuso, muita comida estava sendo jogada fora. Além disso, tinha soldado, que mesmo de folga, ia no final da tarde no Batalhão para se alimentar, por isso coloquei um oficial para bater duro”, concluiu.

Quanto ao horário da escala estar sendo feita de 24/24 horas, o tenente coronel esclareceu que começou a ser cumprido hoje (26.08) por causa dos altos índices de queimadas e a medida foi implantada não só em Várzea Grande, mas em todo o Mato Grosso.

O comandante também relatou que o corpo de bombeiros de Várzea Grande trabalha com um número reduzido de trabalho efetivo. Segundo ele, para atender o município seria necessário ter 220 militares e o 2º BBM/VG tem apenas 111.

“Sou pago para trabalhar e produzir, não para ouvir ladainha de reclamão”, finalizou.

Denúncia na íntegra:

Nome: Bombeiros Indignados

Telefone: 193

Sou bombeiro a mais de 15 anos e estou lotado no 2º Batalhão de Bombeiros de Várzea Grande, e venho a público expressar minha indignação ao atual Comandante do 2º BBM, que através de seu autoritarismo e ingerência vem usando os militares do 2º BBM em atividades particulares (triatlo) sobrecarregando assim a tropa, que diferente do que dizem na tv tem pouco efetivo, pouco material e total falta de apoio do seu atual Comandante. Não levando em consideração o lado humano, deixando de lado a infra-estrutura da unidade com isso afetando a qualidade de trabalho dos seus militares,não havendo nenhuma possibilidade de diálogo o que torna o serviço estressante. Pois como trabalhar tranquilos se não somos respeitados nem ouvidos por nossos próprios Superiores. Ao ponto de controlar comida, e de nos submeter a uma escala de 24h por 24h. Absurdo, pois somos seres humanos e não máquinas.

Fonte: VG Notícias (Rojane Marta)

Nota: Não é só no Corpo de Bombeiros do Mato Grosso que ocorre isso, mas também em outros locais deste Brasil, onde, por exemplo, militares são incumbidos de buscar filhos dos comandantes em escolas.

"REFÉNS DA CRIMINALIDADE".

Editorial

As últimas notícias negativas de maior repercussão em Sergipe deságuam, sem dúvida alguma, na Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) - um gargalo indiscutível que o governador Marcelo Déda parece não ter mais tempo de transformar em um marketing positivo a iluminar o caminho para sua reeleição. Apesar de ter investido em segurança e pagar os melhores salários da história da polícia sergipana, Déda e sociedade não tiveram o retorno satisfatório.

Se o governador conseguir a reeleição, a SSP, certamente, será levada na carona de outras áreas do seu governo. Ou mesmo a reboque de outros mecanismos de praxe na política para se obter êxito nas urnas. Desta forma, é difícil imaginar um Déda satisfeito com o trabalho desempenhado pela SSP, ainda que ele diga o contrário, haverá sempre dúvida.

A Constituição vela que cabe ao governador, enquanto chefe do Executivo, a responsabilidade maior de prover segurança. Sendo assim, a sensação de impotência frente à intranquilidade ululante não encontra sintonia nos investimentos feitos pelo governo. O problema parece induzir a uma indagação: houve a falência do projeto de segurança?

O atentado contra o presidente do TRE, o desembargador Luiz Mendonça, e, por tabela, contra o seu motorista, o cabo da Polícia Militar, Jailton Batista, aconteceu num curtíssimo espaço de tempo, em uma semana mais ou menos, antes do estupro praticado por um policial militar contra uma senhora, cuja filha já havia sido estuprada pelo mesmo policial.

Praticamente, o mesmo tempo separa o terror vivido por Mendonça e Jailton do dia em que um PM matou um colega de farda na Orla da Coroa do Meio. E, por fim, na mesma semana, houve a veiculação da notícia por parte do Correio de Sergipe de que a casa de, ninguém menos que João Eloy, delegado e secretário de Estado da Segurança Pública, foi invadida por um bandido. Eloy tratou de desmentir, apesar de admitir que seu filho percebeu a presença do estranho "nos fundos da casa".

É interessante notar a gravidade dos fatos registrados num curto espaço de tempo. O sergipano se permite ao luxo de não precisar mencionar os crimes de menor repercussão registrados no mesmo período, para mostrar a indiscutível vulnerabilidade, que, aliás, justifica a grita do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Sergipe (OAB/SE), o advogado Carlos Augusto Nascimento. "Todos nós estamos reféns da criminalidade", observou, ao comentar o atentado contra Luiz Mendonça.

O que mais impressiona, entretanto, é a acomodação. Ninguém se sente seguro, mas há algo mais forte a sufocar a grita. Exceto a OAB e alguns membros da oposição, nem todos parecem enxergar a falência anunciada. A dimensão real do problema. Os últimos crimes praticados em Sergipe, inclusive o número de mortes no chamado confronto bandido x polícia, guardados a sete chaves pela SSP, podem estar alertando sobre a falência do projeto.

Evidente que jamais se deve afirmar que um atentado tem o seu lado positivo. Mas se isso tivesse amparo no mundo real, um dos argumentos a sustentar a lógica, por certo, seria o fato de o atentado contra o desembargador e o PM dizer aos responsáveis pela Segurança Pública em Sergipe que chega. Não dá mais para ficarmos no discurso.

Num estado onde a marginalidade, independente de motivação, afronta um policial que faz a segurança de um desembargador e tenta matar os dois à luz do dia, o que estaria reservado aos demais sergipanos? E se Luiz Mendonça não tivesse escapado? O motorista ainda está no hospital.

Se o governo do Estado investiu alto em segurança, e o atual secretário é quase unanimidade, por que não se tem segurança? Há algo errado. E a sociedade está pagando um alto preço pelo erro. Um preço que não tem preço: a vida em xeque.

Ou brinca-se de fazer Segurança Pública em Sergipe, ou a aptidão para combater a criminalidade parece passar distante dos responsáveis pelo ofício. O difícil é decifrar qual das duas alternativas espelha a bofetada mais violenta no rosto da sociedade.

Fonte: Universo Político

NO BLOG DA ABSMSE VOCÊ ENCONTRA AGILIDADE NA INFORMAÇÃO E AS NOTÍCIAS QUE INTERESSAM A CLASSE MILITAR. INFELIZMENTE OUTROS QUE GOSTAM DE POSTAR AS MESMAS MATÉRIAS QUE SÃO POSTADAS AQUI, CHEGAM DEPOIS.  É SÓ COMPARAR A QUANTIDADE DE VISITANES NAS PÁGINAS AQUI NA INTERNET.

FISCALIZAÇÃO DE TRANSPORTE DE CRIANÇA COMEÇA AMANHÃ.

Amanhã será iniciada a fiscalização das novas regras para o transporte de criança. A Resolução 277 do Contran, publicada em junho de 2008, determina que crianças de até sete anos e meio deverão ser transportadas obrigatoriamente no banco traseiro utilizando o dispositivo de retenção.

Segundo a norma, as crianças de até um ano de idade deverão ser transportadas no equipamento denominado conversível ou bebê conforto, crianças entre um e quatro anos em cadeirinhas e de quatro a sete anos e meio em assentos de elevação. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, as crianças até dez anos devem ser transportadas no banco traseiro.

Quem descumprir as normas referentes ao transporte de criança está sujeito a penalidade prevista no artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro, que considera a infração gravíssima e prevê multa de R$ 191,54, sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação e a retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Veja as regras para o transporte de crianças:

As crianças menores de dez anos devem ser transportadas no banco traseiro dos veículos utilizando equipamentos de retenção.

No caso da quantidade de crianças com idade inferior a dez anos exceder a capacidade de lotação do banco traseiro é permitido o transporte da criança de maior estatura no banco dianteiro, desde que utilize o dispositivo de retenção.

No caso de veículos que possuem somente banco dianteiro também é permitido o transporte de crianças de até dez anos de idade utilizando sempre o dispositivo de retenção.

Para o transporte de crianças no banco dianteiro de veículos que possuem dispositivo suplementar de retenção (airbag), o equipamento de retenção de criança deve ser utilizado no sentido da marcha do veículo. Neste caso, o equipamento de retenção de criança não poderá possuir bandejas ou acessórios equivalentes e o banco deverá ser ajustado em sua última posição de recuo, exceto no caso de indicação específica do fabricante do veículo.

No caso de motocicletas, motonetas e ciclomotores o Código de Trânsito Brasileiro estabelece no artigo 244, inciso V, que somente poderão ser transportadas nestes veículos crianças a partir de sete anos de idade e que possuam condições de cuidar de sua própria segurança.

Segundo a Resolução 277/08 do Contran:

As crianças com até um ano de idade deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “bebê conforto ou conversível” .


As crianças com idade superior a um ano e inferior ou igual a quatro anos deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “cadeirinha”.

As crianças com idade superior a quatro anos e inferior ou igual a sete anos e meio deverão utilizar o dispositivo de retenção denominado “assento de elevação”.

As crianças com idade superior a sete anos e meio e inferior ou igual a dez anos deverão utilizar o cinto de segurança do veículo.

2ª CIA / 1º BPCom RECUPERA MOTOCICLETA FURTADA NA ORLA DE ATALAIA.

Policiais lotados na 2ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Comunitária (2ª Cia/1º BPCom), apreenderam, por volta das 13h30 de segunda-feira, 30, uma motocicleta Honda CBX Twister, de cor vermelha e placa IAD 6882, que havia sido roubada no último domingo, 29, nos arcos da Orla da praia de Atalaia. O veículo foi recuperado na avenida Senador Julio Leite, no povoado Robalo, zona de expansão de Aracaju, após denúncia anônima da existência de um veículo em atitude suspeita na localidade.

Os militares dirigiram-se ao local e apreenderam o veículo que estavam em poder de Wenisson Nascimento da Silva e Edirene Santos Silva. Após consulta ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP), foi constatado que a motocicleta era de propriedade do senhor José Dantas Neto e estava com restrição roubo/furto. Os envolvidos e o veículo apreendido foram encaminhados para a 4ª Delegacia Metropolitana, no conjunto Augusto Franco.

POLICIAIS MILITARES DE SANTA LUZIA PRENDEM ACUSADO DE ESTUPRO.

Policiais militares da 2ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar (2ª Cia/ 6º BPM), lotados na delegacia de Santa Luzia do Itanhy, distante 76 quilômetros de Aracaju, prenderam nesta segunda-feira, 30, José Airton dos Santos, vulgo, “Amor”. Em seu desfavor havia um mandado de prisão expedido pela comarca do município, pela autoria de um estupro cometido contra pessoa incapaz. Os policiais militares realizaram várias buscas na cidade até encontrar o acusado, que foi levado para a delegacia do município, onde foram tomadas as devidas providências.

NOTA DE FALECIMENTO:

A ABSMSE vem se solidarizar com os companheiros Miguel Alex Couto e Rivelino Couto, auxiliares administrativos desta Associação, que perderam sua avó no dia de hoje.

O velório está ocorrendo na Cidade de Itabi e o sepultamento dar-se-á no cemitério local, às 16 horas.

Que Deus dê o devido conforto a todos os familiares e amigos, até porque Ele disse:

Eu sou a ressureição e a vida.
Aquele que crê em mim ainda que morto viverá.
E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá....
João 11:25-26

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A PARTIR DO PRÓXIMO SÁBADO O PROGRAMA FALA SEGURANÇA DA ABSMSE ESTARÁ ENTREVISTANDO OS CANDIDATOS AO GOVERNADOR DE SERGIPE.

Foto: Emsergipe.com

A partir do próximo sábado, dia 04 de setembro, o Programa Fala Segurança da ABSMSE que vai ao ar através da Rádio Jornal AM 540, estará entrevistando os candidatos ao Governo de Sergipe.

Todos os candidatos terão 01 (uma) hora para expor suas propostas para a segurança pública do Estado de Sergipe.

O Fala Segurança já enviou ofício para todos os candidatos ao Governo de Sergipe, convidando-os para participar do programa. Na próxima quarta-feira, às 10 horas, na Rádio Jornal AM, será feito o sorteio para definir a ordem dos entrevistados no programa.

Por questões de respeito à legislação eleitoral, não será permitida perguntas através do telefone, podendo os companheiros militares e demais pessoas da sociedade, enviarem suas perguntas para os candidatos através do e-mail: absmse@hotmail.com

Esperamos que os companheiros possam acompanhar as entrevistas com os candidatos a Governador, analisando as propostas de cada um e depois escolher o que melhor irá representar seus anseios.

POLICIAL PODERÁ AGORA SE APOSENTAR COM 20 ANOS DE SERVIÇO.

Os policiais civis, assim como os demais servidores públicos de todo País, que exercem atividade de risco já podem entrar com pedido de aposentadoria especial no momento em que completarem 20 anos de atividade policial. A previsão foi dada recentemente pelo Mandado de Injunção 755, ajuizado pelos advogados Roberto Tadeu de Oliveira e Fabíola Machareth, que representam a Adpesp. O voto foi relatado pelo ministro Eros Grau.

O recurso fora ajuizado para garantir um direito negado por omissão do poder público, nesse caso por falta de regulamentação da Constituição. De acordo com a advogada Fabíola Machareth, a Previdência Social publicou no Diário Oficial do dia 28/07, uma instrução normativa que só vem a corroborar com a decisão dada pelo Supremo Tribunal Federal anteriormente.

A Instrução Normativa de número 1 estende ao servidor público um benefício que já é concedido aos trabalhadores das empresas privadas, que recebem pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Em 2005, a Emenda Constitucional 47 alterou o parágrafo 4.º do artigo 40 da Constituição e passou a prever a aposentadoria especial também aos servidores. A falta de regulamentação, contudo, fez com que diversos mandados de injunção chegassem ao Supremo. Um deles foi o 755/2007 ajuizado pela Adpesp.

Atualmente, a lei estadual está derrogada na parte em que exige 30 anos de contribuição e idade mínima. Basta, portanto, cumprir o requisito de 20 anos de efetivo exercício da atividade policial, dispensando, pois, os demais requisitos.

Por fim, o advogado Roberto Tadeu explica que os interessados, que se encaixam nessas especificidades, devem entrar com pedido administrativo para requerer a aposentadoria especial. Caso seja negado, ele deverá recorrer ao Judiciário.

Fonte: Blog Policial Br

POLÍCIA PRENDE MULHER QUE ESCONDEU ASSASSINO DE CABO DA PM.

Policiais da Delegacia de Ilha das Flores prenderam na tarde de sexta-feira (27), no conjunto Bolivar, município de Ilha das Flores, Ednalva da Silva, 58 anos, conhecida como ‘Araú`, acusada pelo crime de favorecimento pessoal e posse de munição de calibre 32.

Segundo o delegado Clever Farias, a acusada escondeu por um tempo Antônio Santos da Silva, o ‘Periquito`, acusado de matar o cabo da Polícia Militar, Manoel da Silva Moura. A prisão foi possível graças a um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. "Havia a suspeita de que ela vendia munições e drogas na sua residência, fato que só pode ser confirmado parcialmente, pois não havia drogas no momento da abordagem", disse.

Ednalva encontra-se presa na Delegacia de Ilha das Flores à disposição da Justiça.

Fonte: Atalaia Agora

POLÍCIA AMBIENTAL APREENDE 110 PÁSSAROS.

Uma operação de rotina do Pelotão Ambiental no último sábado (28) resultou na apreensão de 110 pássaros silvestres, na cidade de Capela. Entre as aves foram encontrados Caboclinhos, Canários da Terra, Sabiás, entre outras espécies.

Os pássaros foram encontrados em uma casa, no momento da ação polícial o dono da residência estava negociando uma dos animas pelo valor de R$6.000 reais. De acordo com o comandante do Pelotão Ambiental, Marcelo Silva Rocha, a prática de contrabando de animais silvestres é constante em Sergipe. "Estamos intensificando a fiscalização nas feiras de Aracaju e do interior do Estado, pois o tráfico desses animais é muito comum", explicou.

Segundo a polícia, a pena para quem pratica esse tipo de crime é uma multa, que pode ser de até R$ 55.000 reais, além de responder um processo na justiça.

Fonte: Atalaia Agora

POLÍCIA MILITAR COÍBE ASSALTOS NA ORLA DE ATALAIA.

A parada gay, ralizada na orla de Atalaia, neste domingo, só não acabou em caos, graças a ação rápida e firme por parte da Policia Militar. Essa informação foi passada por telefone por um leitor do FAXAJU que faz questão de parabenizar o trabalho desenvolvido pela policia.

Segundo o leitor, um verdadeiro arrastão estava sendo realizado por marginais e vândalos que aproveitavam a descontração das pessoas e, armados de estilete, assaltavam e agrediam. “O fato só não se transformou em catastrofe, graças a ação segura dos PMs que agiram com firmeza, prendendo dezenas desses marginais. A coisa era complicada principalmente em frente ao Cariri e Amanda, mas graças a Deus e a policia, esses marginais foram tirados de circulação”, desabafou o leitor.

Fonte: Faxaju

ATENÇÃO POLICIAIS MILITARES: CENSO ESTADUAL DOS SERVIDORES ATIVOS DO ESTADO DE SERGIPE.

Os integrantes da Polícia Militar do Estado de Sergipe deverão se recadastrar, no período de 27 de agosto a 30 de setembro de 2010, no Censo Estadual dos Servidores Ativos do Governo do Estado de Sergipe. O Censo foi instituído por meio do Decreto Estadual nº 26.419 de 30 de setembro de 2009, com o objetivo de fortalecer a política de transparência e valorização dos servidores, sendo o recadastramento obrigatório para todos os servidores, efetivos e comissionados.

Até o dia 30 de setembro, os integrantes da PMSE deverão acessar o formulário online através do link que está disponível no sítio da Corporação (www.pm.se.gov.br), no lado esquerdo inferior da tela, com o título Recadastramento do Servidor Público Estadual - ou através do sítio da Secretária de Estado da Administração, através do link www.sead.se.gov.br/recadastramento. O servidor deverá preencher o documento virtual de acordo com as orientações do Manual que se encontra disponível na mesma tela.

No período previsto, qualquer militar pode acessar o link mencionado e fazer o seu recadastramento. Para acessar o formulário é necessário utilizar o número do CPF do militar e a senha que foi fornecida no contracheque de fevereiro de 2010 - esta também disponível no Setor de Conferência da Tesouraria Geral da PMSE. O Formulário do Censo é dividido em Abas para facilitar o preenchimento com as seguintes informações: Dados pessoais; Endereço; Documentos; Lotação; Dependentes; Escolaridade; Idiomas; Militares (específico para servidores militares da ativa); Armas (específico para servidores militares da ativa).

No momento em que o militar acessar o sistema, o formulário já apresentará alguns dados preenchidos com as informações existentes no Sistema atual. O militar deverá conferir as informações apresentadas e, caso não estejam corretas e atualizadas, deverá alterá-las. Caso estejam completas e corretas, deverá clicar no botão “SALVAR”, para confirmar a correção das informações. Ao responder ao censo, o militar se responsabiliza de que as informações que está prestando são verdadeiras, sob as penas da Lei.

Após a impressão do formulário, o militar não poderá mais alterar as informações inseridas, devendo assiná-lo, encaminhando para a assinatura do seu superior imediato, por isso, é recomendado que após o preenchimento completo, o documento seja salvo temporariamente, sem imprimir, para conferência das informações inseridas, uma vez que, após a impressão, o formulário somente poderá ser alterado pela 1ª Seção do Estado Maior Geral (PM-1), no momento da entrega e apresentação da documentação.

As informações prestadas pelo militar no censo serão validadas apenas pelo seu superior imediato que, somente deverá validar o cadastro de militares que efetivamente exerçam suas atividades no local de trabalho informado. O policial militar deverá encaminhar, ao seu comandante imediato, o formulário preenchido e assinado, juntamente com cópia da documentação obrigatória listada abaixo:

a) cadastro de pessoa física – CPF;

b) documento de identidade;

c) comprovante de residência atualizado, com data posterior a 1º/12/2009

d) certidão de casamento ou decisão judicial ou declaração de união estável registrada em Cartório;

e) certidão de nascimento dos filhos dependentes econômicos ou documento de tutela, curatela ou guarda judicial;

f) certificado comprobatório da escolaridade declarada, no recadastramento, devidamente reconhecido pelo MEC;

g) certificados de cursos de especialização, mestrado e/ou doutorado, devidamente reconhecidos pelo MEC, realizados a partir do ano 2000;

h) certificados de cursos de aperfeiçoamento com carga horária de, no mínimo, 40 (quarenta) horas, realizados a partir do ano 2000;

i) carteira de habilitação para servidores e empregados públicos que estejam obrigados a conduzir automóvel.

O comandante da Cia/órgão/setor deverá se dirigir à 1ª Seção do EMG, no período de 9 a 30 de setembro, para entregar os formulários com as documentações obrigatórias em anexo. A 1ª Seção do Estado Maior Geral (PM-1) estará à disposição na sede dos Batalhões, para esclarecer dúvidas que venham a surgir, de acordo com o cronograma abaixo:

2º BPM - 09 e 10 de setembro

3º BPM - 17 e 20 de setembro

4º BPM - 24, 27 e 28 de setembro

6º BPM - 14 a 16 de setembro

7º BPM - 21 a 23 de setembro

1º, 5º e 8º Batalhões - 09 a 15 de setembro

A equipe da PM-1 estará disponível no CFAP das 7h30 às 13h, para auxiliar no preenchimento do formulário. Vale ressaltar que os militares deverão estar em posse da documentação obrigatória exigida para o recadastramento.

COE DETÉM MULHER COM ARMA DE FOGO NA PARADA GAY.

Policiais do Comando de Operações Especiais (COE) prenderam uma mulher armada na noite do domingo, 29, durante a Parada Gay, na Orla da Praia de Atalaia. A moça, identificada como Eliane dos Santos, de 23 anos, foi revistada, juntamente com um grupo, durante o patrulhamento do evento.

Com a mulher, os militares encontraram um revólver calibre 38, de marca Taurus e seis munições intactas, além de dois celulares. Eliane foi detida em flagrante e encaminhada à Delegacia Plantonista, onde foram tomadas as providências cabíveis.

BOMBEIROS CONTROLAM INCÊNCIO EM BORRACHARIA NA BARRA DOS COQUEIROS.

O Corpo de Bombeiros atendeu às 23h23 deste domingo a um incêndio ocorrido em uma borracharia na Avenida Oceânica, centro da Barra dos Coqueiros, Grande Aracaju. Moradores ligaram para o Centro Integrado de operações em Segurança Pública (Ciosp) informando que uma grande fumaça preta saía da borracharia, que estava incendiando. As chamas também destruíram parte de uma loja de estofados e ameaçavam chegar a outras residências.

Três equipes do 1º GBM (Aracaju), sendo duas de Auto-bomba-tanque (ABT) e uma de Auto-combate e Salvamento (ACS) foram enviadas ao local para combater o fogo, que foi controlado durante a madrugada. Ninguém ficou ferido.

domingo, 29 de agosto de 2010

INSCRIÇÕES PARA O VESTIBULAR DA UFS VÃO ATÉ O DIA 15 DE SETEMBRO.

Iniciado às 8h do último dia 19, o período de inscrição segue até às 18h de 15 de setembro. Como nas outras edições, as solicitações serão recebidas exclusivamente pelo site da CCCV. A UFS oferece 5.260 vagas em 102 opções de cursos. O vestibular unificado - campi de São Cristóvão, Itabaiana, Laranjeiras e Lagarto - ocorrerá de 5 a 8 de dezembro de 2010.

Para participar são necessários os números do RG e CPF. Preenche-se o formulário e imprime a Guia de Recolhimento da União (GRU) . O pagamento deve ser efetuado até 17 de setembro em qualquer agência do Banco do Brasil. O PSS Geral custa R$ 70 e o PSS 2ª e 3ª séries R$ 30.

Algumas novidades farão parte deste vestibular: extinção gradativa do Processo Seletivo Seriado (PSS), mudança no horário das provas e ampliação das vagas, com o primeiro vestibular do campus de Lagarto e criação do curso de bacharelado em Física com habilitação em Astronomia, no campus de São Cristóvão.

O fim gradativo do PSS se dará a partir da impossibilidade, neste vestibular, de inscrição dos alunos da 1ª série; o mesmo ocorrendo na seleção do ano seguinte com os alunos da 2ª série, até que, no vestibular de 2013, somente poderá participar aquele que estiver cursando a última série do ensino médio ou equivalente ou que já tenha concluído o ensino médio ou equivalente.

Atendendo a uma reivindicação encaminhada pela Câmara de Vereadores de Aracaju, o horário das provas foi alterado das 8h para as 9h. A medida visa facilitar o deslocamento em tempo hábil dos alunos do interior para a capital. O tempo de duração das provas, contudo, será mantido e finalizará às 13h, somando quatro horas no total. A aplicação da redação, no último dia de provas, terá as mesmas duas horas de duração e ocorrerá das 9h às 11h.

A ampliação de vagas também é novidade: 50 para o bacharelado em Física com habilitação em Astronomia e 300 para os cursos do campus de Lagarto (Farmácia, Nutrição, Enfermagem, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional), o que totalizará 5.260 vagas em 102 opções de cursos. Os cursos de Medicina e Odontologia aguardam aprovação do Conselho Nacional de Saúde para entrarem em funcionamento. A expectativa é que ainda em agosto haja uma resposta ao pleito da UFS. Caso sejam aprovados, a universidade fará uma adequação no processo seletivo ou fará uma seleção isolada.

O BRASIL É O SEGUNDO PAÍS MAIS ESTRESSADO DO MUNDO.

No ranking, os brasileiros perdem apenas para o Japão. O trabalho é apontado como umas das principais causas do mal que atinge o país. A profissão mais estressante é a dos profissionais que trabalham na área da segurança.

Você já notou que o dia parece ter cada vez menos horas? As ruas mais carros? Estamos sempre correndo e, mesmo assim, parece que falta tempo para tudo. O almoço é rapidinho e nos enche de culpa. Mas e a nossa saúde? Olhamos esse mundo tumultuado e percebemos que a tecnologia que está a nossa volta ajuda, e muito, a correr cada vez mais.

Cadê o sossego? A privacidade? Estamos cada vez mais ligados. Num caminho que pode levar facilmente ao estresse. Complicado é sair dele. Mas respire fundo e relaxe, porque pesquisadores seguem investigando as causas mais íntimas do problema que coloca o Brasil como o segundo país mais estressado do mundo. Só perdemos para o Japão.

E a causa para tanto estresse dos brasileiros é o trabalho.

“Sem dúvida nenhuma, no Brasil, o principal fator desencadeador de estresse é o estresse ocupacional. O estresse profissional, que afeta 69% da população brasileira. As pessoas estão cada vez mais desmotivadas e insatisfeitas com seu trabalho. Em primeiro lugar, a longa jornada de trabalho está afetando diretamente o estilo e a qualidade de vida das pessoas. As pessoas têm menos tempo. O dia continua tendo 24 horas, mas a média está sendo de 12 horas de trabalho por dia”, avalia a psicóloga do International Stress Management Association (ISMA-BR), Ana Maria Rossi.

No dia-a-dia feito de assaltos, sequestros e mortes, os profissionais que trabalham na área de segurança são os que têm o nível de estresse mais alto. Em segundo lugar, aparecem os motoristas de ônibus urbanos.

Todos os dias eles fazem tudo sempre igual. O caminho é o mesmo. E, com mais ou menos trânsito, há pressão para chegar no horário, em cada parada. Mas o motorista nunca pode descer, nem se precisar ir ao banheiro. Deve seguir a rota até o final da linha.

Em segundo lugar também estão os controladores de voos. Em terceiro, aparecem quatro categorias: executivos, que vivem a angústia de não conseguir manter o emprego. Profissionais da saúde, que fazem jornadas duplas, triplas. Operadores de telemarketing, que ganham a vida ouvindo, muitas vezes, desaforos de quem atende do outro lado da linha. E os bancários, cada vez mais assustados com os assaltos e a automatização dos bancos. Em quarto lugar vêm os professores, principalmente os que desempenham funções burocráticas.

A igreja é um lugar cheio de paz, tranqüilidade, onde o tempo parece não ter pressa. É o sentimento que a maioria de nós tem quando entra em um desses templos religiosos. Mas por incrível que pareça é aqui que estão as pessoas que mais se estressam: padres e freiras não têm o nível de estresse mais elevado, mas são os que passam a maior parte do tempo estressados.

Culpa das cobranças, da falta de privacidade, do controle dos próprios fiéis. Mas eles, os padres e as freiras, têm uma arma poderosa para não deixar o problema virar doença: a fé. É ela que ajuda a manter equilíbrio, a aceitar, ter paciência e esperança.

“O padre, como as outras forças da sociedade, se preocupa em ajudar as demais pessoas. Mas é preciso olhar com carinho para quem cuida. Cuidar do cuidador”, desabafa o padre César Leandro Padilha.

Infelizmente não é todo mundo que tem fé, ou consegue respirar fundo e seguir em frente. Trocar o ritmo de vida, não é fácil. Uma pesquisa feita nas cidades de São Paulo, Porto Alegre e Belém mostrou que apenas 10% dos entrevistados conseguiram mudar de trabalho ou de carreira pelo bem da saúde.

“O desafio é que as pessoas querem mudar de vida porque elas notam que não estão bem, ou que não estão tendo o convívio com os familiares ou o estilo de vida que elas gostariam. Mas elas não querem deixar de ter nada do que elas têm”, afirma a psicóloga.

Nos homens a vontade de mudar acontece geralmente entre os 35 e 45 anos de idade. Nas mulheres o desejo de mudança vem bem mais cedo: entre os 25 e 35 anos.

“Cada vez mais a mulher está tendo posições executivas, sendo mais cobrada, ao mesmo tempo têm aquela vontade de ter filhos, ter uma família e ela fica naquela angústia, naquele dilema entre dar um tempo na sua profissão e talvez perder algumas oportunidades e poder ser mãe. E muitas vezes fazem as escolhas com muita culpa”, explica Ana Maria.

A comerciante Ilsi Gassen Boll não teve dúvidas. Deixou para trás uma carreira de sucesso na área de informática que lhe proporcionava um alto salário e trocou tudo por uma vida mais simples, mas bem mais tranquila.

Ela conta que valeu a pena: “eu estava muito bem profissionalmente, mas minha vida particular não estava tão boa. Eu comecei a perceber que estava ficando doente, muito cansada, estressada. O sucesso profissional te absorve muito. Te deixa esquecer o que, na verdade para mim hoje, é o mais importante que é minha saúde, minha vida, minha felicidade, minha alegria”.

O novo negócio funciona na casinha charmosa do ano de 1923, onde a promessa para o cliente é de uma vida saúdável, igual a da dona da casa. As mãos que antes digitavam sem parar, hoje, na cozinha, cortam verduras e legumes. Quem diria que alguém no auge de uma carreira resolveria largar tudo começar do zero em uma virada radical?

“Resolvi mudar, parei com tudo que eu estava fazendo. Parei algum tempo e foram surgindo novas propostas, novas possibilidades e então surgiu a idéia de trabalhar com alimentação natural”, conta a comerciante.

Ilsi montou uma loja de produtos naturais. Aí veio o restaurante, depois comprou um sítio para produzir os alimentos que serve. “A gente aprendeu que temos que ficar dentro do nosso limite. O objetivo principal é o nosso bem estar”, diz Ilsi. Ela é destinada a ter sucesso no que faz. A diferença é que hoje em dia sabe quando deve parar:

Com o executivo do mercado financeiro foi diferente. Ricardo Malcon, de 60 anos, não mudou totalmente de vida, mas conseguiu administrar a vida.

“Eu comecei a reduzir a carga de trabalho, comecei a eleger as coisas que eram importantes no meu trabalho, que eu não poderia deixar de fazer e as outras comecei a afastar devagarinho. Isso levou um ano, mais ou menos. Comecei a fazer academia, comecei a caminhar e fui me dando conta que era bom”, revela o executivo.

Antes, Ricardo Malcon trabalhava 14, 15 horas por dia. “Eu vinha trabalhando muito, com o objetivo de crescer mais e ganhar dinheiro. Na verdade, a gente não se dá conta de que está estressado. A gente se sente cansado, com pouca disposição para fazer as coisas e muito sobrecarregado. A sobrecarga é terrível”, conta Ricardo.

Até pouco tempo nem ele se imaginava passeando num parque no meio da tarde. Muito menos com tempo para sentar e conversar. “Tenho uma vida melhor até para minha saúde, para o meu bem estar e até para minha família”, afirma o executivo.

Fonte: Globo Repórter

RIO DE JANEIRO: CONSELHO VAI DECIDIR SE EXPULSA PMs SUPEITOS DE INTEGRAR QUADRILHA NO RIO.

Segundo Polícia Militar, decisão deve sair entre 30 e 50 dias.
PM diz que um dos oficiais julgava policiais do caso Rafael Mascarenhas.



Em nota oficial, a Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que um Conselho de Justificação formado por oficiais vai decidir se expulsa da corporação os PMs presos suspeitos de integrar quadrilha de furto de cabos de fibra ótica na Zona Sul da capital. Segundo a Polícia Militar, o conselho terá, a partir de segunda-feira (30), 30 dias - prorrogáveis por mais 20 – para decisão.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, o comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio de Brito Duarte, submeteu o conselho ao secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, que assinou imediatamente o ofício.

O conselho é formado pelo tenente-coronel César Teixeira e pelos majores Carlos Magno Azevedo e Leandro Augusto Rastero. Ainda segundo a nota oficial, uma vez concluído, o Conselho de Justificação será submetido ao secretário de Segurança que aprova e depois encaminha ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Na manhã deste sábado (28), a assessoria de imprensa da Polícia Militar confirmou que um dos oficiais presos é um capitão que julgava os PMs acusados de receber propina do caso Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, que morreu atropelado no dia 20 de julho.

A informação foi publicada no jornal "O Globo" deste sábado. Segundo a PM, o capitão foi afastado e está preso na Unidade Prisional da PM, em Benfica, no subúrbio do Rio. A prisão em flagrante foi realizada no começo da madrugada de sexta-feira (27).

Na quinta-feira (26), ele participou da audiência na Auditoria Militar, quando os PMs Marcelo José Leal Martins e Marcelo Bigon foram ouvidos no processo onde são acusados de terem aceitado propina de Rafael Bussamra, o pai do atropelado de Rafael.

O comandante da Polícia Militar, Mário Sérgio Duarte, já havia determinado, na manhã de sexta-feira, que se inicie imediatamente um processo disciplinar para a demissão de dois oficiais. Os capitães, um do 2º BPM (Botafogo) e outro do Batalhão de Choque (BPChoque), estavam na Praia de Botafogo acompanhados de nove prestadores de serviço de uma empresa de telefonia.

Investigação

Foram dois meses de investigação que mostraram que os dois oficiais davam cobertura à quadrilha. O lucro com o roubo de cabos chegava a R$ 300 mil. O grupo estaria se preparando, segundo a polícia, para furtar cabos de fibra ótica. Para não levantar suspeitas, os técnicos usavam equipamentos e uniformes como se estivessem trabalhando.

No local, quatro carros e um caminhão foram apreendidos. Segundo o delegado Alan Luxardo da 9ª DP (Catete), os furtos eram feitos sempre à noite, com o apoio dos dois policiais militares.

De acordo com a PM, o comandante da corporação não vai esperar o resultado das investigações por parte da Polícia Civil. “As evidências que se tem até agora apresentam robustez suficiente para a convicção de que os oficiais estão diretamente envolvidos neste crime”, diz a nota enviada pela PM.

Mário Sérgio ordenou que o caso seja tratado com “máxima prioridade”, “porque é inadmissível que policias pagos com dinheiro público para proteger a população e os bens privados e públicos sejam covardemente seus dilapidadores”.

Segundo a polícia, os furtos aconteciam apenas na Zona Sul da cidade. A quadrilha agia há quase um ano.

Fonte: G1

sábado, 28 de agosto de 2010

POLICIAL MORRE APÓS TROCA DE TIROS ENTRE MILITARES.

Briga entre militares teria sido provocada por causa de vaga em estacionamento

Mais um crime é registrado após desentendimentos entre militares. O policial militar, Alysson Farias de Souza, foi morto na madrugada deste sábado, 28, após uma discussão e troca de tiros com seu colega de farda, Bruno Campos Fernandes, soldado da Rádio Patrulha, no estacionamento da Orla de Atalaia, na capital.

Os militares estavam de folga e tentavam estacionar o carro para se divertir, o desentendimento começou quando os dois tentaram estacionar na mesma vaga, em seguida começaram a discutir. Bruno afirma que Alysson sacou uma arma para atingi-lo e para se proteger, teria feito o mesmo. Alysson foi atingido por um disparo e morreu na hora.

Um terceiro militar, Adriano Batista Macedo, que estava próximo ao local do ocorrido, sem vinculação nenhuma ao fato também foi atingido por um disparo, entretanto foi atendido em unidade hospitalar e não corre risco de morte. Posteriormente, com a identificação das pessoas envolvidas, constatou-se que os três integrantes eram integrantes da Polícia Militar.

O soldado Bruno Campos Fernandes permaneceu no local, inclusive acionando o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas foi preso em flagrante, mesmo alegando legítima defesa.

O corpo do militar que veio a óbito foi levado ao IML (Instituto Médico Legal), está sendo velado no Osaf e será sepultado no Cemitério Santa Izabel às 16h. O soldado Bruno foi autuado em flagrante por homicídio, na própria corregedoria da Polícia Militar, e posteriormente encaminhado ao Presídio Militar, em Aracaju, onde ficará preso à disposição da Justiça.

O comandante da Polícia Militar, coronel José Carlos Pedroso Assumpção, lamentou profundamente o fato. “A primeira impressão é de que toda esta situação teria sido causada por motivos torpes, que não justificam as atitudes. Entretanto, todas as providências previstas em lei foram e estarão sendo tomadas pela instituição, inclusive a abertura de inquérito policial militar para investigar as circunstâncias em que se deram o fato”, relatou o comandante.

Fonte: Emsergipe.com

DISCUSSÃO ENTRE PMs TERMINA EM MORTE NA ORLA.

Uma vaga de estacionamento um motivo banal, acaba em uma discussão entre policiais resultou na morte e vítimas. O fato aconteceu na Orlinha, localizado na Orla de Atalaia.

Assista matéria exibida no Jornal do Estado 1ª edição da TV Atalaia:

DISCURSÃO ENTRE POLICIAIS ACABA EM UM PM MORTO.

Confiram a reportagem exibida na TV Sergipe no telejornal SE Notícias 1ª edição, que mostra o densentendimento que houve entre dois policiais militares ocorrida na orlinha da Praia de Atalaia, que resultou na morte do policial militar Alisson Farias Souza.

Clique no link abaixo e assista a reportagem:

PM MATA COLEGA DE FARDA.

O fato foi registrado na madrugada deste sábado, 28, na Orla da capital sergipana

O assassinato foi registrado na Orlinha da Atalaia (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Um descontrole entre policiais militares terminou em duas vítimas na madrugada deste sábado, 28. De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP) o fato foi registrado por volta da meia noite na Orla de Atalaia, um dos principais cartões postais na capital, em um local mais conhecido como Orlinha.

Segundo a polícia a confusão começou quando um policial militar que trabalha na Radiopatrulha identificado como Bruno Campos Fernandes que estava na companhia de outro militar, Adriano Batista Macedo, começou a discutir com um colega de farda, Alisson Farias de Souza, por conta de um isopor que estaria impedindo a passagem do carro.

A partir desse momento a versão contada por Bruno é de que Alisson teria sacado um revólver e efetuado disparos. Para se defender o policial da Radiopatrulha teria revidado os tiros. O policial Alisson Farias de Souza, de 24 anos, que trabalhava na 4ª Companhia de Canindé do São Francisco faleceu no local.

O amigo de Bruno e também militar Adriano Batista Macedo também foi alvejado com um tiro no abdômen e foi encaminhado ao Hospital São Lucas.

O corpo de Alisson permanece no Instituto Médico Legal (IML) a informação é que será liberado ainda na manhã desta sábado,28.

Depoimento

A informação da assessoria da SSP é que tanto Bruno quanto Adriano não conheciam Alisson. Neste momento Bruno Campos está prestando depoimento na Corregedoria da Polícia e será encaminhado ao Presídio Militar (Presmil).

A equipe do Portal Infonet já está na Corregedoria e trará mais informações a qualquer momento.

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

Nota:  A ABSMSE lamenta mais uma morte de um colega militar e principalmente em um desentendimento entre dois companheiros de farda.  Pedimos aos companheiros militeres mais cautela e calma, pois temos que dar exemplo à sociedade e não ficarmos nos degladeando.  Lembrem-se que somos espelho para a comunidade, por isso, temos que andar dentro da lei e sermos exemplos de comportamente e dignidade para todos.  Reflitamos sobre isso.

Aproveitamos a oportunidade para avisar a todos os militares que o corpo do companheiro Sd. Alisson Farias de Souza está sendo velado no velatório OSAF, situado na Rua Itaporanga, nº 436, Centro.  O sepultamento está marcado às 16 horas no cemitério Santa Isabel.

BRIGA ENTRE POLICIAIS ACABA EM MORTE.

Um desentendimento envolvendo dois policiais militares acabou em morte na noite desta sexta-feira (27). A informação é de que os colegas de farda identificados como Alisson Farias e Bruno Campos estavam na Orlinha da Atalaia, por volta de meia-noite e meia, eles se desentenderam e Alisson sacou uma arma disparando contra Bruno que revidou atirando e atingindo Alisson que morreu no local. Um outro policial, identificado como PM Macêdo tentou acalmar os policiais e acabou sendo atingido com um tiro no tórax. Ele está internado no Hospital São Lucas.

Já o policial Bruno Campos foi preso em preso em flagrante e na manhã deste sábado presta depoimento a polícia, que até o momento não divulgou o motivo da briga.

O corpo de policial militar Alisson Farias está sendo velado no Osaf.

Fonte: Jornal da Cidade

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

EM CINCO MESES, MAIS DE 46 TONELADAS DE DROGAS FORAM APREENDIDAS EM FRONTEIRAS DO BRASIL.

Mais de 46 toneladas de drogas foram apreendidas durante os cinco meses em que está em andamento a Operação Sentinela, criada para criada para combater o tráfico de drogas e crimes na região de fronteiras do Brasil. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Justiça e Polícia Federal.

Foram apreendidas maconha, cocaína e pasta base da droga, crack e haxixe. Também foram encontrados mais de mil frascos de lança-perfume e 250 mil caixas de remédios falsificados, contrabandeados ou com vendo proibida no Brasil. Entre março e julho, 1.166 pessoas foram presas e 135 mandados de prisão foram cumpridos. Também foram apreendidas 148 armas, 15.482 munições, além de agrotóxicos contrabandeados ou proibidos no Brasil, dinheiro, equipamentos de informática, eletroeletrônicos e celulares.

Atuam na operação, que foi montada no final do ano passado e implementada em março deste ano, agentes da PF, Força Nacional, Receita Federal, Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal e polícias de 11 estados brasileiros que fazem fronteira com outros países. Atualmente, cerca de 1,5 mil agentes públicos estão envolvidos na ação.

Fonte: Agência Brasil

POLICIAIS MILITARES PRENDEM ADOLESCENTE COM 15 CHARUTOS DE MACONHA EM RIACHUELO.

Policiais da 3ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar (3ª Cia/2º BPCom), lotados na delegacia de Riachuelo, conduziram à unidade da Polícia Civil um adolescente de 17 anos suspeito de cometer ato infracional de tráfico de drogas no município. O cabo Souza recebeu a denúncia sobre um indivíduo que transitava em via pública com um pacote contendo entorpecente. O fato aconteceu por volta das 12h30 desta sexta-feira, 27.

Os policiais militares foram ao local identificado, na rua Sítio do Meio, e flagraram o rapaz com 15 charutos de maconha. Segundo informações da polícia, o adolescente em questão é acusado de matar um homem há três meses, durante uma festa popular ocorrida no município de Riachuelo, chegou a ser encaminhado ao Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) e foi solto após 90 dias.

Segundo depoimento do adolescente, a droga apreendida com ele seria vendida a populares na própria rua Sítio do Meio. O caso foi encaminhado à Delegacia de Riachuelo, onde permanece à disposição da Justiça.

1ª CIA / 5º BPCom PRENDE TRIO ACUSADO POR FURTO DE VEÍCULO NO MARCOS FREIRE II.

Policiais militares da 1ª Companhia do 5º Batalhão de Polícia Comunitária (1ª Cia/5º BPCom) prenderam na quinta-feira, 26, por volta das 14h50, Thiago Gomes dos Santos, Edmilson Barros da Silva e Josué Gomes dos Santos Júnior, acusados de furtar o veículo Fiat Uno, cor branca, placa policial BIN – 2130, no conjunto Marcos Freire II, Nossa Senhora do Socorro.

A ação aconteceu quando uma guarnição composta pelo aluno CFC Aquino e soldado Adfran recebeu a informação – via Ciosp 190 – de que o veículo havia sido furtado na localidade. Populares afirmaram que o trio teria ido em direção ao conjunto João Alves. Os homens foram detidos juntamente com o carro e encaminhados à Delegacia Plantonista.

Nova ação

Por volta das 18h20, a mesma guarnição policial prendeu Ernest Endrew Santos, 18 anos, e Alexsandro dos Santos, acusados de roubar objetos de duas pessoas e fugirem invadindo um estabelecimento comercial no Marcos Freire I, em Nossa Senhora do Socorro. Os homens tentaram se esconder, pois os populares pretendiam linchar a dupla. O caso foi encaminhado à Delegacia Plantonista.

MAIS UMA VITÓRIA DA ABSMSE. APÓS DENÚNCIA FEITA PELA ENTIDADE E ACIONAMENTO DO PODER JUDICIÁRIO, COMPANHIA DE CARMÓPOLIS PASSARÁ POR REFORMAS.

MAIS UMA CONQUISTA DA ABSMSE
Audiência foi realizada no Fórum da Cidade de Carmópolis e contou com a participação de gestores da ABSMSE, representantes da PMSE e da Secretaria de Administração


A ABSMSE conseguiu mais um tento na luta por melhores condições de trabalho para os militares sergipanos no dia de hoje.

No dia 12 de agosto do ano passado, a ABSMSE entregou diretamente ao Comando da Polícia Militar do Estado de Sergipe, um relatório informando as precárias condições de diversas unidades militares no interior do Estado, dentre elas a Companhia de Carmópolis.

Passado um ano da entrega do relatório, a referida Companhia ainda encontrava-se em péssimas condições, inclusive oferecendo perigo ao militares que lá trabalham, bem como à população que lá se dirigia em busca de auxílio. O prédio encontra-se com o telhado avariado, infiltrações nas paredes, janelas e portas quebradas, águas empoçadas em salas da unidade, banheiros em estados deploráveis, dentre outros problemas.

Face a estes problemas, a ABSMSE denunciou no início do mês neste blog e na imprensa, tais problemas, inclusive acionando o Poder Judiciário, através das Doutoras Lidiane dos Santos Andrade e Pollyana Mara de Castro Aguiar, respectivamente Juíza de Direito e Promotora de Justiça da Comarca de Carmópolis, que sensíveis à solicitação desta Associação, designaram audiência para o dia de hoje, às 14:00 horas, para procurar resolver a questão da reforma da Companhia.

Além das duas autoridades do Judiciário acima citadas, estiveram também presentes à audiência realizada hoje a tarde, o Cel. João Henrique Braz da Silva, Comandante do CPMI, o Maj. Kleberson Pinheiro, Comandante da 3ª CIA/2º BPM, Rivaldo do Santos, Representante da Secretaria de Estado da Administração, o Dr. Márlio Damasceno Conceição, advogado da ABSMSE, os Sargentos Jorge Vieira da Cruz e Edgard Menezes Silva Filho, Gestores da ABSMSE. Iniciada a audiência, foi reconhecida a precariedade das instalações da Companhia de Polícia daquela Cidade e onde após as colocações feitas pelas partes, ficou acordado que no prazo de 30 a 40 dias será feita a trasferência da Unidade Policial Militar de Carópolis para outro prédio localizado naquela Cidade, com o objetivo de que sejam iniciadas as obras de reforma na sede da Companhia, cuja expectativa para conclusão total da reforma da Unidade é janeiro de 2011.

Ficou constando também do termo da reunião, que caso as reformas não sejam devidamente implementadas na Companhia de Carmópolis, conforme acordado, a ABSMSE poderá propor ação judicial para garantir que tais reformas sejam concretizadas.

Desde já a ABSMSE faz questão de agradecer às Doutoras Lidiane e Pollyana pela sensibilidade e boa vontade que tiveram para solucionar essa questão, designando de logo audiência para resolver o problema. A família militar agradece imensamente pela atenção dispensada.

Confiram abaixo o termo de acordo celebrado na reunião, podendo clicar na imagem para ampliar:




ABSMSE, ESTA ASSOCIAÇÃO LUTA PELA CLASSE MILITAR.

Antes da audiência, os gestores e advogado da ABSMSE concederam entrevista ao radialista George Magalhães, na rádio Ouro Negro FM da Cidade de Carmópolis, acerca da reunião que seria realizada no fórum local.


Vejam fotos abaixo da situação da Companhia que foi denunciada:





Confiram as denúncias feitas neste blog e o acionamento do Poder Judiciário que foram postadas neste blog, clicando nos links abaixo:

http://absmse.blogspot.com/2010/08/enquanto-sede-da-secretaria-de.html

http://absmse.blogspot.com/2010/08/luta-da-absmse-por-melhores-condicoes.html

CORPORAÇÃO QUESTIONA DENÚNCIAS AO MP.

Os bombeiros que fazem parte da Associação Sergipana dos Bombeiros Militares foram ao Ministério Público Estadual (MPE) na manhã de ontem, 25, questionar as denúncias que a corporação tem sofrido por conta de alguns episódios recentes. Para os membros do Corpo de Bombeiros (CB), muitas denúncias de falta de estrutura são feitas sem nenhum fundamento. “O grande problema que estamos enfrentando hoje é uma questão política. Algumas pessoas têm feito denúncias apenas para aparecer. Ninguém consulta a gente antes de falar. A nossa ideia é poder dialogar e apresentar resultados para a sociedade”, explica o presidente da Associação, o sargento Neyme Matheus.

O Sargento Neyme ressalta que hoje o CB não vive no caos que é pregado pelos representantes de outras entidades dentro da polícia, como a Caixa Beneficente. Essa situação para os integrantes dos Bombeiros tem se tornado revoltante. “Essas denúncias ferem a corporação e a todos nós que vestimos a farda”, afirma o sargento F. Santos. Ele diz que as denúncias feitas ultimamente não têm fundamento técnico nenhum. “Somos nós que sabemos as questões técnicas e estamos preparados para falar sobre elas”, afirma.

Ele explica que no episódio do incêndio do depósito de uma loja na Avenida Carlos Bulamarqui foi dito que o carro estava vazando água, isso, segundo ele, faz parte do procedimento de contenção de incêndio. “Vazar água do carro é normal, pois é uma maneira de diminuir a pressão no carro-tanque, isso não é nem nunca foi defeito. Além disso, disseram que a mangueira estava furada. Mas sabemos que quando a mangueira fura é risco utilizá-la, nós temos reserva suficiente para repor sem prejudicar o trabalho”, ressalta o sargento Santos.

“Aquele que não detém o conhecimento acaba propagando pânico na população. A sociedade pode ficar tranquila, pois nós detemos o embasamento e os materiais para fazer nosso trabalho”, explica o sargento Lino, um dos diretores da Associação. Ele cita também que sempre há muitas críticas quando o Bombeiro recebe ajuda de empresas particulares para debelar um incêndio, a exemplo da Petrobras que sempre está presente nessas ocasiões. Mas explica que esse procedimento é normal em qualquer lugar do país e do mundo. “Todos que querem ajudar são bem vindos”, destaca Lino. Para ele, a crítica deve ser feita “desde que seja fundamentada para ajudar a corporação a crescer”.

Problemas

Um dos pontos que a Associação luta é pela descentralização das unidades dos Bombeiros. De acordo com o sargento Wayne, seria preciso a criação de novas unidades em locais estratégicos da capital, que tem crescido muito nos últimos anos. “Já existem projetos para a construção de um quartel próximo à praia, outro no Siqueira Campos, em locais que fiquem próximos para que o socorro possa chegar em tempo hábil”, afirma.

No entanto, esse projeto esbarraria na falta de efetivo, um outro problema para ser resolvido pela corporação. Segundo Wayne, o efetivo está defasado apesar da recente contratação de mais de 60 novos profissionais. “Entraram 64, mas no final do ano provavelmente 70 deles devem se aposentar”, ressalta. Esse é um problema que poderia ser resolvido com a realização de um novo concurso.

“A corporação precisa de mais, mas não estamos vivendo o caos como falam”, afirma o presidente da Associação. Ele diz que há alguns pontos negativos no dia a dia do bombeiro, mas isso não prejudica a prestação do serviço de forma direta. “São coisas que podem passar despercebidas”, acrescenta. Ele ressalta que com a aquisição de novos veículos e equipamentos, que foram entregues no último dia 18, o Corpo de Bombeiro em Sergipe, passou a ser considerado o melhor do Norte e Nordeste.

Fonte: Jornal da Cidade

Nota: A ABSMSE lamenta que o companheiro Neyme da Associação Sergipana dos Bombeiros Militares de Sergipe ache que esta entidade queira feria a corporação Bombeiro Militar com as denúncias que apresenta.

Gostarámos de registrar que em momento alguma a ABSMSE faz denúncias infundadas, pois sempre as faz com provas e baseadas também em fotos. A ABSMSE também luta por melhores condições de trabalho para os bravos soldados do fogo, prova disso foram as precárias condições que foram denunciadas em tempos passados, como por exemplo as condições das sedes do Corpo de Bombeiros espalhadas pelo Estado, que estão ainda em situações precárias. Outra prova é a questão do GMAR na orla da Praia de Atalaia que não oferecia condições dignas para os bombeiros que lá trabalhavam, poderem desempenhar a contento seus serviços em prol da sociedade, fato inclusive que gerou a interdição do local por parte do Ministério Público Estadual, após denúncia da ABSMSE, tendo sido determinado pelo Órgão Ministerial a reforma do prédio. Quando do incêndio no centro da Capital Sergipana, os Bombeiros tiveram que usar um caminhão da Energisa, porque a escada magiros não possui condições de uso, bem como mangueiras estavam furadas, o que foi noticiado pela imprensa, bem como, não existiam máscaras de oxigênio sendo usadas pelos profissionais do fogo.

Infelizmente, a ABSMSE não se acovarda na luta em defesa da classe militar, tanto é que elogiou a aquisição de lancha e caminhões tanque por parte do Estado, mas continuará a cobrar melhores condições de trabalho aos bravos e competentes bombeiros militares.

Deixamos uma pergunta: se a ABSMSE fizesse denúncias irresponsáveis como quer afirmar o companheiro Neyme na entrevista acima, por que o Dr. René Erba, Promotor de Justiça, oficiaria esta Entidade para saber em que condições se encontra o Corpo de Bombeiros do Estado de Sergipe? Deixamos a resposta e reflexão para os companheiros Bombeiros Militares, afinal, não se atira pedra em árvore que não dá fruto.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

PARECE PIADA, MAS É A PURA REALIDADE NA NOSSA PMSE.

BOMBEIROS ATENDEM PRINCÍPIO DE INCÊNDIO NA AVENIDA COELHO CAMPOS.

O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) atendeu, entre às 6h de quarta-feira, 25, e às 6h de quinta-feira, 26, a 65 chamadas encaminhadas ao Corpo de Bombeiros.

Às 21h27 desta quarta-feira, os bombeiros foram chamados para controlar um princípio de incêndio em um apartamento de um condomínio na Avenida Coelho e Campos, bairro Getúlio Vargas, zona central de Aracaju.

Uma das moradoras havia esquecido um ferro de passar ligado em cima da mesa e isto fez com que uma das cortinas pegasse fogo. Os vizinhos ao perceberem a fumaça, telefonaram aos Bombeiros, que enviaram três equipes do 1º GBM e chegaram ao local.em cerca de 5 minutos. O fogo foi rapidamente controlado, sem deixar vítimas.

EPMon PRENDE DUPLA SUSPEITAT DE TRÁFICO DE DROGAS.

Policiais do Esquadrão de Polícia Montada (EPMon) realizavam o patrulhamento ostensivo montado no Centro da capital, na madrugada da última quarta-feira, 25, quando se depararam com um homem e uma mulher que apresentavam atitude suspeita. Os militares submeteram o casal à revista e identificaram 10 pedras de crack, um canivete e a quantia de R4 28 reais em poder dos suspeitos.

O fato ocorreu por volta da 1h55, na rua Santa Rosa, no Centro da capital. Os envolvidos, identificados como Jemisson Gomes Teixeira, de idade e profissão não reveladas, e Magna Lima Barbosa, garota de programa, de 31 anos, foram conduzidos à Delegacia Plantonista, juntamente com o material apreendido, a fim de que fossem adotadas as devidas providências.

GLOBO RECONHECE PRESSÃO DO GOVERNO CONTRA A PEC 300.

O jornal O Globo nos ouviu e reconheceu na edição desta quarta-feira (dia 25 de agosto) o que temos alertado diuturnamente neste blog aos trabalhadores da Segurança Pública do Brasil: a PEC 300 não teve sua votação concluída na Câmara dos Deputados porque o governo não se interessou em ver a proposta aprovada.

Por meio de uma nota intitulada “Dilma implodiu a PEC 300”, o periódico declara que a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, atuou de forma decisiva para impedir que o segundo turno da PEC 300 fosse votada no esforço concentrado da semana passada.

Essa informação só reforça o que vem sendo dito neste espaço há semanas. O governo insiste através de Temer e Vaccarezza em não quer votar a PEC 300. O resto é conversa...

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), chegou a divulgar nota na semana passada responsabilizando a invasão legítima e democrática de bombeiros, policiais e agentes penitenciários pela não votação da PEC 300.

E agora? Será que Temer, candidato a vice na chapa encabeçada por Dilma, terá coragem de admitir que não colocou a PEC 300 porque o governo não quer ver essa matéria aprovada? Como ele consegue conciliar o cargo de presidente da Câmara dos Deputados e candidato à vice-presidente da República? Resposta: não consegue. Porque se atuasse de forma a defender os interesses da instituição Câmara dos Deputados, a PEC 300 já teria sido votada há muito tempo.

Contudo, não podemos desaminar. A imensa maioria dos deputados quer votar a PEC 300. Tenho certeza de que, apesar das resistências, a PEC 300 será uma realidade em pouco tempo. Não há mais como retroceder em nossas conquistas. Eles podem adiar, mas não conseguirão impedir essa vitória dos trabalhadores da Segurança Pública.

PEC 300 já! A união é a nossa força.

Fonte: blog do Capitão Assumção

REFORMAS EM DELEGACIAS SÃO FEITAS SEM PLANEJAMENTO E NÃO GARANTEM SEGURANÇA.

"Nenhuma polícia do mundo dará solução aos casos de violência provocados pelas desigualdades sociais e descaso com a situação dos menos favorecidos". O pensamento, tão lúcido quanto preocupante, é o presidente da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado de Sergipe, o delegado de carreira Kássio Viana. Nesta entrevista, ao portal Universo Político.com ele comenta a ‘portaria da mordaça' imposta pela Superintendência da Polícia Civil, que feriu os direitos do delegado Paulo Márcio, mas foi desmoralizada na Justiça, aponta problemas na Segurança Pública, como as reformas em delegacias, que são feitas, segundo ele, sem planejamento e ainda a forma afrontosa como se dão algumas transferências de delegados de uma delegacia para outra. "Não há um planejamento estratégico nem critérios adequados e definidos para a lotação de delegados e demais servidores nas unidades da Polícia Civil. Tem muita gente contrariada com as transferências, mas, apesar de receberem nosso apoio, preferem o silêncio com receio de eventuais retaliações", diz. A entrevista:

Universo Político.com - Como o senhor acompanhou a decisão do Tribunal de Justiça, que concedeu liminar favorável ao delegado Paulo Márcio na polêmica questão da chamada "portaria da mordaça"?
Kássio Viana - Assim que ficamos sabendo dos procedimentos instaurados contra o colega e associado, Paulo Márcio, colocamos à sua disposição os nossos advogados, para que a situação fosse resolvida da forma mais rápida possível. Sabíamos que não havia qualquer razoabilidade jurídica nos citados procedimentos e, como as coisas não foram resolvidas no âmbito interno, tivemos que recorrer ao judiciário, e assim faremos toda vez que o direito de qualquer associado for violado. Vale lembrar, que existe um procedimento equivocado na Corregedoria de Polícia Civil contra uma colega que completará um ano e até a presente data, salvo notícias recentes, nada foi feito, além da portaria de instalação. Caso a colega queira uma certidão negativa de procedimento na Corregedoria, não será possível em razão da inércia do órgão.

U.P. - Com a decisão, o senhor espera um comportamento mais amistoso da Superintendência da Polícia Civil frente aos delegados de polícia?
K.V. - A relação da atual chefia da Polícia Civil como a Associação e Sindicato dos Delegados de Polícia é respeitosa. Entretanto, a nosso sentir, algumas das suas decisões têm causado uma vulnerabilidade da nossa carreira. Os procedimentos acima citados podem ser mencionados como exemplos. Felizmente, não é comum a imprensa sergipana divulgar qualquer notícia que desabone a conduta moral dos delegados de polícia do nosso Estado. Somos uma turma jovem, competente e honesta. Assim, para nós, delegados de polícia, ocupar a posição de investigado na Corregedoria é muito constrangedor, e isto é agravado quando não há razão nenhuma para o procedimento. Esperamos que a cúpula da Polícia Civil faça uma reflexão sobre os problemas relatados, para que a legislação pátria e direitos e garantias individuais sejam preservados.

U.P. - Alguns delegados reclamam da forma como são transferidos de delegacias. Como o senhor avalia a postura da Superintendência da PC neste aspecto?
K.V. - A forma em que os delegados e demais servidores são transferidos chega a ser afrontosa. Sabemos como gestores desta Polícia Civil que em determinados casos ajustes são necessários para que o trabalho flua de forma eficiente. Contudo, a quantidade de transferências, sobretudo no interior do Estado, revela que não há um planejamento estratégico nem critérios adequados e definidos para a lotação de delegados e demais servidores nas unidades da Polícia Civil. Por outro lado, para os que recordam, ainda que de forma superficial, dos ensinamentos de Direito Administrativo, a necessidade de fundamentação em todos os atos, sobretudo dos discricionários, é imprescindível para a preservação dos princípios constitucionais da legalidade, impessoalidade, eficiência, publicidade e moralidade. Como membro eleito do Conselho Superior de Polícia, fiz um requerimento para que todas as transferências fossem devidamente motivadas. A partir de então, as Coordenadorias das Delegacias do Interior e da Capital têm apresentado, a meu ver, fundamentações bastante precárias na tentativa de justificar as remoções. Vale lembrar, que no Estado da Bahia, bem como em outras unidades da federação, para que um delegado de polícia seja transferido de uma unidade para outra, o superior hierárquico deve fundamentar de forma objetiva e clara, elencando os motivos reais da remoção. Assim, várias transferências foram anuladas no poder judiciário daquele Estado em razão da ausência de fundamentação adequada. Aqui em Sergipe, a primeira vez que o Judiciário foi provocado, a remoção do agente de polícia foi anulada por falta de fundamentação. Tem muita gente contrariada com as transferências, mas, apesar de receberem nosso apoio, preferem o silêncio com receio de eventuais retaliações.

U.P. - Em via de regra, os sergipanos têm sentido a sensação de intranquilidade, sobretudo depois que o presidente do TRE sofreu um atentado, e o seu motorista passou a correr risco de morte no leito de um hospital. Como o senhor avalia a segurança oferecida aos sergipanos?
K.V. - Acredito que a Segurança Pública tem evoluído em nosso estado em vários aspectos. Ao chegar em Sergipe, no início do ano de 2003, fui trabalhar na cidade de Tobias Barreto, onde encontrei uma Delegacia totalmente desestruturada. Não tínhamos Internet, armas e viaturas apropriadas. Os delegados, agentes, escrivães e policiais militares tinham salários ruins. Hoje, contamos com uma frota de veículos novos, armamentos adequados, algumas unidades em melhores condições de trabalho, o salário dos delegados melhorou e, no atual governo, os salários dos agentes, escrivães e policiais militares passaram a ocupar a segunda colocação ranking dos salários das policias brasileiras. Entretanto, Segurança Pública não se faz apenas com a polícia. A responsabilidade é de todos. Precisamos fazer um trabalho conjunto com todas as Secretarias de Estado para evitarmos que os jovens sejam lançados no "mundo do crime". Cobrar da Secretaria de Segurança Pública a resolução dos problemas de violência é desconhecer totalmente o assunto. Da Polícia Civil, deve-se cobrar elucidação de crimes - o que fazemos com maestria. E da Polícia Militar um patrulhamento eficiente em todas as localidades. Todavia, nenhuma polícia do mundo dará solução aos casos de violência provocados pelas desigualdades sociais e descaso com a situação dos menos favorecidos. Polícia trata apenas do que não deu certo nas ações do Estado e da família. Quanto ao caso do atentado, aguardemos a finalização das investigações e não tenho dúvida de que será mais um crime elucidado pela nossa Polícia Civil com a eficiência e agilidade de sempre.

U.P. - O que pode ser feito para se tenha a criminalidade ao menos em níveis suportáveis?
K.V. - Acredito em investimento social em áreas de risco. A maioria das pessoas que entram na vida criminosa o faz de forma involuntária e são levados pelas precárias condições de vida e relações sociais experimentadas desde a infância. O combate intenso à criminalidade, com prisões, e até mortes de delinquentes por si só, não são capazes de reduzir os índices de violência, ao contrario, às vezes até aumentam. O Rio de Janeiro tem criado Unidade de Polícia Pacificadora e tem revelado uma eficiência interessante na instalação da paz. A ação policial enérgica é necessária em algumas situações, mas avaliar Segurança Pública apenas sob o ponto de vista das ações policiais é uma demonstração de cegueira. Precisamos melhorar as condições de vida dos bairros carentes, calçar e iluminar as ruas, investir em saneamento básico, incentivar a cultura, educação e o esporte. Isso já deu certo em Chicago e Bogotá, há de dar certo aqui também.

U.P. - Um policial que disputa as eleições deste ano sugeriu, no horário eleitoral da TV, que a polícia passe a ser recompensada pela apreensão de crack, e observou que isso acontece com armas. Na sua opinião, isso não pode passar à sociedade que há policial fazendo corpo mole, já que uma gratificação, em tese, aumentaria, a produção da polícia?
K.V. - Os agentes, escrivães e policiais militares ocupam o 2º lugar no ranking dos salários do Brasil. Ainda assim, precisam de estimulo para a apreensão de crack? Acho que todos os servidores públicos merecem salários dignos e condições de trabalho para o exercício das suas funções. Não somos mercenários, somos policiais. O salário ruim desestimula, mas tenho dúvidas de que o aumento salarial gere, necessariamente, o aumento da eficiência do trabalho.

U.P. - A classe de delegados de carreira tem hoje o valor que merece ou o próximo governador precisa resolver também este problema?
K.V. - Acho que, na Segurança Pública, o governo do Estado se concentrou em algumas carreiras nos últimos quatro anos e deve dar mais atenção a outras, nos próximos anos. Houve um melhoramento significativo na remuneração dos agentes, escrivães, Polícia Militar, gestores públicos, procuradores do Estado, defensores públicos dentre outros setores do Estado. Ressalte-se, que de todas as carreiras citadas, apenas os policiais trabalham no regime de 40 horas semanais. As demais trabalham 30 horas. No caso dos delegados, ocupávamos a 5ª colocação nacional, e hoje estamos na 16ª mais bem pagos do País. Acredito que o próximo governo vai ter a sensibilidade de reconhecer de forma concreta a nossa categoria, que tem demonstrado coragem, eficiência, honestidade e agilidade na elucidação dos crimes ocorridos em nosso Estado, e na prestação de um serviço público notável.

U.P. - As delegacias oferecem estrutura para o delegado, escrivão e agente trabalharem?
K.V. - Enfrentamos um problema sério com a falta e má distribuição dos agentes e escrivães de Polícia Civil. Temos cerca de 200 agentes e escrivães e 60 delegados de polícia tomando conta de todo o interior do Estado. A capital possui cerca de 80 delegados e mil agentes e escrivães. O concurso é urgente e a remessa de servidores ao interior é indispensável para que a Polícia Civil trabalhe adequadamente. Entretanto, apesar do número reduzido, o interior tem sofrido um esvaziamento paulatino, no que diz respeito aos agentes e escrivães.

U.P. - Há um número suficiente de policiais por plantão, ou as delegacias estão vulneráveis?
K.V. - A maioria das Delegacias de Polícia funciona de forma precária. Os servidores trabalham, na maioria das vezes, em locais que não oferecem o mínimo de condições higiênicas. As recentes reformas servem apenas de consolo. São feitas sem qualquer planejamento e não garantem a segurança e nem o conforto necessário aos servidores e a população que é atendida. Mas já é uma evolução. A título exemplificativo, durante o período de dois anos em que esteve no comando do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, a desembargadora Marilza Maynard construiu praticamente um fórum de primeira qualidade em cada cidade do interior de Sergipe. Quantas delegacias planejadas foram construídas nos últimos 10 anos? Creio que não passam de 10 unidades em todo Estado. Assim fica difícil, não é?

U.P. - A superlotação ainda é um problema registrado dentro das delegacias de Aracaju?
K.V. -A questão dos presos nas Delegacias de Polícia gera dois problemas graves. Primeiro, atrapalha o trabalho realizado pelos agentes, por ficarem atarefados com o serviço de carcereiro. Segundo, é um desrespeito aos direito dos presos que não podem ser submetidos ao tratamento que lhes são oferecidos nas celas das nossas delegacias. A prisão retira do preso apenas a liberdade. O Estado tem que garantir a sua dignidade. Enquanto em alguns Estados não existe mais presos em delegacias, Sergipe segue em descompasso com a evolução, ampliando suas celas em unidades de polícia investigativa. A Polícia Federal, por exemplo, seguindo a tendência moderna, não possui qualquer cela na unidade de Aracaju. A Secretaria de Justiça, por sua vez, faz de conta que o problema não é daquela pasta.

Fonte: Universo Político (Joedson Telles)