terça-feira, 30 de novembro de 2010

NÓS NÃO DESISTIMOS.

SEGURANÇA PÚBLICA É UM PROBLEMA NACIONAL.

A afirmação é do deputado federal Mendonça Prado

Em Brasília, o democrata Mendonça Prado fez uso da tribuna da Câmara Federal para enfatizar que os problemas de segurança pública ocorridos no Rio de Janeiro são de responsabilidade nacional. Na última semana de novembro, o Estado carioca foi palco de uma guerra civil, envolvendo traficantes, policiais e fuzileiros militares. A operação de libertação das favelas na Vila Cruzeiro e no Complexo do Alemão foi um momento histórico no combate ao crime na cidade e no país.

De acordo com o parlamentar, existe uma grande possibilidade de situações semelhantes ocorrerem em outros Estados. “Acompanhando os comentários feitos por especialistas na área de segurança, verificamos que há, sem sombra de dúvida, um risco iminente dessas modalidades criminosas se espalharem por todo o território nacional. Portanto, essa lamentável situação divulgada pelos mais diversos veículos de comunicação diz respeito a todos os brasileiros”, afirmou.

Parlamentar sergipano, Mendonça Prado atentou para o aumento constante dos índices de criminalidade no Nordeste. “Em nossa região, estamos percebemos a chegada do tráfico de droga. E a origem é justamente os agentes do crime do Rio de Janeiro, que distribuem drogas para todo o Brasil”.

O deputado federal relembrou a importância de se discutir e aprovar no Congresso Nacional projetos relacionados à reforma do Código Penal, a políticas públicas na área de segurança e, principalmente, a PEC 300, que trata da remuneração salarial dos policiais e dos bombeiros militares. “Esta proposta nada mais é do que a criação de um fundo, no âmbito do Governo Federal, para transferir recursos aos Estados e, assim, compartilhar com eles obrigações no que se refere ao pagamento dos policiais e dos bombeiros militares”, explicou.

Por fim, Mendonça fez uma avaliação da política salarial no Estado do Rio de Janeiro. “Como pode um soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro combater a criminalidade, colocar em risco a sua vida e a dos seus familiares ganhando irrisórios mil reais? É inadmissível que um Estado como o Rio de Janeiro, que praticamente recebe 80% dos royalties oriundos da exploração do petróleo, fora a arrecadação dos seus próprios tributos e as transferências constitucionais da União para a realização de investimentos, pague apenas mil reais a um soldado!”

Fonte:  Assessoria de Imprensa

RIO DE JANEIRO: PM ESTIMA PERDAS DO TRÁFICO EM AO MENOS R$ 100 MILHÕES COM OCUPAÇÃO.

O comandante-geral da Polícia Militar do Rio, Mario Sergio Duarte, estimou em ao menos R$ 100 milhões o prejuízo financeiro causado ao tráfico do Rio com a operação de ocupação do Complexo do Alemão (zona Norte).

Duarte definiu a cifra como "uma paulada" nas finanças do tráfico.

"As estimativas da Polícia Militar nos indicam que o impacto de perda de drogas, armas, das próprias casas que eles abandonaram, é de mais de R$ 100 milhões, só ali no Alemão. Como nós ainda temos muita coisa para fazer pela frente, nós ainda teremos um impacto financeiro muito maior."

O comandante não quis estimar o quanto esse impacto significa em termos proporcionais.

Reportagem publicada no domingo pela Folha divulgou estudo do economista e professor do Ibmec-RJ Sérgio Ferreira Guimarães, pelo qual o tráfico movimenta entre R$ 317 milhões e R$ 633 milhões por ano no Rio.

Consideradas essas cifras, a operação no Alemão teria afetado ao menos 15% do faturamento anual do tráfico.

"Eles estão com as duas pernas quebradas. Não têm como se reestruturar. Qual empresa consegue se estruturar depois de perder R$ 100 milhões? Não tem condição de se levantar mais. Tem alguns focos e a gente vai combater esses focos não só dessa facção, mas de todas as outras que estão trazendo insegurança para as comunidades. A gente vai bater e vai bater pesado", disse o chefe operacional do Estado Maior da PM, coronel Álvaro Rodrigues Garcia.

FORÇAS ARMADAS

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), assinou na manhã de hoje o pedido formal ao Ministério da Defesa para a permanência das Forças Armadas no Estado até outubro de 2011.

"Eu assinei agora pela manhã um documento solicitando tropas de paz do Exército para que nossa polícia possa continuar fazendo o trabalho de inteligência", afirmou Cabral em entrevista no lançamento de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) no morro dos Macacos. Segundo ele, o Ministério da Defesa deve emitir a norma até amanhã.

"Nós combinamos não especificar o número, deixar isso a cargo deles porque há toda uma lógica militar que precisamos respeitar", disse.

Ontem, Cabral havia estimado em seis a sete meses a permanência dos militares, embora a Polícia Militar acredite poder fazer a transição em menos de quatro meses.

OCUPAÇÃO

O Alemão foi ocupado domingo (28), com o apoio das Forças Armadas, praticamente sem resistência dos traficantes. Na quinta-feira, policiais já tinham entrado na Vila Cruzeiro, favela vizinha ao complexo. As ocupações ocorreram após uma série de atentados ocorridos na cidade, que resultaram em mais de cem veículos queimados.

Para as autoridades, os ataques criminosos foram uma retaliação dos traficantes contra a instalação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) nos morros e favelas.

Desde o início das ações violentas, cerca de 50 pessoas morreram durante as operações policiais. Mais de 30 toneladas de drogas foram apreendidas.

Fonte: Folha.com (Rodrigo Rötzsch e Felipe Caruso)

VEJAM VÍDEO QUE MOSTRA O INÍCIO DA OPERAÇÃO POLICIAL DE INVASÃO AO MORRO DO ALEMÃO NO RIO DE JANEIRO.

OAB SERGIPE VAI RECORRER DE DECISÃO PARA GARANTIR ATENDIMENTO PEDIÁTRICO.

Além destas medidas, o presidente da OAB/SE informa que a entidade fará um minucioso relatório sobre a situação pediátrica no Estado de Sergipe

O Conselho Seccional da OAB/SE autorizou a diretoria da entidade a ingressar com ação civil pública contra os hospitais que oferecem atendimento de urgência e emergência que se recusam a prestar atendimento pediátrico em Sergipe. O assunto foi debatido amplamente em sessão ordinária do Conselho Seccional da OAB/SE com participação, inclusive, de representantes dos Conselhos Federal e Regional de Medicina, respectivamente CRM e CFM.

No entendimento da OAB/SE, ao contrário da interpretação de alguns juízes de Direito, os hospitais são obrigados a cumprir as resoluções do Conselho Federal de Medicina. Entre as resoluções, a 1451/95, estabelecendo que, enquanto unidades habilitadas para prestar atendimento de urgência e emergência, os hospitais são obrigados a ofertar cinco especialidades básicas, entre elas a pediatria. A OAB/SE entende ainda que o Poder Judiciário no Estado equivocou-se ao conceder liminar em favor dos hospitais que se recusam a oferecer os serviços de pediatria pela falta de lucratividade.

Os hospitais suspenderam o atendimento pediátrico sustentados em decisão liminar fundamentada, interpretando que as Resoluções do Conselho Federal de Medicina não têm legitimidade para dar ordenamento à prestação dos serviços de saúde no país. A OAB/SE questiona este argumento, fundamentando-se na Lei 6839/80, que dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do exercício de profissões.

Na ótica da OAB/SE, os hospitais devem seguir as orientações e regulamentações direcionadas pelo Conselho Federal de Medicina. “O registro de empresas e a anotação dos profissionais legalmente habilitados, delas encarregados, serão obrigatórios nas entidades competentes para a fiscalização do exercício das diversas profissões, em razão da atividade básica ou em relação àquela pela qual prestem serviços a terceiros”, enaltece o artigo primeiro da referida Lei. “Portanto, a legislação federal dá amparo ao Conselho Federal de Medicina e os hospitais devem seguir as suas resoluções”, considerou a advogada Angélica Resende, coordenadora de Saúde da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE.

Direito do Consumidor

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SE, Winston Neil, também se manifestou assegurando que, ao suspender o atendimento pediátrico, os Planos de Saúde e os próprios hospitais ferem o Código de Defesa do Consumidor (CDC). “O atendimento pediátrico está incluso no conceito fornecedor explícito no CDC. Fornecedor, de acordo com o CDC, se estabelece em qualquer atividade exercida no mercado mediante remuneração”, explica Neil. “O artigo sétimo do CDC fundamenta para que hospitais prestem serviços adequados de pediatria”, entende o presidente da Comissão de Direito do Consumidor da OAB/SE.

A advogada Glícia Salmeron, representante do Conselho Federal da OAB no Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), também não tem dúvida que, ao se recusarem a prestar o atendimento pediátrico, os hospitais também agem em confronto com as normas estabelecidas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), consagrado como guardião dos direitos deste segmento populacional.

O presidente da OAB/SE, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, classifica como grave a crise que se instalou devido à suspensão do atendimento pediátrico nos hospitais privados, que tem contribuído para superlotar a rede pública, que também passa por grande deficiência. Para solicitar o cumprimento da Resolução1451/95 do Conselho Federal de Medicina (CFM), que obriga os hospitais de urgência e emergência a disponibilizar atendimento pediátrico, a OAB/SE ingressará com ação civil pública na Justiça Federal e vai se habilitar para atuar como assistente em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual, que está em tramitação no Tribunal de Justiça de Sergipe.

Além destas medidas, o presidente da OAB/SE informa que a entidade fará um minucioso relatório sobre a situação pediátrica no Estado de Sergipe e vai encaminhá-lo à Agência Nacional de Saúde, ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, ao Conselho Federal da OAB, Conselho Federal de Medicina e aos Conselhos Nacional, Estadual e Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, respectivamente Conanda, CEDCA e CMDCA, para que haja uma somação de esforços na busca de soluções para este conflito, que tem deixado toda a população desesperada em Sergipe.

Também participaram da sessão ordinária da OAB/SE, o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina, Paulo Amado Oliveira, que também representa o Conselho Federal de Medicina, e Roberto Mellara, conselheiro do CRM. Ambos expressaram preocupação com a grave da situação que se instalou diante da ausência da oferta dos serviços pediátricos nos hospitais sergipanos.

Fonte: OAB

BOMBEIROS REALIZAM ATIVIDADE PELA VALORIZAÇÃO DA PROFISSÃO.

Na manhã desta terça-feira, 30, bombeiros sergipanos realizam uma corrida em prol da valorização da categoria. O grupo saiu, por volta das 7h30, do Palácio dos Despachos, rumo à Praça Fausto Cardoso.

Ao final do percurso, os bombeiros fazem uma apresentação na praça, mostrando aos cidadãos a importância do papel do Corpo de Bombeiros para a sociedade. Em seguida, o grupo segue até a Assembleia Legislativa.

Além de divulgar o trabalho da corporação, os bombeiros também reivindicam o cumprimento da Lei 6886 / 2010, que torna obrigatória a contratação de bombeiros civis em empresas onde haja grande circulação de pessoas.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

APÓS PROTESTOS DE POLICIAIS MILITARES, PISTOLEIRO “BILI” TERIA SIDO TRANFERIDO DO HPM.

Após repercutir a noticia veiculada pelo FAXAJU, que um dos participantes do atentado ao desembargador Luiz Mendonça, o pistoleiro Alessandro, o “Billi”, estava internado no Hospital da Policia Militar (HPM), e ocupando a mesma suite em que foi atendido o cabo Jailton, os policiais militares revoltados, protestaram e na manha desta segunda-feira (29), a ABSMSE, oficiou o comando da PM, pedindo a retirada de “Billi” daquele hospital.

Por volta das 11 horas de hoje, o pistoleiro foi transferido para um outro hospital, segundo uma fonte que pediu para não ser identificada, porem até o momento, a SSP não informou para qual hospital ele foi levado. A redação entrou em contato com a assessoria da SSP e lá a informação que há, é que Billi continua internado no HPM, porem segundo declarações do diretor do HPM, em entrevista na manha desta segunda, o pistoleiro teria sido atingido por um tiro no dedo esquerdo da mão e no pé e que provavelmente deixará a unidade na tarde desta segunda-feira (29), o que já pode ter ocorrido.

O Pedido - Os gestores da ABSMSE, oficiaram na manha desta segunda-feira (29), o Comandante Geral da Policia Militar, coronel Pedroso, no sentido de que o mesmo tome providências para que o pistoleiro Alessandro, vulgo Bili, preso na ultima quinta-feira, por ter participado do atentado ao presidente do TRE/SE, Luiz Mendonça, e que encontra-se internado no Hospital da Policia Militar (HPM), ocupando o mesmo leito que foi utilizado pelo Cabo Jailton, o qual fora atingido durante o atentado, seja encaminhado para outro hospital, visto que, policiais militares encontram-se revoltados com o tratamento diferenciado a uma pessoa que “desmoralizou a segurança pública do Estado de Sergipe”.

A ABSMSE, através de seus gestores, deixa claro que “é direito do preso ter o devido atendimento médico, mas não no Hospital da própria corporação”, onde o militar, por exemplo, se não tiver a carteira do IPESAÚDE, não pode ser atendido, “então por que este pistoleiro ter essa regalia?”, questionam os gestores. “Que o mesmo seja encaminhado ao HUSE ou outro hospital público devidamente escoltado, mas não na nossa casa”, explicam.

Fonte: Faxaju (Munir Darrage)

PISTOLEIRO É TRANSFERIDO DO HPM.



Graças à pressão da imprensa local, o pistoleiro Alessandro Souza Cavalcante, o Billi, acusado de atentar contra a vida do desembargador Luiz Mendonça e de alvejar o cabo da Polícia Militar, Jailton Pereira, deixou o Hospital da Polícia Militar (HPM), na manhã de hoje. Billi foi atingido com dois tiros nos pés, no momento da prisão, no estado de Pernambuco.

Gestores da Associação Militar de Sergipe lamentaram que o pistoleiro estivesse internado na mesma suíte que o cabo Jailton Pereira ficou. "O Bili é o algoz. Um policial militar que não tem o Ipes acaba indo para o Hospital João Alves Filho”, afirmou sargento Vieira, um dos gestores da Associação.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, João Eloy, a escolha do HPM deveu-se a questões de segurança, uma vez que o Hospital é considerado o mais seguro contra fugas. O paradeiro de Billi não foi informado pela polícia.

Fonte: Jornal da Cidade

INTERNAÇÃO DE PISTOLEIRO NO HPM REVOLTA POLICIAIS.

Assista a matéria exibida no telejornal SE Notícias 1ª edição da TV Sergipe, que mostra que o pistoleiro conhecido por "Bili", acusado do atentado contra o Desembargador Luiz Mendonça e deixou em estado vegetativo o motorista desta autoridade judiciária, Cabo Jailton, estava internado em uma suite do HPM, fato que revoltou os policiais militares e que gerou a denúncia por parte da ABSMSE.

Confira a reportagem clicando no link abaixo:

TRATAMENTO DADO A PISTOLEIRO REVOLTA MILITARES.

Após reagir à prisão, o pistoleiro foi baleado em Pernambuco e foi encaminhado ao hospital. O tratamento ao pistoleiro causou revolta entre militares, fato que foi denunciado pela ABSMSE. Assista a reportagem exibida no Jornal do Estado 2ª edição, clicando no link abaixo:

COMPARSA DE FLORO PRESO A SEMANA PASSADA ESTÁ INTERNADO NO HPM.

Um dos integrantes do bando Calheiros está internado no Hospital da Polícia Militar (HPM), Alessandro de Sousa Cavalcanti, o ‘Bili’.

Bili está internado no HPM

Um dos integrantes do bando de Floro Calheiros preso na semana passada está internado no Hospital da Polícia Militar (HPM). Alessandro de Sousa Cavalcanti, o ‘Bili’, foi internado na unidade após ter sido atingido por um tiro ao reagir à prisão na última sexta-feira, 26. Segundo informações da assessoria de comunicação da PM, Alessandro foi levado para o local para evitar uma possível fuga.

Floro fugiu do Hospital São Lucas com a ajuda de Alessandro, em 2008, disfarçado de médico.

“Está foi uma decisão tomada pelo secretário de Segurança Pública, João Eloy. Ele está internado no HPM por ser um local de segurança máxima, mas após se recuperar ele será encarcerado”, explicou o assessor de comunicação da PM, capitão Donato.

Apenas um carro da PM foi visto no local

Mesmo com internação do preso no hospital, o local estava vazio e apenas um policial foi visto fazendo a segurança, além de um carro do Batalhão de Choque da PM. A Equipe do Portal Infonet foi ao local, mas nenhum funcionário estava autorizado a falar sobre o assunto. O diretor da unidade hospitalar, Adalmir Oliveira, também não estava presente.

Em entrevista à uma rádio local, o diretor do HPM afirmou que o ‘Bili’ foi atingido no dedo esquerdo da mão e no pé e que provavelmente deixará a unidade na tarde desta segunda-feira, 29.

Fonte: Infonet

CAPITÃO SAMUEL QUER REGULARIZAR MOTOTAXI.

O Programa de rádio da Caixa Beneficente, O Fala Segurança, veiculado todos os sábados de 9h às 12h na rádio Jornal AM 540, já se consagrou pelos temas de grande importância para a sociedade sergipana.

Neste último sábado, dia 27, o programa recebeu representantes dos mototaxistas em Sergipe para falar sobre a situação atual da categoria no Estado. Segundo o presidente do Sindicato de Mototaxistas em Aracaju, Irinaldo Oliveira, a falta de regularização do serviço de mototaxista ainda é uma situação presente na rotina aracajuana e eles estão lutando para mudar esta realidade. O deputado estadual eleito, capitão Samuel que foi um dos principais líderes do maior movimento trabalhista dos servidores militares de Sergipe, “Movimento Tolerância Zero” alertou a categoria de mototaxistas sobre a responsabilidade dobrada caso venha a ser regulamentada à profissão.

O Capitão Samuel, participou da entrevista apoiando a categoria e afirmando que a luta é pela regulamentação e que eles devem ter organização e inteligência para realizar protestos dentro da legalidade e que no próximo ano quando deputado, com certeza a categoria terá um aliado em favor da regulamentação na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe.

O deputado da segurança pública falou também que a PEC 300 não morreu, para ele a categoria militar tem a obrigação de continuar pressionando os deputados federais e firmes na idéia de mobilização nacional de toda a Polícia e Bombeiros brasileiros.

Samuel Barreto falou ainda da audiência dos companheiros da CPTUR que ocorreu no último dia 25, na 6ª Vara Criminal no Fórum Gumercindo Bessa em Aracaju. O capitão se solidarizou com os 20 militares e continuou a afirmar que os companheiros simplesmente cumpriram a lei.

O deputado eleito respondeu perguntas de vários ouvintes que participaram do programa Fala Segurança ao vivo e agradeceu mais uma vez a oportunidade de dividir com os militares e com a sociedade sergipana as suas idéias, tendo em vista que não vê a hora de começar de fato a produzir resultados dentro da segurança pública do Estado como representante do povo.

O Fala Segurança teve a participação da sociedade que interagiu através dos telefones sobre diversos assuntos. Com a apresentação de Chris Brota e a brilhante participação dos gestores da Caixa Beneficente, sargento Vieira, cel. Péricles e o diretor da Caixa, Sargento Edgard, o programa está atento a todos os assuntos que interessa a classe militar e a sociedade sergipana. Todos os sábados na rádio Jornal AM 540. Fique sintonizado.

Por: Chris Brota

ABSMSE OFICIALIZA COMANDANTE GERAL DA PMSE SOLICITANDO ENVIO DE PISTOLEIRO QUE ATIROU CONTRA O CABO JAILTON E O DESEMBARGADOR LUIZ MENDONÇA PARA OUTRO HOSPITAL QUE NÃO O HPM.

Na manhã de hoje, dia 29, os gestores da ABSMSE oficiaram o Comandante Geral da PMSE Cel. Pedroso, no sentido de que o mesmo tome providências para de que o pistoleiro de nome Alessandro, vulgo "Bili", que encontra-se internado no HPM, ocupando o mesmo leito que foi utilizado pelo Cabo Jailton, o qual fora atingido de forma covarde e sorrateira pelo citado marginal, seja encaminhado para outro hospital, visto que, policiais militares encontram-se revoltados com o tratamento diferenciado a uma pessoa que desmoralizou a segurança pública do Estado de Sergipe, lesionando um Desembargador do nosso Tribunal de Justiça e do TRE, o Dr. Luiz Mendonça, bem como, deixando em estado vegetativo um colega de farda.

A ABSMSE deixa claro que é direito do preso ter o devido atendimento médico, mas não no Hospital da própria corporação, onde o militar, por exemplo, se não tiver a carteira do IPESAÚDE, não pode ser atendido, então por que este pistoleiro ter essa regalia?  Que o mesmo seja encaminhado ao HUSE ou outro hospital público devidamente escoltado, mas não na "nossa casa".

Confiram o ofício protocolado junto ao comando da PMSE abaixo:


AVISO DA ASSESSORIA JURÍDICA AOS ASSOCIADOS DA ABSMSE.

A assessoria jurídica da ABSMSE avisa aos associados da entidade, que em virtude da ouvida de dois associados em processo administrativo na tarde de hoje, a partir das 14 horas na sede do Batalhão de Choque, o Dr. Márlio Damasceno não estará atendendo no dia de hoje, mas sim, amanhã, às 14 horas, no seu escritório particular, cujo endereço consta na lateral deste blog.

Agradecemos pela compreensão.

“NÃO É POSSIVEL TRATAR ESSE PISTOLEIRO A PÃO-DE-LÓ”, RECLAMA GESTOR DA ABSMSE.

Revolta. Esse é o sentimento dos policiais militares, ao tomarem conhecimento de que o pistoleiro “Bili”, preso por envolvimento ao atentado ao presidente do TRE/SE, Luiz Mendonça e que acabou atingindo o segurança do desembargador, cabo Jailton, encontra-se internado no hospital da policia militar (HPM).

No inicio da tarde deste domingo, alguns militares telefonaram para redação do FAXAJU, denunciando o fato e revoltados, disseram que dariam entrada nesta segunda-feira (29), com um oficio endereçado ao comando geral e à Secretaria de Segurança, para que o pistoleiro seja retirado daquele hospital.

Na manha de hoje, em entrevista ao programa Liberdade sem Censura, o ex-comandante da PM, e gestor da caixa beneficente, coronel Péricles, disse que esteve no local para verificar se de fato, “Bili” estava realmente sendo atendido no HPM. “Nós estivemos lá e verificamos que de fato, esse cidadão está sendo tratado ali. Isso não é justo”, reclamou o coronel.

Outro gestor da ABSMSE, sargento Edgard Menezes, confirmou o que disse o coronel e denunciou que, alem de estar sendo atendido no hospital da policia, não há segurança, já que segundo ele, foi possível chegar à janela da “suíte” onde Bili está internado sem que houvesse segurança. “Não se pode dizer que foi para segurança, porque eu estive lá e cheguei perto da janela onde esse bandido está e não vi segurança nenhuma. Então é preciso que o comandante tire esse bandido de lá e leve para o João Alves”, denunciou.

Já o sargento Vieira, também gestor da AMSMSE, estão dando um tratamento Vip para um marginal. “Não é possível tratar esse elemento a pão-de-ló. Se um policial precisa de atendimento, e se ele não está credenciado pelo Ipês, ele não pode ser atendido ali. Ai eu pergunto, porque esse bandido que deixou um colega nosso em estado vegetativo, está sendo tratado a pão-de-ló”, desabafou.

Uma outra situação levantada e questionada por integrantes da Policia Militar é o fato de, caso ocorra uma complicação na saúde do “pistoleiro da suíte”, se isso não será imputado aos médicos militares. “Quem está atendo esse homem são policiais militares. Médicos, enfermeiros e assistentes, todos PMs. E se acontece alguma coisa com ele. Não vão dizer que foi retaliação. Isso que esta acontecendo é uma falta de respeito com a corporação”, cobrou um policial militar.

O atentado – O atentado ao desembargador Luiz Mendonça ocorreu por volta das 08:30 horas do dia 18 de agosto, em uma das avenidas de maior tráfego de Aracaju, no momento que ele se dirigia para o Tribunal de Justiça.
O carro que conduzia o desembargador parou em um semáforo localizado em um cruzamento que leva à ponte sobre o rio Sergipe, que liga a capital ao litoral e bairros como Coroa do Meio, Atalaia e zona de expansão. De um Honda City, estacionado logo atrás do carro do desembargador quatro homens fortemente armados o atacaram com tiros de escopeta e pistolas automáticas.

Foram exatos 38 tiros disparados praticamente à queima roupa, que não atingiram o desembargado, porque ao pressentir o ataque deixou-se entre os bancos traseiro e dianteiro do veículo.

O seu motorista, cabo PM Jailton Pereira, não teve a mesma sorte. Foi atingido por uma bala de escopeta na cabeça e ficou em coma por aproximadamente três meses na UTI do Hospital João Alves Filho. Jailton já se recuperou e está em casa, onde faz fisioterapia para recuperar os movimentos do lado esquer.

A Prisão - A polícia sergipana prendeu no final da tarde desta quinta-feira (25), em uma propriedade rural, em Petrolina, no estado de Pernambuco, três pistoleiros pertencentes a quadrilha comandada por Floro Calheiros Barbosa, e que estão envolvidos no atentado ao presidente do TRE, Luiz Mendonça.

Entre os presos, está Alessandro, mais conhecido como Bili, um dos homens de confiança de Floro Calheiros, sendo um dos que ajudou Floro na fuga, em 2008. Alessandro participou do grupo que tentou matar, no último dia 18 de agosto, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Luiz Mendonça, tendo inclusive confessado o atentado.

Fonte: Faxaju

PISTOLEIRO ACUSADO DE ATENTADO A LUIZ MENDONÇA ESTÁ INTERNADO EM “SUITE”.

O pistoleiro preso e acusado de atirar contra o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, desembargador Luiz Mendonça, e que acabou por deixar em uma cadeira de rodas o cabo Jailton, está internado e ocupa a mesma suite, no Hospital da Policia Militar (HPM), onde foi tratado Jailton.

Membros das associações e outros colegas de fardas estão revoltados com o que está ocorrendo. Para eles, isso é uma afronta à dignidade da policia. “Não é possível um bandido do naipe desse pistoleiro, estar recebendo os mesmos tratamentos que foram dispensados ao companheiro Jailton, que hoje se encontra numa vida vegetativa”, desabafou um PM.

Por esse motivo, poderá ocorrer na manha desta segunda-feira (29), uma grande manifestação em frente ao HPM, como forma de protesto. “Porque não levaram esse bandido para ser medicado no Hospital João Alves, como todos marginais. Porque tanto atendimento e atenção com esse individuo”, questionou um outro policial.

A situação deve criar, a partir das primeiras horas de amanha, uma movimentação muito grande, já que nenhum PM aceita o que está acontecendo e questionam. “Esse pistoleiro, é mais importante que o cabo que protegia a vida de um desembargador?”. “E como esse cidadão está sendo atendido ali. Quando da internação de Jailton, foi a maior polemica e agora um pistoleiro ocupa a mesma suíte que ele esteve internado. Isso não é justo alem de ser uma falta de respeito com a policia militar de Sergipe”, disse um outro PM.

Esse fato também traz a tona, uma situação que deverá ser revista pelo comando geral e pelo governo do estado. No caso de um acidente com um policial em serviço, caso esse não seja credenciado pelo Ipesaude, não poderá ser atendido pelo HPM. Alem disso, suítes são destinadas a oficiais da PM.

Uma outra situação levantada e questionada por integrantes da Policia Militar é o fato de, caso ocorra uma complicação na saúde do “pistoleiro da suíte”, se isso não será imputado aos médicos militares. “Quem está atendo esse homem são policiais militares. Médicos, enfermeiros e assistentes, todos PMs. E se acontece alguma coisa com ele. Não vão dizer que foi retaliação. Isso que esta acontecendo é uma falta de respeito com a corporação”, cobrou um policial militar.

Fonte: Faxaju (Munir Darrage)

domingo, 28 de novembro de 2010

SARGENTO BM TENTA SUICÍDIO EM BRASÍLIA.

Ao participar de manifestação em prol da aprovação da PEC 300, e buscar apoio para liberação de verba para construção do estande de tiro para a policia, os gestores da Caixa Beneficente dos Servidores Militares do Estado de Sergipe (ABSMSE), Coronel Péricles e sargento Edgard Menezes, foram testemunhos de uma fato, que irá chamar a atenção de toda a imprensa do País.

Assustados, Péricles e Edgard presenciaram, durante a estada em que estiveram em Brasília, na semana que passou, uma tentativa de suicídio, praticada por um colega do Rio de Janeiro, descrente com a atual gestão política.

Péricles e Edgard foram a Brasilia em busca de apoio à liberação de emenda do deputado Mendonça Prado para a construção do estande de tiros da segurança pública de Sergipe e acabaram se assustando com o ato de coragem e bravura do colega.

Tentativa de suicidio e protestos acontecidos na última semana

Um sargento do corpo de bombeiros, inconformado com o salário e com as condições de trabalho, tentou se matar na ultima terça-feira (24), em frente ao congresso nacional.
O sargento Nunes, do corpo de bombeiros do Rio de Janeiro, indignado com a situação em que se encontra a policia militar e corpo de bombeiros, no Rio de Janeiro, ao participar de mais um protesto em frente ao congresso nacional, em Brasília, ao ver que de nada ia ser resolvido, resolveu no ímpeto, se suicidar. Nunes subiu na antena que há em frente ao congresso e ameaçou pular de lá para a morte.

Essa situação foi abafada pelo governo para não criar mais constrangimento à presidente eleita, Dilma Rousseff, que à época da campanha se colocou ao lado da policia para votar a PEC 330 e que agora, se diz contrária.

Nunes disse que não agüentava mais a situação em que estava vivendo, reclamando do salário e das condições de trabalho. O sargento disse, enquanto estava no alto da torre que ia morrer por uma causa nobre e que talvez, com sua morte, chamaria a atenção das autoridades, porem o ato da tentativa de suicídio foi contida por um helicóptero da policia de Brasília, que o resgatou do alto da antena. O salário de um soldado da PM no Rio de Janeiro é de R$ 950,00.

Esse foi apenas um dos fatos que foi abafado pelo governo e que a imprensa não teve conhecimento. Mas um outro registro, feito por militares que se encontram (e devem permanecer em Brasília, até que se vote a PEC 330), e que também foi “escondido” pelo governo, foi o desabafo feito por um major da policia do Rio de Janeiro.

O major, indignado com a situação que está vivendo no Rio de Janeiro, durante a sessão realizada na Câmara Federal, na semana que passou, invadiu a ala destinada aos jornalistas e aos gritos desabafou “Vocês estão matando os policiais militares. Hoje eu sinto vergonha de ser honesto. Eu sou major e muitas vezes tenho que pedir permissão a um cabo para entrar em certos recintos. A corrupção tomou conta de tudo”, gritou ao desabafo. A sessão foi interrompida e ninguém, nenhum deputado contestou o major.

Uma declaração contundente e dura foi dita pelos dois policias, “temos vergonha de ser honesto”. Mesmo dizendo a frase em alto e bom som, ninguém contestou ou se prontificou em averiguar as denuncias.

A partir daí, desses acontecimentos, a policia decidiu que, após duas assembléias, deixar claro que uma paralisação a nível nacional não está descartada, alem disso, começa nesta semana, um “plantão” no congresso nacional e em frente ao palácio do planalto, como forma de pressão. Alem disso, todas as terça e quarta-feira, representantes dos policiais de todos os estados do País, estarão se revesando, para mostrar que estão atentos a tudo que acontece no plenário do congresso.

Ainda no mês de dezembro, está prevista uma passeata, nos dias 9 e 10 de dezembro, na cidade do Rio de Janeiro, onde se espera reunir mais de 10 mil policias (civil, militar e bombeiros), onde sairão da Candelária até a Cinelândia, carregando faixas e mostrando á população as suas reivindicações.

Os representantes das associações das policias, inclusive de Sergipe, deixaram claro que, caso o governo não libere a pauta do congresso para votar a PEC 300, haverá uma paralisação a nível nacional podendo ainda, prejudicar a segurança das olimpíadas. Para isso, esses representantes, estarão a partir dessa semana, visitando todos os parlamentares, onde farão as suas reivindicações.

Todas as associações, incluindo a do estado de Sergipe, devem encaminhar uma nota de repúdio, à atitude adota pelo governador Jacques Vagner que liderou a campanha junto a outros governadores, no sentido de reivindicarem dos deputados federais de cada estado, que votassem contra a PEC 300.

Uma outra situação que certamente causará constrangimento à presidente eleita, Dilma Dousseff, será no dia de sua posse, quando milhares de policiais estarão na porta do planalto, protestando. Essa será uma situação delicada e que poderá, pela primeira vez no País, ver “policia abatendo policia”.

As fotos onde o sargento BM tentou suicídio e o major “pulando” para a ala dos jornalistas, em breve estará na Internet, segundo os representantes das associações.

Fonte: Faxaju (Munir Darrage)

RIO DE JANEIRO: NO 3º DIA DE CERCO, POLÍCIA PASSA A OCUPAR O CONJUNTO DO ALEMÃO.

Ação uniu 2.700 homens das polícias Civil, Militar, Federal e do Exército.
Foram presos 30 suspeitos e apreendidas mais de 10 toneladas de drogas.



Após oito dias de confrontos entre traficantes e policiais no Rio de Janeiro, as forças de segurança ocuparam neste domingo (28), terceiro dia de cerco, o Conjunto de Favelas do Alemão, um dos mais importantes redutos de criminosos da cidade. A ação coordenada de 2.700 homens das polícias Civil, Militar, Federal e do Exército assumiu o controle da comunidade em menos de duas horas, conseguindo prender 30 suspeitos de envolvimento com o tráfico e apreender mais de 10 toneladas de drogas e dezenas de armas - tudo isso sem entrar em um longo confronto aberto, e deixando apenas uma vítima (conta feita até por volta das 17h).

A operação deste domingo teve início logo nas primeiras horas da manhã. Pouco depois das 7h, os policiais já se reuniam e organizavam a ocupação, com apoio de veículos blindados e helicópteros. A ação começou de fato às 8h, com "força máxima", segundo o comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar, tenente-coronel Paulo Henrique Moraes, em menos de uma hora a Polícia Civil dizia ter "dominado" o Alemão.

"O território jamais será dado de volta aos criminosos", disse o subchefe operacional da Polícia Civil, Rodrigo Oliveira. Às 9h22, o comandante-geral da Polícia Militar, Mário Sérgio Duarte, declarou: "Vencemos". O hasteamento de uma bandeira do Brasil no alto do teleférico do morro do Alemão, às 13h22, representou o que as forças de segurança trataram como libertação da comunidade.

A ocupação se deu sem "grandes confrontos", segundo Duarte, o que fez o delegado Marcus Vinicius Braga chamar a situação de "preocupantemente tranquila". A única vítima foi um homem levado ao hospital após trocar tiros com as forças de segurança. Um menor também ficou ferido, mas não corre risco.

Em vez de reagir à ocupação, os traficantes tentaram fugir ou se esconder, o que fez com que as forças de segurança organizassem uma busca de casa em casa da comunidade. No total, 30 pessoas foram presas, incluindo Elizeu Felício de Souza, conhecido como Zeu , um dos homens condenados por participar da morte do jornalista Tim Lopes, da TV Globo.

A ação deste domingo foi o resultado de oito dias de confrontos. Desde o último domingo (21) criminosos orquestraram uma série de ataques por toda a cidade, atirando contra policiais e ateando fogo em dezenas de veículos. A reação da polícia e o cerco aos criminosos teve início na última quinta-feira(25) quando uma megaoperação do Bope atacou os criminosos nas favelas da Penha e controlou a Vila Cruzeiro e provocou a fuga em massa de mais de uma centena de criminosos que se esconderam no Alemão. As forças de segurança começaram no dia seguinte o cerco ao Conjunto.

Segundo o governador do estado, Sérgio Cabral, a operação representa uma página virada para o Rio. "A reconquista do território do Complexo do Alemão pelo Estado é um passo fundamental e decisivo na política de segurança pública que traçamos para o Rio de Janeiro", disse.

Fonte: G1

sábado, 27 de novembro de 2010

VEJAM FOTOS DA GUERRA NO RIO CONTRA O TRÁFICO.











ATENTADO: POLÍCIA FAZ RECONSTITUIÇÃO.

A reconstituição do crime contra o desembargador Luiz Mendonça durou toda a manhã deste sábado

Bezerra foi o único envolvido que participou da reconstituição do crime

Durante toda manhã deste sábado, 27, a Polícia Civil de Sergipe realizou a reconstituição do crime de atentado contra o desembargador Luiz Mendonça, que aconteceu no dia 18 de agosto deste ano.

Após a prisão dos pistoleiros na quinta-feira, 25, a polícia, com ajuda de um dos envolvidos montou toda a cena do crime com a intenção de se aproximar ao máximo dos fatos ocorridos no dia do atentado.

Equipes Policiais

A reconstituição mobilizou equipes policiais do Comando de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil, do Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar e do Grupamento Tático Aéreo (GTA), além dos delegados André Baronto, Cristiano Barreto e Gilberto Guimarães, do coronel Maurício Iunes e do agente da polícia civil Thiago Cahino.

De acordo com informações da própria polícia, o desembargador Luiz Mendonça está de férias com a família e por essa razão não participou da reconstituição.

Início

A cena iniciou com a passagem dos carros pela frente do prédio

Com a colaboração de um dos acusados, o ex-policial militar de Pernambuco Clodoado Rodrigues Bezerra, conhecido como 'Bezerra', o início da cena foi marcada em frente ao prédio do desembargador, na avenida Oviêdo Teixeira.

De acordo com as cenas reconstituídas, os pistoleiros passaram pela frente do prédio, seguindo em dois carros, sendo um Honda City(modelo do carro utilizado naquele dia) e um Palio, no momento em que o carro do desembargador se preparava para sair da garagem do prédio.

Os homens teriam passado por dentro do estacionamento, localizado em frente ao Parque da Sementeira, ganhando tempo para que o carro do desembargador passasse a frente.

As cenas mostram que apenas o Honda City com quatro homens encapuzados seguiu o veículo do desembargador e ao chegar na avenida Beira Mar, onde o carro que conduzia Luiz Mendonça parou no semáforo , nas proximidades da ponte do Shopping Riomar, os pistoleiros iniciaram a ação.

Local do crime

Bezerra orientou posicionamento dos carros e dos atiradores

Durante a reconstituição, Bezerra orientou os policiais no sentido de posicionar o carro que era conduzido pelos pistoleiros ao fundo do veículo do desembargador, atentando para o fato de que o carro ficou um pouco atravessado, o que teria facilitado a fuga pelo retorno.

Após posicionar os carros, o acusado coordenou o posicionamento dos figurantes que reconstituíam a cena dos disparos. Diante do que foi demonstrado, apenas dois dos quatro homens efetuaram os tiros, sendo eles motorista e o carona, que desceram do veículo e, fortemente armados, alvejaram o carro do desembargador.

Local do incêndio

Local onde carro foi queimado

Os policiais seguiram junto com o acusado até o local onde o carro foi incendiado e lá refizeram o momento em que os pistoleiros desceram do veículo utilizado no crime, atearam combustível no carro e fugiram em outro carro.

Ao final da reconstituição o perito Adelino Lisboa explicou que o trabalho realizado pela polícia na manhã deste sábado ajuda no sentido de detalhar o crime e confrontar informações passadas pelos acusados. “Essa é uma maneira de detalhar o que foi dito por cada um dos presos e ajuda no sentindo de esclarecer todos os detalhes no momento do crime", confirma.



Delegados

Mesmo tendo pedido o apoio da imprensa no início da reconstituição e prometendo falar ao final dos trabalhos sobre a reconstituição, nenhum dos delegados quis falar a respeito, alegando não ter autorização do secretário de Segurança Pública, João Eloy.

Fonte: Infonet (Alcione Martins e Raquel Almeida)

CENAS DE ATENTADO CONTRA DESEMBARGADOR SÃO RECONSTITUÍDAS.

Um dos pistoleiros contratados para matar Luiz Mendonça contou como executou o crime com os comparsas. Na foto, policiais em frente à casa de Mendonça. Foto: Marco Vieira/Equipe JC.

A Polícia Civil e Militar sergipana fazem neste momento a reconstituição do atentado contra o desembargador Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE), desembargador Luiz Mendonça.

A reconstrução das cenas do crime de 18 de agosto deste ano começou por volta das 8h da manhã de hoje, em frente ao edifício Mansão Luciano Barreto Júnior, na Avenida Oviêdo Teixeira, onde o desembargador vive com a família.

Daquele instante em diante a polícia refez o trajeto em que o carro do TRE utilizado por Luiz Mendonça passou a ser seguido por quatro pistoleiros contratados pelo agiota foragido da Justiça sergipana, Floro Calheiros, para matar o desembargador.

Neste exato instante a polícia acompanha as informações de um dos pistoleiros presos em Pernambuco, sobre o momento em que o carro foi alvejado - na ponte que dá acesso ao bairro Coroa do Meio. Ainda não há previsão do fim da reconstituição.

Encerrada a averiguação do trecho onde Luiz Mendonça fe o seu motorista, o cado da PM, Jailton Pereira Batista, foram alvejados, o comboio de oito viaturas policiais vai refazer o mesmo caminho usado pelos bandidos para empreender fuga, parando nos locais onde os veículos usados no crime foram incendiados.

Fonte: Jornal da Cidade

HOMEM INVADE POSTO DE SAÚDE PARA ESCAPAR DE PERSEGUIÇÃO.

Fato aconteceu na unidade de saúde localizada no Santos Dumont.

Um homem levou pânico a funcionários e usuários da unidade de saúde da família José Machado de Souza, no bairro Santos Dumont, zona norte da capital, ao invadir o local durante uma perseguição. “Quando olhei as pessoas estavam se trancando nas salas e vi o homem armado e agachado entre as plantas. Esqueci a dor na perna e sai correndo. Não sou jegue para esperar tempo ruim”, disse José de Souza Santos, 42 anos. O fato aconteceu por volta das 8 horas, quando um desconhecido, para escapar da perseguição de um homem, foi buscar abrigo no posto de saúde. Na confusão também teriam ocorrido disparos nas imediações da unidade de saúde.

O comandante da Companhia de Polícia de Radiopatrulha (CPRp), tenente Marcos Rocha, ressaltou que o incidente foi gerado por um homem que perseguia outro pelas ruas da localidade. “Eles se confrontaram fora do posto, em um terreno que fica ao lado”. O oficial informou que quatro equipes da CPRp foram mobilizadas e realizaram uma varredura na área da “Baixa da Cachorrinha”, Japãozinho e Cidade Nova na tentativa de localizar os envolvidos. “Um deles chegou a ser visualizado próximo ao terreno do 28º Batalhão de Caçadores, mas como não tínhamos a comprovação de que tivesse entrado no local, não chegamos a pedir autorização para realizar buscas”.

A invasão mostrou deficiência na segurança das unidades de saúde. No caso da José Machado de Souza, a vigilância era feita apenas por um segurança, que não dispunha de nenhum armamento. “Estava chegando ao posto, quando vi o homem correndo em minha direção com uma das mãos enroladas. Pensei que ia me roubar e sai alertando aos outros funcionários e usuários, foi tudo muito rápido. Todos correram e foram se trancar nas salas”, disse uma mulher que preferiu não se identificar. Segundo um funcionário, esse não foi o primeiro episódio registrado no local. “Da vez anterior, uma homem também entrou aqui armado”.

Testemunhas revelaram que, o desconhecido vinha sendo perseguido por um policial a paisana, informação que não foi confirmada pelo comandante da Radiopatrulha. “Não temos segurança alguma. O posto fica localizado em uma área violenta, próximo de um morro. Queremos que providências sejam adotadas”, cobrou uma funcionária que preferiu ficar no anonimato. Apesar do incidente, o atendimento na unidade de saúde não foi suspenso. A PM realizou buscas por toda a manhã, mas não conseguiu prender o desconhecido.

Fonte: Jornal da Cidade (Texto: Ailton Sousa / Foto: Jadilson Simões)

PM FRUSTA FUGA DE INTERNO DO PRESÍDIO DE AREIA BRANCA.

Uma ação rápida do 3º sargento José Adenilton Andrade de Jesus, por volta das 14h de quinta-feira, 25, evitou a fuga de Marcos José Santos Vieira, vulgo ‘Ninho’, que cumpre pena de reclusão de 32 anos no presídio do município de Areia Branca, pela prática de um latrocínio e dois homicídios em Sergipe. Lotado na 3ª Companhia do 4º Batalhão de Polícia Militar (3ª Cia/4º BPCom), com sede no município de Nossa Senhora da Glória, o militar realizava o reforço do policiamento externo do Presídio de Areia Branca no momento em que avistou um dos internos tentando pular o muro da unidade prisional.

Segundo informações repassadas pelo tenente Alexasandro Lino, supervisor do Presídio do município de Glória, o sargento Adenilton realizava vigília na guarita da unidade prisional de Areia Branca, quando notou um homem de bermuda cor de laranja, sem camisa, tentando ultrapassar a serpentina de arame farpado sob o alambrado do complexo. "Foi de imediato em direção ao indivíduo e frustrou a fuga, num ato de profissionalismo e bravura", reconheceu o tenente.

Fonte: Jornal da Cidade

RIO DE JANEIRO: IMAGENS MOSTRAM BALAS TRAÇANTES EM NOVO TIROTEIO NO ALEMÃO.

Traficantes voltaram a atacar no final da noite desta sexta-feira (26).
Forças policiais com ajuda do Exército ocupam acessos de favela.



Traficantes voltaram a atacar no final da noite desta sexta-feira (26) no Conjunto de Favelas do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Imagens gravadas por uma equipe da TV Globo mostram balas traçantes atravessando a comunidade. Os tiros atingiram a base onde estão abrigados os policiais militares do Batalhão de Choque da PM (BPChoque). Ainda não há informações de feridos.

Assustados, muitos moradores se esconderam em vans para fugir da comunidade. As forças policiais, com apoio do Exército, bloqueiam os acessos ao Alemão. A policia pode ocupar o conjunto de favelas a qualquer momento.

De acordo com o coronel Lima Castro, relações públicas da PM, desde domingo foram registrados 96 veículos incendiados, 48 armas, 8 granadas apreendidas, além de grande quantidade de drogas e material inflamável. Além disso, a PM informou que, até esta tarde, o número de presos era de 196.

Sensação de pânico entre moradores

Mais cedo, a intensa troca de tiros na Vila Cruzeiro aumentou a sensação de pânico entre moradores das duas localidades. Durante a tarde, os tiros que foram disparados no Alemão assustaram quem estava na Vila Cruzeiro, morro vizinho.

Pela manhã, a equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM, que passou a madrugada na Vila Cruzeiro, ganhou reforço da Polícia Civil. Soldados das Forças Armadas também chegaram à região para ajudar a polícia no combate aos traficantes.

Durante o dia, a quantidade de motos roubadas, cerca de trezentas, impressionou até mesmo os policiais, que também encontraram equipamentos e remédios, como anestésicos, numa enfermaria do tráfico. Aproximadamente uma tonelada de maconha foi apreendida em pontos diferentes da favela.

Os dois conjuntos de favelas abrangem quarenta comunidades onde moram cerca de 400 mil pessoas. Segundo a polícia, a área equivale a dez bairros da cidade. Pequenas estradas de terra ligam a Vila Cruzeiro a uma das favelas do Alemão, onde os criminosos se refugiaram depois de escapar da polícia na quinta-feira (25).

Mais cedo, um militar do Exército e um fotógrafo foram baleados e moradores atingidos por balas perdidas, entre eles uma criança pequena.

Vila Cruzeiro sem domínio do tráfico

Depois da entrada da polícia na Vila Cruzeiro, apesar da sensação de medo, moradores sentem-se aliviados.

“A comunidade merece ser tratada com dignidade e com respeito. Esperamos que a polícia saia para a gente não viver a mercê da violência”, disse um morador que preferiu não se identificar.
A grande operação policial na Vila Cruzeiro começou no dia seguinte ao ataque dos criminosos acuados. Nesta sexta, nas ruelas da favela, havia vestígios da última guerra, carros queimados e marcas de tiro de grosso calibre.

Uma aposentada que perdeu dois filhos assassinados também esta otimista. “Já sofri muito, mas acho que vai ficar tudo bem. Eu creio no poder de Deus”, disse.

Fonte: G1

TIROTEIO NO COMPLEXO DO ALEMÃO JÁ DEIXA OITO FERIDOS E UM MORTO.

Troca de tiros continua durante à noite; moradores não conseguem voltar para casa devido a tiroteios

A troca de tiros entre militares do Exército, além de agentes das polícias militar, civil e federal com supostos traficantes do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, já deixou oito pessoas feridas e uma morta, nesta sexta-feira (26), incluindo uma criança; um fotógrafo e militares.

A moradora do Complexo do Alemão, Maria Luiza de Moraes, de 61 anos, que estava em casa na localidade da Grota, foi ferida por estilhaços de uma bala perdida na barriga. Ela já foi operada e passa bem.

Geovana Isabela da Penha, de apenas 3 anos, também foi baleada, de raspão no braço, enquanto estava dentro de casa na favela Nova Brasília, que também pertence ao Complexo do Alemão.

A também moradora do Complexo, Eliane de Almeida, de 72 anos, foi baleada na panturrilha e já foi liberada. Outro baleado foi Rogério da Costa Cavalcante, de 34 anos, baleado na barriga.

Thiago Ferreira Farias, de 24 anos, apontado pela polícia como o traficante “Thiaguinho G3”, e que seria gerente do tráfico da favela Fazendinha, do Complexo, morreu em confronto com policiais militares.

Entre os policiais, dois ficaram feridos levemente. O soldado do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) Leonardo Rodrigues da Silva, de 36 anos, teve um corte em um dos dedos da mão e foi liberado, após ser atendido.

Já o tenente Rafael Querido, de 28 anos, do 16°BPM (Olaria), foi atingido por um tiro de raspão na panturrilha esquerda e está sob observação.

O soldado do exército Walbert Rocha da Silva, de 19 anos, foi baleado de raspão na perna e conduzido ao hospital Central do Exército, em Benfica. Durante a manhã, um major da PM foi atingido por estilhaços na cabeça.

Todos foram socorridos no hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

À noite, o fotógrafo da agência de notícias Reuters, Paulo Whitaker, foi baleado no ombro e socorrido para um hospital particular, na zona norte. Seu estado de saúde é estável.

Clima é tenso no Complexo do Alemão

No início da noite desta sexta-feira (26), o clima ficou tenso nos acessos ao morro do Alemão, na zona norte da cidade. O ponto mais problemático é na localidade conhecida como favela da Grota, devido à troca de tiros entre militares e traficantes. Vários moradores não conseguiram voltar para casa.

Policiasi federais também estão no local reforçando a operação. A avenida Itaoca, uma da principais do bairro, está completamente deserta no início desta noite.

Fonte: IG

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

ASSISTAM O PRONUNCIAMENTO DO MAJOR FÁBIO, FEITO NO DIA 27/11/2010, NA CÂMARA DOS DEPUTADOS, SOBRE A NÃO VOTAÇÃO DA PEC 300/446, CONVOCANDO A CLASSE DOS POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES PARA UM AQUARTELAMENTO NACIONAL A PARTIR DO DIA 1º DE JANEIRO.

ASPRASE QUESTIONA PRESIDENTE DA ANASPRA SOBRE AÇÃO CONTRA OS OFICIAIS R-2 DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SERGIPE.


Cabo Patrício recebeu os colegas da Anaspra na Câmara Legislativa

Aconteceu no início da noite de ontem, 25, uma reunião entre os sargentos Anderson Araújo, presidente da Asprase, e Alexandre Prado, presidente da ASSPM, com o presidente da Anaspra (Associação Nacional de Praças), o deputado distrital Sidney Patrício (PT/DF). Araújo é o diretor de Intercâmbio da Anaspra e Prado integra o Conselho Fiscal da entidade.

O encontro serviu para que os representantes da Anaspra em Sergipe encaminhassem algumas solicitações ao presidente da entidade nacional, sendo a principal delas a de que a Anaspra tente viabilizar o agendamento de uma reunião com a presidente eleita Dilma Roussef (PT), a fim de tratar de assuntos interesses da classe a nível nacional, proposta corroborada pelo diretor da Regional Nordeste, cabo Jeoás Nascimento (PMRN).

Prado e Araújo também conversaram sobre a necessidade da Anaspra reunir seus diretores e definir os encaminhamentos da associação para 2011. Patrício concordou com essa necessidade e afirmou que pretende convocar uma reunião com a diretoria da entidade no próximo mês de janeiro. “A Anaspra precisa corrigir falhas, resolver problemas administrativos e definir uma pauta e uma agenda de atuação em defesa da classe militar, assuntos que precisam ser discutidos em grupo”, afirmou o sargento Araújo. A entidade deverá se reorganizar para retomar as discussões sobre desmilitarização, carreira única, nível superior e carga horária, além do piso nacional.

Piso nacional

Os sargentos também defenderam que a Anaspra deve adotar uma postura mais incisiva com relação à questão do piso nacional dos militares, que é uma das bandeiras de luta da entidade desde a sua fundação. Para Patrício, a questão do piso já poderia estar resolvida, não fosse a negativa de alguns deputados, especialmente militares, em aceitar um acordo feito com o governo em junho passado, no qual se propunha um piso de 3,5 mil reais. Para Patrício interesses políticos prejudicaram a negociação.

O deputado e presidente da Anaspra não acredita na votação da PEC este ano e crê que somente após a posse da presidente Dilma a discussão sobre o piso poderá ser retomada. Patrício comentou as acusações que tem sofrido de que é contra a PEC 300 e se defendeu dizendo que não é contra a PEC, mas sim contra os seus vícios de inconstitucionalidade, que poderiam fazer com que a proposta, mesmo depois de aprovada, fosse facilmente derrubada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Ele afirmou que a Anaspra continuará defendendo a criação do piso salarial nacional da categoria, mas entende que a retomada das discussões enfrentará dificuldades.

Anistia e reintegração de PM’s

O presidente da Anaspra também falou a respeito da Lei da Anistia, sancionada pelo presidente Lula em janeiro de 2010 em consequência da luta da entidade nacional, mas que até agora não foi cumprida nos estados e no Distrito Federal. A Lei nº 12.191/2010 anistia os policiais e bombeiros militares que foram demitidos por participar de movimentos reivindicatórios a partir de 1997, e atinge oito estados e o DF. Estima-se que cerca de 5.000 militares devam ser beneficiados pela lei, mas segundo o cabo Patrício, nenhum militar foi reintegrado até hoje, o que faz dessa luta uma das prioridades da Anaspra.

Comunicação

Araújo e Prado também sugeriram ao cabo Patrício que atentasse para a promoção de uma melhor comunicação interna e externa na entidade. Eles lembraram o fato da ADIn 4441, impetrada pela Anaspra contra alguns oficiais da PMSE, sem que houvesse nenhum contato com os representantes da entidade no estado. Além de Araújo e Prado, o sargento Carlos e o cabo Palmeira também integram a associação nacional, e nenhum destes foi consultado ou informado a respeito da ADIn.

Patrício reconheceu que a situação evidencia uma falha da entidade, mas confessou não estar tão a par da situação, pois o assunto foi tratado diretamente por outros diretores e assessores do parlamentar, junto a um advogado do DF que se apresentou para ingressar com a ação em nome da Anaspra, já que a associação não tem advogados. Segundo um assessor do deputado os honorários advocatícios estão sendo pagos por uma associação de Sergipe.

Quanto ao desinteresse no resultado da ação manifestado por associações de Sergipe filiadas a Anaspra, Patrício disse não ver problema, pois como uma entidade nacional a Anaspra precisa entender e respeitar as particularidades de suas afiliadas em cada estado, onde são as entidades locais que conhecem mais profundamente a realidade.

Em relação à comunicação externa, Patrício pretende reformular o site da Anaspra e mantê-lo constantemente atualizado, divulgando as ações da entidade de forma que todas as entidades representativas e os praças de todo o país tenham acesso a essas informações.

Novo encontro

Fica agora a expectativa de que a Anaspra possa mesmo se reunir em janeiro e definir os rumos da entidade em 2011, ano em que haverá também uma nova eleição, renovando sua diretoria. Até lá se espera que o Cabo Patrício, forte candidato à presidência da Câmara Legislativa do DF, possa utilizar o bom trânsito que tem em Brasília para encaminhar questões de interesse da classe em todo o Brasil.

Fonte da Matéria: blog da Asprase

PISTOLEIROS JÁ CONFESSARAM PARTICIPAÇÃO NO ATENTADO AO PRESIDENTE DO TRE/SE.

Os três pistoleiros que foram presos na quinta-feira (26) em Petrolina, em depoimento à Polícia, já confessaram que participaram do atentado do desembargador Luiz Mendonça, presidente do Tribunal Regional Eleitoral, ocorrido no dia 18 de agosto, na avenida Beira Mar, uma das mais movimentadas de Aracaju (SE).

A informação é de fonte da Polícia, que não antecipou se o mandante foi o foragido da Justiça sergipana, Floro Calheiros Barbosa. A Polícia chegou ao nome de Floro em razão da prisão do sujeito chamado Alexandro, conhecido por Billi, que é pessoa da mais estreita confiança do foragido, que o ajudou na fuga espetacular que empreendeu do Hospital São Lucas.

Policiais de Sergipe continuam em Petrolina para prender o quarto elemento que participou do atentado, mas até este momento não havia informação de sua prisão. Quanto a Floro Calheiros, a fonte policial disse que as prisões dos quatro pistoleiros levam a crer que ele esteja nas imediações de Petrolina e que eventualmente vai à cidade para contatos com os pistoleiros presos.

Floro Calheiros já conseguiu fugir de prisões em Sergipe por duas vezes, todas elas com suspeita de participação de personalidades importantes do Estado, mas que até o momento não foram identificadas.

Além do desembargador Luiz Mendonça, mais quatro pessoas estão ameaçadas por Floro Calheiros. Uma delas é o radialista Gilmar Carvalho, dois magistrados que têm seus nomes em sigilo, e um conselheiro do Tribunal de Contas.

A fonte da Polícia disse que Floro Calheiros pode ser preso nos próximos dias, mas não antecipou como andam as investigações, “para não atrapalhar o trabalho da Polícia”. Na tarde desta sexta-feira (26), os três presos serão apresentados à imprensa, quando os delegados contarão detalhes de como efetuaram a prisão.

O atentado – O atentado ao desembargador Luiz Mendonça ocorreu por volta das 08:30 horas do dia 18 de agosto, em uma das avenidas de maior tráfego de Aracaju, no momento que ele se dirigia para o Tribunal de Justiça.

O carro que conduzia o desembargador parou em um semáforo localizado em um cruzamento que leva à ponte sobre o rio Sergipe, que liga a capital ao litoral e bairros como Coroa do Meio, Atalaia e zona de expansão. De um Honda City, estacionado logo atrás do carro do desembargador quatro homens fortemente armados o atacaram com tiros de escopeta e pistolas automáticas.

Foram exatos 38 tiros disparados praticamente à queima roupa, que não atingiram o desembargado, porque ao pressentir o ataque deixou-se entre os bancos traseiro e dianteiro do veículo.

O seu motorista, cabo PM Jailton Pereira, não teve a mesma sorte. Foi atingido por uma bala de escopeta na cabeça e ficou em coma por aproximadamente três meses na UTI do Hospital João Alves Filho. Jailton já se recuperou e está em casa, onde faz fisioterapia para recuperar os movimentos do lado esquer.

Fonte: Faxaju

RIO GRANDE DO NORTE: MILITARES SÃO VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA.

Nem os policiais militares estão escapando da insegurança pública na Grande Natal. Em cinco dias, foram três PMs vítimas de crimes graves, inclusive, com a ação de bandidos armados. O último, ocorreu na madrugada de ontem, quando um sargento teve a casa invadida por dois homens. A dupla realizou um arrastão no local levando, inclusive, o veículo do policial na fuga.

O caso foi registrado por volta das 2h da madrugada. O sargento (nome preservado) é lotado e mora na cidade de Extremoz, na Grande Natal. Os dois homens armados e ainda não identificados teriam invadido a residência e rendido o policial, a mulher dele e os dois filhos do casal. Depois disso, fizeram um arrastão na residência, roubando vários eletroeletrônicos da casa. Até a geladeira foi colocada na caçamba de uma caminhonete modelo Ford F-1000, que pertence ao policial, mas que foi usada pela dupla para fugir com os pertences roubados.

Uma viatura do 4º Batalhão se deparou com a caminhonete com a geladeira na caçamba em alta velocidade, na Avenida das Fronteiras. Houve um início de perseguição e uma troca de tiros, mas o veículo roubado conseguiu despistar os PMs e escapar. Minutos depois, a F-1000 foi novamente localizada com os pertences roubados na caçamba. Ela foi abandonada pela dupla de ladrões na rua Caraú, no bairro de Panatis.

Na noite de terça-feira, um praça da PM teve o carro, um Fiat Pálio prata, tomado de assalto na Ponta do Morcego, litoral de Natal. Segundo o oficial do dia da Companhia de Turismo, o praça estava à paisana com a companheira no local, quando foi surpreendido por dois homens armados e teve o veículo roubado.

Um soldado da PM lotado no 9º Batalhão, em Natal, foi vítima de um assalto e de uma tentativa de homicídio no Golandim, em São Gonçalo do Amarante. Segundo informações da Delegacia de Plantão da Zona Norte, dois homens teriam rendido o PM quando ele chegava em casa acompanhado pela mulher.

Depois disso, a dupla invadiu a residência do soldado e começou a procurar por objetos de valor, até encontrar a farda da PM . Depois disso, os dois bandidos teriam atirado contra o soldado e o atingido de raspão na nuca. Sem estar gravemente ferido, o PM ficou no chão e se fingiu de morto. Para “testar” se a vítima estava mesmo sem vida, um dos bandidos ainda teria urinado nela.

FONTE: Tribuna do Norte

POLÍCIA E EXÉRCITO TROCAM TIROS COM BANDIDOS NO COMPLEXO DO ALEMÃO, NO RIO.

Blindados do Exército Brasileiro trafegam pela avenida Brasil, no Rio


Um intenso tiroteio entre policiais, homens do Exército e criminosos ocorria no final da tarde desta sexta-feira (26) na favela da Grota, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. O Exército ocupou todos os acessos à favela com ajuda da Polícia Militar (PM). O tiroteio ocorre não apenas no Complexo do Alemão, mas também na Vila Cruzeiro, morro vizinho.

Ao todo, foram mobilizados 800 homens e cinco blindados do modelo Urutu, o mesmo utilizado pelas Forças Armadas brasileiras no Haiti.

O ministro Nelson Jobim afirmou também que uma equipe de paraquedistas do Exército brasileiro e militares que atuaram no Haiti serão utilizados no combate ao tráfico de drogas no Rio de Janeiro.

Segundo o general Fernando Sardenberg, da Brigada de Infantaria Paraquedista, a tropa que está no Estado é mais operacional do Exército brasileiro.

De acordo com Jobim, os militares do Exército irão cercar as comunidades em que há operações --Alemão e Vila Cruzeiro-- enquanto a Marinha e a Aeronáutica darão apoio logístico às ações das polícias militar e civil.

"Nossa intenção é substituir elementos dos órgãos de segurança pública de maneira a propiciar ao estado economia de meios para que outros homens da polícia possam ficar livres para outras ações", disse Sardenberg.

O Exército também conta com jipes (o número não foi informado), que estão trazendo mantimentos e munições do quartel para reforçar os 44 pontos. Sardenberg informou ainda que os 800 homens são todos do Rio de Janeiro, não são de fora do Estado.

"Covardes"

De acordo com o coronel Álvaro Garcia, chefe de Estado Maior da Polícia Militar, reforçarão as operações três helicópteros blindados da Aeronáutica, aptos a fazer patrulhamento noturno; um deles vindo do Mato Grosso do Sul, talvez ainda seja utilizado hoje.

Garcia informou que nesta sexta-feira 200 homens da Polícia Militar, Bope e Polícia Civil estão participando da operação na Vila Cruzeiro. O comandante da PM acredita que ainda haja cerca de 200 marginais na comunidade e, segundo ele, moradores coniventes com os criminosos.

"Os marginais estão abatidos. São todos covardes, fugiram ontem igual lebres. Eles têm que ver que não devem enfrentar o estado nunca", disse. Para Garcia, os traficantes estão com a "moral baixa" e muito mal psicologicamente. "A atuação dentro da comunidade é nossa. O Exército vai impedir que marginais fujam", completou .

A PM está estudando uma incursão no Alemão, já que, segundo ele, os criminosos estão sem condições de fugir.

Ocupação

Policiais militares apreenderam grande quantidade de armas e drogas durante a operação de ontem e da madrugada desta sexta-feira (26) na favela da Vila Cruzeiro, zona norte do Rio de Janeiro. Cerca de 200 traficantes deixaram o local nesta quinta-feira após uma megaoperação da polícia.

Homens do Bope (Batalhão de Operações Especiais da PM) apreenderam três fuzis, duas metralhadoras, um revólver, mais de 1.200 munições, bombas caseiras e duas granadas. Também foi apreendida uma farda cinza sem identificação.

Os policiais do Bope encontraram uma quantidade muito grande de maconha, cocaína e crack (ainda não contabilizados), material para endolação, além do analgésico Sigmaliv, utilizado para aumentar o efeito da cocaína.

Já os policiais do 16º Batalhão (Olaria), apreenderam uma submetralhadora 9 mm, de fabricação italiana, um fuzil .30, um fuzil 762 (FAL), uma granada, 33 bombas caseiras, 15 mil papelotes de cocaína prontos para a venda, 57 kg de maconha, uma balança de precisão, três coletes a prova de bala, seis fardas semelhantes às utilizadas pelo Bope e seis pares de coturno.

Balanço

De acordo com a PM, desde domingo, dia do início dos ataques em série dos criminosos, 96 veículos foram incendiados, entre eles, vários ônibus. Nos seis dias de conflito entre policiais e traficantes até hoje, a PM diz que foram apreendidas dezenas de armas, granadas, drogas e garrafas de gasolina. Pelo menos 217 pessoas foram presas ou detidas, quatro policiais foram feridos e 34 pessoas foram mortas.

Pelas informações passadas pelos hospitais e pela Secretaria Estadual de Saúde, mais seis pessoas morreram ao longo do conflito - quatro na quarta-feira e mais duas hoje.

O Rio de Janeiro vive uma guerra contra o tráfico. Hoje, policiais civis, militares e federais foram alvos de disparos de traficantes na tentativa de entrar no Complexo do Alemão. As operações em morros e favelas visam acabar com a série de ataques, arrastões e incêndios em veículos.

Falar em cena de guerra não é exagero: veículos blindados da Marinha estão sendo usados nas operações. Mesmo assim, os bandidos desafiam as autoridades e continuam impondo tentativas de ataques.

As autoridades fluminenses consideraram os ataques uma resposta à política de ocupação de favelas por UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) e à transferência de presos para presídios federais. A intenção seria colocar medo na população.

A polícia investiga se os ataques estão sendo orquestrados pelas facções criminosas Comando Vermelho e ADA (Amigos dos Amigos). Na quarta-feira, oito presidiários foram transferidos do Rio para o presídio de segurança máxima em Catanduvas (PR). Ontem, líderes que estavam em Catanduvas foram transferidos para Porto Velho (RO).

Fonte: UOL Notícias (com informações da Agência Estado)