sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011 FAMÍLIA MILITAR.

A ABSMSE DESEJA A TODOS E EM ESPECIAL À FAMÍLIA MILITAR UM 2011 REPLETO DE FELICIDADES E REALIZAÇÕES.



Nossa mensagem de Ano Novo:

Receita para um Ano Novo Feliz


Pegue 12 meses inteiros.
Limpe-os bem, tirando toda a amargura,
ódio e inveja.
Deixe-os tão limpos quanto possível.
Depois corte cada mês em 28, 30 ou 31
partes diferentes, mas não pegue todas
de uma vez só.
Prepare-as pouco a pouco, atento aos ingredientes.
Misture bem em cada dia uma porção de fé,
uma porção de paciência, uma porção de coragem
e uma porção de trabalho.
Adicione uma parte de esperança, lealdade,
generosidade, meditação e boa vontade.
Tempere tudo com pitadas de espiritualidade,
diversão, um pouco de brincadeiras
e um copo cheio de bom humor.
Despeje tudo isso numa tigela de amor.
Cozinhe bem, com muita alegria,
e enfeite com um sorriso.
Depois sirva tranquila, desapegada e carinhosamente.
Assim você está destinado a ter muitas
Felicidades.


É o que deseja a ABSMSE para todos.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

PM FALA SOBRE PROCEDIMENTO CONTRA VIEIRA.

De acordo com a assessoria da Polícia Militar o amplo direito de defesa e somente se for comprovado à transgressão é que o militar responderá a um inquérito

Será apurado se existiu transgressão por parte do sargento (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Na tarde desta quarta-feira, 30, a assessoria de comunicação da Polícia Militar falou sobre a abertura de um novo procedimento em que o sargento Jorge Vieira será ouvido na próxima semana. De acordo com informações do próprio militar, o motivo seria entrevistas concedidas a alguns veículos de comunicação denunciando a criação de unidades da PM de forma ilegal.

O tenente-coronel Luiz Fernando explicou que o sargento Vieira será ouvido e que somente após a apuração é que será decidido se existiu transgressão ou indícios de crimes. O assessor salientou ainda que se for comprovado à transgressão de disciplina o militar poderá ser punido.

O advogado da Associação Beneficente de Servidores Militares (Absmse), Márlio Damasceno, explicou que tomará as providências no sentido de esclarecer que não existiu nenhum tipo de insubordinação por parte do sargento Vieira. O advogado disse ainda que, a exemplo do que já foi feito, procurará o Ministério Público para que seja apurada mais uma denúncia que poderá envolver perseguição por parte do comando.

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

BRASILEIRO TERÁ DOCUMENTO DE IDENTIDADE COM CHIP.

Em 2011, 2 milhões de brasileiros poderão substituir a cédula do Registro Geral (RG) pelo cartão de Registro de Identidade Civil (RIC). Com a chegada do RIC, cada cidadão passa a ser reconhecido nacionalmente por um único número, vinculado diretamente às suas impressões digitais e registrado em um chip presente no cartão. O novo documento foi lançado hoje (30), em Brasília, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto.

Segundo Barreto, a nova identidade é um dos mais modernos documentos de identificação do mundo. “Com o RIC, o Brasil ingressa no século 21. A identidade atual completou 27 anos sem muitas mudanças. O novo RIC é mais moderno, traz tecnologia de ponta, é mais seguro e mais prático. No futuro, esse documento também integrará o CPF, o título de eleitor e muitos outros documentos. Além disso, há possibilidade de fazer transições bancárias com o novo cartão.”

A nova identidade é um cartão magnético com impressão digital e chip eletrônico, incluirá nome, sexo, data de nascimento, foto, filiação, naturalidade, assinatura, impressão digital do indicador direito, órgão emissor, local e data de expedição e de validade.

De acordo com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowsky, o novo documento de identificação é a prova de fraudes e evita que uma mesma pessoa seja identificada por mais de um número de registro em diferentes estados da Federação ou que o cidadão seja confundido com uma pessoa de mesmo nome.“Os resultados [do RIC] são de extrema relevância. Essas vantagens poderão contribuir para mitigar os graves prejuízos para o estado e para os cofres públicos, pois evita crimes”, afirmou.

A substituição da carteira de identidade será feita, gradualmente, ao longo de dez anos. As primeiras cidades que receberão o projeto piloto no próximo ano serão Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Hidrolândia (GO), Ilha de Itamaracá (PE), Nísia Floresta (RN) e Rio Sono (TO).

Os cidadãos contemplados nesta etapa inicial receberão uma carta indicando a possibilidade de troca do RG pelo RIC, além do local onde o novo documento poderá ser retirado. A implementação da nova identidade não compromete a validade dos demais documentos de identificação.

A emissão do RIC em 2011 será custeada pelo Ministério da Justiça, o cidadão não precisará pagar pela troca. Segundo o ministério, o investimento no primeiro ano será de cerca de R$ 90 milhões. Para os próximos anos, o comitê gestor do RIC vai definir a origem dos recursos que vão custear as emissões, sendo possível, inclusive, parcerias público-privadas e financiamentos internacionais.

Fonte: Agência Brasil (Daniella Jinkings)

DPM DE ILHA DAS FLORES PRENDE ACUSADOS DE ROUBO A UMA MERCEARIA, SENDO UM DELES TAMBÉM ACUSADO DE LATROCÍNIO.

Policiais militares da 2ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar (2ª Cia/2º BPM), lotados do Destacamento Policial Militar de Ilha das Flores, prenderam na quarta-feira, 29, Adriano Vieira Santos, vulgo “Adrianinho”, e Ricardo Nunes da Silva, 32 anos, vulgo “Cacau”, acusados de roubar a quantia de R$ 200 de uma mercearia no povoado Brejão, cidade de Brejo Grande.

A ação aconteceu por volta das 10h30, quando uma guarnição composta pelo cabo Sérgio, Aluno CFC Campos e Aluno CFC Gisélio recebeu a denúncia de que dois homens em uma motocicleta efetuaram um roubo a um estabelecimento comercial em Brejo Grande.

Os policiais seguiram em perseguição à dupla, que foi localizada no povoado Piranhas, já no município de Pacatuba. A dupla tentou fugir em uma motocicleta CG 150, de cor preta, mas não conseguiu. A PM prendeu os dois homens, apreendeu R$ 200 roubados da mercearia, um revólver calibre 38 e a quantia de R$ 600 em notas falsas de R$ 50.

Ricardo é acusado por latrocínio em Itabaiana e responde mediante condicional. Adriano é acusado de homicídio em Neópolis e já realizou diversos crimes na cidade de Propriá. O caso foi encaminhado à Delegacia de Brejo Grande.

RADIOPATRULHA PRENDE ACUSADO POR TRÁFICO DE DROGAS NO BAIRRO SANTOS DUMONT.

Policiais militares da Companhia de Polícia de Radiopatrulha (CPRp) prenderam na manhã desta quinta-feira, 30, no bairro Santos Dumont, Rafael da Silva Santos, acusado de portar certa quantidade de maconha nas imediações do “Morro da Reação”.

Em meio à operação, um adolescente também foi apreendido. O acusado é um dos responsáveis pela distribuição de drogas no referido bairro e tem passem pela polícia acusado por roubo. O caso foi encaminhado ao Departamento de Narcóticos (Denarc).

CPRv COMEÇA OPERAÇÃO ANO NOVO SEGURO.

São oito postos de fiscalização: três na capital e cinco no interior, todos eles equipados com etilômetros


A Companhia de Polícia Rodoviária Estadual, CPRv, iniciará às 0h do dia 30 a Operação Ano Novo Seguro. Neste ano, além da manutenção dos serviços prestados em dias normais, como a fiscalização e o atendimento a acidentes de trânsito, o efetivo será reforçado visando manter a segurança das rodovias do estado.

São oito postos de fiscalização: três na capital e cinco no interior, todos eles equipados com etilômetros, visando coibir o perigo de se ter veículos sendo guiados por condutores embriagados. Caso seja comprovada a prática do crime, o veículo será retido, a documentação recolhida, o condutor será autuado e conduzido à delegacia.

A atenção nesse período será concentrada na região litorânea, que recebe um grande fluxo de veículos do interior e de outros estados. A rodovia SE-100, que liga o litoral Norte ao Sul, receberá equipes de fiscalização que autuarão inclusive, os condutores que insistirem em expor ao perigo os banhistas, estacionando seus veículos na areia das praias.

Os municípios de Aracaju, Estância, Itaporanga D’Ajuda, Carmópolis e Neópolis também solicitaram o apoio da CPRv, que enviará equipes para controle e fiscalização do trânsito durante as festividades de final de ano.

O tenente Ricardo, que responde pelo Comando da CPRv, acredita que o efetivo empregado (60 homens em 19 viaturas), ajudará na segurança das famílias durante a viagem, mas alerta sobre a conscientização dos condutores, para que todos possam aproveitar as festas e retornarem em paz aos seus lares.

Fonte:  blog da CPRv

ADVOGADO DA ABSMSE COMENTA NOVO PROCESSO QUE RESPONDE SARGENTO VIEIRA.

Advogado da ABSMSE, Márlio Damasceno, participou do Comando Geral desta quinta-feira, 30, para informar que mais uma vez o sargento Vieira irá responder a um novo processo, devido ao mesmo ter denunciado que unidades de polícia estão funcionando irregularmente, por não terem sidos criadas conforme a legislação.

Márlio Damasceno informa após a conclusão do inquérito o sargento poderá ser punido com a prisão e lamenta que um representante seja punido, uma vez que defende os interesses de todos e não só da Caixa Beneficente.

ENTREVISTA É ALVO DE PROCEDIMENTO CONTRA SARGENTO.

Por conta de entrevistas divulgadas em veículos de comunicação sobre as companhias não legalizadas na Polícia Militar, sargento sofrerá novo procedimento

Gestor responde a mais um procedimento na PM

O gestor da Associação Beneficente de Servidores Militares de Sergipe (Absmse), sargento Jorge Vieira, será novamente ouvido em outro procedimento aberto pela Polícia Militar. De acordo com o gestor a entrevista foi fornecida a diversos veículos de comunicação sobre a ilegalidade de companhias que estão em funcionamento sem a devida regularização.

Segundo Vieira as declarações foram consideradas abusivas por parte do comando da PM. Na próxima terça-feira, 4, o gestor da Absmse irá até a sede do Grupamento Tático Aéreo onde um oficial da corporação prestará esclarecimentos. Este não é o primeiro caso em que a associação é alvo de inquéritos. No último dia 14 desse mês, além de Vieira, o sargento Edgar Menezes foi transferido para o interior do Estado. A transferência ocorreu após os gestores da associação terem viajado sem a autorização do comando.

O Ministério Público já apura algumas denúncias da Absmse referentes a perseguição por parte da PM.

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

SÃO PAULO: EX-POLICIAIS SÃO ACUSADOS DE MATAR POLICIAIS POR ENCOMENDA.

O Ministério Público de São Paulo investiga um grupo de cerca de ex-policiais militares e civis suspeito de cometer assassinatos por encomenda. Segundo a investigação, o grupo receberia entre R$ 30 mil e R$ 50 mil para assassinar policiais e ex-policiais que combatiam ou participavam de esquemas de exploração de jogos de azar, como bingos, caça-níqueis e o jogo do bicho. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Um dos investigados afirmou, em depoimento ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP (Gaeco), que a quadrilha era chefiada pelo ex-PM Luiz Roberto Martins Gavião. Na década de 1990, Gavião foi sócio do ex-delegado Paulo Sérgio Óppido Fleury em uma empresa de segurança particular. Fleury foi demitido da polícia em junho por irregularidades administrativas e é suspeito de ser o agenciador dos crimes do grupo. Ele ainda não foi intimado para prestar depoimento e nega ligação com o caso. Já Gavião não compareceu a uma intimação e é considerado foragido.

Fonte: Portal Terra

OS JORNALISTAS MARCOS LUDUVICE E AÍDA BRANDÃO ENVIAM E-MAIL DESEJANDO UM FELIZ 2011 A TODOS QUE FAZEM A ABSMSE E EXTENSIVOS A TODOS OS MILITARES SERGIPANOS.

Os jornalistas Marcos Luduvice e Aída Brandão enviaram e-mail no dia de ontem, desejando a todos que fazem a ABSMSE e aos demais militares sergipanos, votos de um feliz 2011.

Confiram o teor do e-mail enviado:

"Caros companheiros,

Que nesse ano possamos sonhar,
E acreditar, de coração, que podemos realizar cada um de nossos sonhos,
Que esses sonhos possam ser compartilhados pelo bem,
E que eles tenham força de transformar velhos inimigos em novos amigos verdadeiros,
Que nesse ano possamos abraçar,
E repartir calor e carinho,
Que isso não seja um ato de um momento,
Mas a história de uma vida.
Que nesse ano possamos beijar,
E com os olhos fechados, tocar o sabor da alma,
Que tenhamos tempo para sentir toda a beleza da vida,
E que saibamos senti-la em cada coisa simples,
Que nesse ano possamos sorrir,
E contagiar a todos com uma alegria verdadeira,
Que não sejam necessárias grandes justificativas para nosso sorriso,
Apenas a brisa do viver,
Que nesse ano possamos cantar,
E dizer coisas da vida,
Que não sejam apenas músicas e letras,
Mas que sejam canções e sentimentos,
Que nesse ano possamos agradecer,
E expressar a Deus e a todos: “Muito Obrigado!”,
Que nesse “todos” não sejam incluídos apenas os amigos,
Mas também aqueles que, nos colocando dificuldades, nos deram oportunidades de sermos melhores.
E assim começamos mais um Ano Novo,
Um dia que nasce, um primeiro passo, um longo caminho,
Um desafio, uma oportunidade e um pensamento:
“Que nesse ano sejamos, todos, Muito Felizes!”

Feliz 2011 a todos!

São os mais sinceros votos de Marcos Luduvice e Aída Brandão"

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

GESTOR DA ABSMSE RESPONDE A NOVO PROCESSO.

Os gestores da Associação Beneficente dos Servidores Militares de Sergipe (ABSMSE) estão sendo impedidos de trabalhar em pról da associação, devido aos inúmeros processos administrativos e inquéritos policiais que estão respondendo.

Todas as declarações feitas pelos gestores da Caixa, coronel Péricles, sargentos Jorge Vieira e Edgard Menezes, à imprensa, são consideradas “abusivas” e “desrespeito ao superior”, e em seguida os PMs são “convocados” para responder inquérito.

Na manha desta quarta-feira (29), a redação do FAXAJU recebeu a informação de que o sargento Jorge Vieira, mais uma vez, irá responder a um novo Processo Apuratório Disciplinar (PAD), por conta de uma entrevista que concedeu à imprensa, denunciando as unidades da policia que são “fantasmas”, ou seja, estão funcionando irregularmente, por não existirem de conformidade com o que determina a lei.

Segundo as informações passadas, Vieira deverá no inicio da próxima semana, se apresentar em uma unidade onde irá responder o inquérito a um oficial. O que chama a atenção neste caso. É que onde o sargento será ouvido pelo oficial, será exatamente em uma dessas unidades que estão funcionando irregularmente.

A partir daí, os gestores sentindo que estão sendo perseguidos pelo comando da PM, deverão acionar o setor jurídico da Caixa, para que de entrada junto ao Ministério Público, pedindo que seja averiguado, o porque os gestores respondem a tantos inquéritos. O advogado da ABSMSE, Dr. Márlio Damasceno, deve entrar na próxima segunda-feira, com uma representação junto ao MP, para que o órgão verifique se não está ocorrendo perseguição por conta das declarações e denuncias dos gestores.

A redação do FAXAJU tentou entrar em contato com Vieira, para confirmar a informação, porem seu telefone estava desligado.

Fonte: Faxaju (Munir Darrage)

"SE BEBER NÃO NADE", ORIENTA O CORPO DE BOMBEIROS.

Major do Corpo de Bombeiros dá dicas sobre uso das praias


Período de férias aumenta o risco de afogamentos nas praias, isso porque, segundo o Corpo de Bombeiros, aumenta a imprudência dos banhistas ao ignorar alguns cuidados.

"Se beber, não nade! A recomendação não é só para motoristas. Sob efeito do álcool, o banhista perde noção de espaço além de ficar mais afoito", declara o major Henrique, do sub-Agrupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros de Sergipe.

De acordo com o major, a praia da Coroa do Meio é de perigo permanente e deve ser evitada pelos banhistas.

Fonte: Emsergipe.com

A POLÍCIA, O ESTADO E A ORDEM PÚBLICA.

Antes de ferir o patrimônio público ou particular, a corrupção policial degrada os seus valores íntimos, desvirtua a sua nobre missão, relativiza o costume e a cultura da sua própria moral.

A polícia está dentre todas as instituições públicas como a mais exigida, a mais observada pela população. A questão de ser o policial o real protetor do povo e da ordem pública, o guardião das leis penais, faz com que a comunidade acompanhe todos os seus passos e lhe cobre sempre e efetivamente, além do destemor, ações condignas e leais provindas dos seus atos.

É bom frisar que quando os agentes encarregados de manter a lei e a ordem descambam para a arbitrariedade e para o comportamento desregrado, instalam inconscientemente o risco de instabilidade do Estado, periclitando suas instituições.

Assim, se alguma margem de desvio no universo formal compromete a normalidade da rotina de funcionamento do Estado, os contextos de grave disparidade entre desempenho ideal e real das polícias podem alcançar efeitos devastadores de controle na dinâmica de legitimação da ordem pública.

Todos podem observar que o trabalho do policial é árduo, perigoso, estressante e ineficiente financeiramente, por isso, exige prudência, perseverança, amor a profissão e capacidade de concentração aguçada com equilíbrio e razoabilidade nos seus atos para que não ocorram os irreparáveis deslizes.

As ações e os atos vergonhosos e criminosos praticados por aquele cidadão que se acha e se diz policia, mas que na verdade é falso policial, bandido disfarçado de polícia, travestido de polícia, além de abrir chagas no seio da instituição policial é, sem sombras de dúvidas, o mais sério e grave problema existente no âmbito interno da nossa segurança pública.

Em verdade o travestido de polícia está na força pública para extorquir, roubar, matar, prevaricar e sempre se proteger atrás do seu distintivo, fazendo dos bons o seu escudo e dividindo com os honestos as críticas pelos seus atos insanos.

Antes de ferir o patrimônio público ou particular, a corrupção policial degrada os seus valores íntimos, desvirtua a sua nobre missão, relativiza o costume e a cultura da sua própria moral e o pior, torna negativo o conceito público da nossa instituição que sempre generaliza e põe todos os policiais na mesma vala até mesmo como se fossemos componentes do submundo da sociedade.
Assim, o bom policial, o digno e leal policial, aquele que veste a camisa da polícia, aquele que verdadeiramente se veste completo de polícia e disso tem orgulho, paga perante o conceito depreciativo do nosso povo, pelos atos insanos do falso policial, pelos atos criminosos do travestido de polícia.

É preciso pois, acabar com essa situação para expurgar constantemente e sempre o incomodo falso policial do nosso meio, entretanto, para que a depuração e a autodepuração sejam trilhadas fortemente, é necessário principalmente, que se reformem as leis administrativas e penais em desfavor desses infratores, transformando os seus respectivos procedimentos em atos mais ágeis e menos burocráticos, aplicando-se punições rápidas e justas quando das suas culpabilidades, sem esquecer que os bons policiais também devem mirar as suas próprias fileiras, expondo e ajudando a purgar as feridas causadas pelo travestido de polícia.

Noutro ponto crucial que atinge em cheio o verdadeiro policial, assistimos de uma maneira ampla os nossos salários sendo sucateados e achatados em quase todos os Estados da nação, enquanto a corrupção dos travestidos de polícia continua tendo esta razão como causa principal dos seus insanos atos.

Assistimos igualmente ao longo dos tempos os nossos leais e bravos policiais sempre desvalorizados e humilhados pelo poder público, até mesmo tendo que residir com as suas famílias no mesmo ambiente dos fortes traficantes de drogas ou bandidos outros que comandam as diversas áreas periféricas das cidades.

A PEC 300 que busca dentre outros o piso salarial nacional, um salário digno para a polícia se arrasta a passos de bicho-preguiça, sempre procrastinada, sem solução adequada ou aprovação no Congresso e até com proposta de inviabilização ou mesmo implosão de vez pelos mesmos deputados federais que recentemente, mesmo a contragosto da população, em velocidade de guepardo aumentaram estupidamente os seus próprios salários, é o exemplo vivo de que o poder público parece pretender continuar com uma polícia fraca, desvalorizada, desmotivada, desacreditada, submissa, esvaziada, humilhada, falida e até corrupta.

Repensar esses conceitos é dever do Estado para resgatar a real razão do que vem a ser polícia na pura expressão da palavra para propor o verdadeiro bem estar da coletividade que clama por uma melhor segurança pública, uma segurança pública de excelência que só pode ser alcançada com uma forte e decente polícia.

Caso contrário, mobilizações nacionais serão inevitáveis trazendo o próprio mal estar para a nação brasileira que já está saturada de tanta violência e aumento de criminalidade em todo canto do país.

Artigo enviado para este blog por Archimedes Marques (Delegado de Polícia. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública pela U.F.S. Atualmente lotado na Delegacia de Apoio e Defesa do Idoso, em Aracaju- SE)

RIO DE JANEIRO: BOPE APREENDE DUAS TONELADAS DE MACONHA NA ROCINHA; SUSPEITO É DETIDO.

Homens do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) do Rio de Janeiro realizam desde as 7h30 desta quarta-feira (29), uma operação na favela da Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro. Cerca de duas toneladas de maconha foram apreendidas, segundo a assessoria da Polícia Militar.

té as 10h45, um suspeito havia sido detido, segundo o coronel Lima Castro, relações-públicas da PM. "Não houve confronto, não há feridos. Só houve disparo de fogos de artifício quando a polícia entrou na favela".
O suspeito era fugitivo do morro do Boréu, favela que fica no bairro da Tijuca, na zona norte, onde foi instalada uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).
A ação visa prender traficantes e apreender armas e drogas. "Estamos checando várias denúncias", disse Lima Castro.

“Operação Papai Noel”

Na Vila Cruzeiro, zona norte, diversas delegacias da Polícia Civil realizam a “Operação Papai Noel”, na qual serão entregues 10.500 presentes para crianças da comunidade. Os policiais irão cercar a comunidade com helicópteros e descerão de rapel com os presentes.

Fonte: UOL Notícias

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

RADIOPATRULHA PRENDE ACUSADO DE FURTAR ESTABELECIMENTO EM SÃO CRISTÓVÃO.

Policiais militares da Companhia de Polícia de Radiopatrulha (CPRp) prenderam na madrugada desta terça-feira, 28, Adielton Ramos Santos, 24 anos, acusado de cometer furto junto a um estabelecimento comercial localizado no conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão.

A ação aconteceu quando uma guarnição comandada pelo cabo Paulo Ferreira recebeu a denúncia - via Ciosp 190 – que estava acontecendo um furto a uma loja de confecções na referida localidade.

Os policiais seguiram ao local e flagraram o homem suspeito tentando fugir pela janela com 15 bermudas em uma mochila, também retirada da loja. O caso foi encaminhado à Delegacia Plantonista.

JORNALISTA KÁTIA SUSANNA DO PORTAL INFORNET DESEJA A ABSMSE E AOS MILITARES SERGIPANOS UM 2011 REPLETO DE BENÇÃOS.

A jornalista Kátia Susanna do Portal Infonet, enviou e-mail no último dia 24, desejando a todos que fazem a ABSMSE e aos militares sergipanos um ano novo repleto de bençãos:

Confiram o teor do e-mail enviado:

"Este ano reflitam sobre a fé!!
Agradeçam pelas benção e depositem toda aflição no senhor Jesus Cristo,
Gosto muito dessa música da Bruna Karla, chama-se ‘Advogado Fiel’
A letra e canção me tramsite paz !

Não vou me preocupar com as perseguições
Com as pedras que me lançam, Jesus está por perto
Eu posso confiar, eu posso descansar, Jesus está por perto
Pra falar atire a primeira pedra
Aquele que não tem pecado, aquele que não erra
Pra me defender diante do inimigo
Tomar minha dor, pra chorar comigo
Pra me sustentar debaixo de Tua destra
Isso é fato consumado, os meus casos impossíveis
Serão sempre encerrados pelo meu advogado ...
Meu advogado é o meu Senhor
Ele me defende do acusador
Minha causa entreguei em suas mãos
Posso descansar o meu coração
Minha audiência ele já marcou
E garantiu de novo que eu serei o vencedor
Meu advogado mora lá no céu
Verdadeiro justo, pra sempre fiel
Advogado fiel, advogado fiel
O meu Jesus é pra mim
Advogado fiel

Um feliz 2011 para todos da ABSMSE e aos policiais e bombeiros militares.

Kátia Susanna"

COMENTÁRIO INTERESSANTE SOBRE DESMILITARIZAÇÃO.

Um anônimo postou um comentário muito interessante na postagem do blog sobre "Desmilitarização das Polícias Militares", de forma que resolvi publicá-lo aqui na página principal. Veja:

Mais uma fez vou manifestar-me sobre este assunto. Acabei de ler alguns dos comentários e vejo que a desmilitarização se torna cada vez mais forte, pois não há argumento válido para se manter o modelo atual.

Quero contar uma estória da carochinha. Era uma vez um senhor chamado "estado", que necessitava vigiar toda sua terra, pois era um grande feudo. Incumbiu ao seu chefe de caça que desenvolvesse uma arma capaz de vigiar toda sua propriedade, prometendo-lhe muitas recompensas, principalmente títulos de nobreza.

Então o chefe de caça procurou entre os súditos do reino uma classe de pessoas que se interessase em defender o reino, mas sua procura foi em vão. Quem em sã consciência defenderia aquele vasto reino em troca de tão pouco,um prato de ração e local para dormir?

Já decepcionado, viu em um certo animal, o cão, a capacidade de cumprir esta ardua missão e começou então a adestrá-los, constatando que o animal era muito eficiente, uma vez que trabalhava o dia todo sem reclamar.

O tempo foi passando e os cães foram se afeiçoando ao senhor feudal. O chefe de caça, não gostando da atitude dos animais, resolveu infligir-lhes tratamento agresivo. Todo dia, quando passava perto deles, chutava-lhes a cara, dava-lhes choque, retirava o prato de comida no meio de sua refeição, fazia com que corressem o dia inteiro, preparando-os fisicamente, mas enfraquecendo sua capacidade de reação.

Os animais chegaram a uma fadiga mental tão grande que não mais reconheciam a quem deveriam proteger, pois estavam mecanizados a atacar a todos que chegavam perto do feudo, inclusive aos súditos. Alguns cães foram sacrificados, outros presos em canis, e os que ainda restaram estavam mentalmente doentes, muitos dos quais queriam fugir, mas já estavam velhos e não sobreviveriam fora do feudo. Mas também haviam os que gostavam do chefe de caça, uma vez que sempre cumpriam sua missão e recebiam mordomias e, dessa forma, permaneceram fortes, bem visíveis, prontos a agir, pois ladravam toda vez que um cão tentava escapar do feudo; abanavam sempre o rabo quando o chefe de caça pasava perto dele, como que dizendo, estou aqui, senhor.

Fonte: Universo Policial

3º BPM PRENDE HOMEM COM 13 PEDRAS DE CRACK E MACONHA EM ITABAIANA.

Policiais militares do 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM) prenderam na noite de segunda-feira, 27, Júnior dos Santos Silva, 29 anos, acusado de comercializar entorpecentes com um adolescente de 17 anos na Praça João Pessoa, em Itabaiana.

A ação aconteceu por volta das 22h30, quando uma guarnição composta pelo cabo Nelson, Aluno CFC Santiago, soldado Márcia e soldado Alves recebeu a denúncia de que havia duas pessoas comercializando drogas no referido local.

Os policiais seguiram ao destino mencionado e realizaram abordagens junto ao adolescente e ao homem, que portavam 13 pedras de crack, R$ 139,90 em espécie, um celular e uma trouxa de maconha. O caso foi encaminhado à Delegacia Regional de Itabaiana. Participaram ainda da ação o sargento Osmundo, o Aluno CFS Sandes e a soldado Cintia.

GRITO DE SOCORRO.

Após publicar o post "Profissão ou escravidão?", recebi um e-mail e prometi ao autor que iria publicá-lo no blog, como forma de mostrar a escravidão à qual estamos submetidos. Substitui todas as palavras que pudessem identificar o policial militar por "?". Meus comentários são desnecessários, pois o texto fala por si só.

Venho aqui "gritar" um pedido de socorro. Socorro é a palavra certa para isso. Trabalho no Destacamento PM de ?, pertencente ao ? BPM, e estamos vivendo aqui uma tremenda INJUSTIÇA, uma gigante INCONSTITUCIONALIDADE. A historia se resume assim:

Foi editado pelo Comando da ? RPM, um memorando que altera a escala de serviço dos destacamentos para 5/1, ou seja, 5 dias de trabalho de 8 horas, por 01 dia de folga.

Até aí, não há tantas lágrimas. O problema que o memorando trás que nenhum policial militar poderá se deslocar da cidade onde esta lotado durante os 5 dias de serviço. Isso quer dizer que eu, que sou casado, tenho um filho de 2 anos, pai de familia, e que moro apenas a 8 KM de ?, não posso me ausentar da cidade durante os 5 dias de serviço, mas apenas 01 dia por semana.

Senhor, eu imagino o peso do que estou escrevendo para o senhor. Estamos sendo obrigados a ficar "encarcerados" nos Destacamentos. Gostaria de poder ter gravado uma ligação da minha esposa chorando perguntando se eu não podia ir para casa, que ja havia 3 dias que eu estou em ?. Nossa gloriosa PM?, que tanto me orgulho, está nos maltratando, muito mais do que a lei maltrada o mais perverso criminoso.

Caso o senhor desejar, eu envio o memorando para o senhor. Estou pedindo, estou implorando para o senhor interceder por nós. Eu acredito no senhor. E quero ressaltar ao senhor que estou me identificando nessa mensagem, porém, se alguém souber dela, eu sofrerei repressalias. O senhor sabe que é verdade! Peço, sobre a proteção de DEUS, que minha identificação fique apenas com o senhor. Que essa mensagem funcione como uma mensagem anônima, pelo medo que eu tenho de ser perseguido.

O memorando refere-se ao problema que o Estado vizinho sofreu com a criminalidade, porém a própria PMERJ não esta mais impondo nada aos integrantes daquela co-irmã.

Nós, aqui do interior, ao qual já sofremos com escalas monstruosas, com faltas de recursos, estamos tendo que ficar presos no trabalho. Por favor, olhe por nós. Procure saber desse memorando, desse sobre-aviso, dessa escala. Eu fico dias sem ver meu filho de 02 anos! E eu não moro a 100 km de onde trabalho, não moro a 400 km. Moro numa cidade vizinha de 8 km de distancia. Parece um absurdo, mas é a realidade que estamos vivendo. Tem dias nessa escala de 5 por 1, que não tenho folga. Um exemplo é nesse proximo sabado, onde eu trabalharei das 20h de sabado até as 04h do domingo. Porem no domingo é minha folga, só que como eu posso dizer que estou "folgado no domingo", sendo que estarei de trabalho até as 04h? E depois das 4h da manhã? Sera que eu conseguirei passar o domingo com minha familia, ou terei que dormir para ja na segunda-feira, voltar de serviço as 10h da manha?

Senhor, tudo isso esta provado na escala pregada nos celotex dos destacamentos da nossa região. É um absurdo o que estamos vivendo. Estou implorando por um dos mais simples direitos constitucionais: o direito de ir e vir. O direito de se locomover em teritorio nacional em tempos de paz. Por favor, mantenha o sigilo do meu nome. ESTAMOS SOFRENDO!

Fonte: Universo Policial

CPRv COMEMORA NATAL COM DISTRIBUIÇÃO DE LANCHE E BRINQUEDOS A ENTIDADE FILANTRÓPICA.



A Companhia de Polícia Rodoviária Estadual(CPRv) realizou, na última quinta-feira, 23, na sede da subunidade militar, o seu primeiro Natal Solidário. A iniciativa contou com a participação e colaboração de vários policiais rodoviários.

A entidade beneficiada foi o Centro Comunitário Terezinha Meira, que fica próximo à sede da subunidade, no bairro Capucho. Na ocasião, cerca de 60 crianças receberam lanche e brinquedos, distribuídos por um Papai Noel muito especial - o cabo PM Souza, que já realiza um trabalho assistencial com equipes de futebol nas instalações da Companhia.

A professora Viviane fez questão de agradecer o apoio dos policiais em proporcionar um Natal diferente às crianças atendidas pela instituição, lembrando que a entidade não tem fins lucrativos e funciona por meio de doações.

Para a soldado Paulina, uma das idealizadoras da festa, o evento foi um momento importante de exercício da solidariedade, bem como uma oportunidade de aproximar a Polícia da comunidade local, visando à melhoria da prestação do serviço de segurança pública aos moradores da região.

Fonte: blog da CPRv

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

CPI APROVA RELATÓRIO COM OITO PROJETOS PARA COMBATER A VIOLÊNCIA NO PAÍS.

Texto sugere piso salarial nacional para policiais, medidas de controle das fronteiras e reestruturação do sistema carcerário, além de aumento da tributação da cerveja para reduzir consumo e acidentes de trânsito.

Deputado Paulo Pimenta

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPIComissão de caráter temporário criada a requerimento de pelo menos um terço do total de integrantes da Casa, destinada a investigar fato de relevante interesse para a vida pública e para a ordem constitucional, legal, econômica ou social do País. Tem poderes de investigação equiparados aos das autoridades judiciais. ) da Violência Urbana aprovou na quarta feira, dia 15 de dezembro, o relatório final do deputado Paulo Pimenta (PT-RS) com sugestão de oito projetos de lei e diversas providências a serem tomadas pela União, estados e municípios para reduzir a criminalidade e as mortes violentas.

Paulo Pimenta reconheceu que o tema é muito amplo e explicou que centrou suas atenções em três eixos: a profissionalização das polícias, o controle de fronteiras e a reestruturação do sistema carcerário.

Em relação às polícias, o texto sugere, por exemplo, a valorização dos profissionais por meio de um piso salarial nacional. A ideia é evitar que o policial trabalhe em outros empregos para complementar a renda, os chamados "bicos".

Paulo Pimenta reconhece que a proposta que prevê essa medida (PECs 446/09 e 300/08) enfrenta resistência por parte do governo. Mas ele acredita que, com uma adoção progressiva, uma proposta nesse sentido possa ser aprovada no Governo Dilma Rousseff.

"A criação de um piso em que haja uma responsabilidade compartilhada entre União e estados é imperativa. Não há como pensar uma política de segurança no País sem resolver a questão do piso. Você não vai acabar com o 'bico' se pagar um salário que não permita ao policial exercer sua atividade em tempo integral."

Presídios

Sobre a reestruturação do sistema carcerário, o deputado destacou que várias medidas e projetos de lei sugeridos no relatório buscam reduzir a população nos presídios, já que os detentos, segundo ele, apresentam taxa de 70% de reincidência criminal.

"Nós insistimos muito em medidas que reduzam a população carcerária, inclusive com a possibilidade de ampliação de penas alternativas, que evitariam hoje que os presídios estivessem inchados, com presos que poderiam estar trabalhando; a criação de presídios para jovens de até 24 anos com primeira condenação; e uma estrutura de formação profissional e educacional", ressaltou.

Entre os projetos previstos no relatório final, estão o que inclui o estudo e as atividades artísticas, culturais e esportivas como forma de redução de pena; e o que cria uma gradação para evitar o encarceramento de autores de furtos de pequeno valor.

Para o controle das fronteiras, Pimenta recomenda ao Congresso que apoie programas como o de Policiamento Especializado na Fronteira. Ele destacou que a maior parte das drogas e armas chega ao Brasil por via terrestre, especialmente vinda do Paraguai.

Trânsito

Para a violência no trânsito, uma proposta aumenta o prazo de prescrição dos pontos de cada infração na carteira do motorista. Já outra prevê maior tributação de cerveja com álcool, tanto para reduzir o consumo como para destinar os recursos arrecadados ao Fundo Nacional de Segurança Pública.

Os projetos passarão a tramitar na Câmara tendo a autoria da CPI da Violência Urbana.

Fonte:  Agência Câmara

PARAÍBA: PMs FESTEJAM APLICAÇÃO DA PEC 300 EM JANEIRO E JÁ DISTRIBUEM CALENDÁRIOS.

Major Fábio diz que policiais projetam efeitos dos reajustes nos vencimentos

O deputado federal Major Fabio revelou neste sábado, ao WSCOM, que tem sido procurado por policiais de diversas patentes comemorando a inclusão da PEC 300 no orçamento do Estado em 2011 – que implica na projeção de aplicabilidade a partir de janeiro dos reajustes salariais, tanto que entidades já distribuem calendários com as datas. “Ninguém na tropa pensa em outra alternativa, que não seja a aplicação a partir de janeiro”, afirmou.

Major Fábio informou que a euforia tomou conta dos militares nas festas de Natal e fim-de-ano depois que o Orçamento aprovado pela Assembléia Legislativa prevê reajuste salarial. Indagado sobre a nota técnica do auditor Luzemar Martins contrária à nova lei, ele declarou:

- A nota técnica é de autoria de um consultor que agora vai para um cargo no Governo, mas é anterior à decisão da Assembléia de garantir as condições de reajuste dos militares – afirmou.

Ele observou que espera contribuir com o novo Governo, mas não abdicará de defender as reivindicações dos policiais. “Ajudei a eleger o governador Ricardo Coutinho mas nada é mais prioridade do que continuar na defesa das lutas de nossa categoria”.

Fonte: wscom

RIO DE JANEIRO: COMANDANTE DA PM QUER VENDER QUARTEL E MELHORAR A FROTA.

Blindados de transporte de tropas da Marinha chegam à Vila Cruzeiro para auxiliar operação da PM no dia 25 de novembro
Foto: AFP

Ao pedir o reforço dos blindados que passaram sobre carros e barricadas no Complexo do Alemão em novembro e dezembro, a Polícia Militar do Rio tinha ciência de suas próprias limitações. Um dos principais objetivos do comandante-geral para 2011, coronel Mário Sérgio de Brito Duarte, é substituir os veículos que ele classifica como obsoletos. O oficial falou ainda sobre a contratação de PMs reformados como instrutores, a criação de convênios com prefeituras para elevar a remuneração dos policiais e revelou também projetos como a venda do Quartel-General da corporação.

A polícia não entrava no Alemão havia três anos. Para Duarte, "com o avanço das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras), um sem-número de lideranças foi para o Alemão. Aqueles que estavam lá tiveram sua fileira engrossada pelos líderes. Quando fugiram levando suas armas, aquela foi a chance de a gente tirar deles a massa das suas armas". Porém, para o oficial, isso não significa o fim de facções como o Comando Vermelho. "Eles estão tentando se reorganizar, o que vai ser bastante difícil se nós não permitirmos".

Quanto a reclamações de que ainda há venda de drogas na região, o comandante disse que não há a "crença de que podemos acabar tanto com a demanda quanto com o comércio de drogas. Acreditamos que, mesmo nas áreas onde já tem Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), o comércio de drogas vai continuar existindo". No entanto, ele afirmou que uma mudança no estilo de venda faça com que seja necessário "Mais investigação, mais inteligência, menos força. Serviço de polícia convencional".

"Se na Vila Cruzeiro ainda existem locais de venda de drogas, vai ser muito mais fácil trabalhar com investigação para prendê-los", disse. "E com o comércio das drogas, de forma totalmente diferente, sem os fuzis, a munição, vamos agir de uma forma diferente, com a inteligência e a prevenção", afirmou.

Novas UPPs

"O que é preciso entender é que o projeto de ocupar morro não é só UPP. Vamos fazer também companhias destacadas. Já temos no Morro Azul, vamos fazer no Camarista Méier e em outras áreas, que não têm características que exigem uma UPP e que vão receber quartéis descentralizados", disse.

Quanto à formação de novos PMs (o Estado espera aumentar em 7 mil o número de policiais), Duarte afirmou que a polícia está construindo duas novas companhias pedagógicas no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), para o início do ano. A PM vai também "fazer também a contratação de pessoal, professores e instrutores entre os militares da reserva, para produzir as quantidades necessárias de pessoas para formar esses novos homens", disse Duarte.

O novo efetivo, afirmou Duarte, será empregado tanto nas ruas como nas UPPs. "Se observar as ruas, já dá para ver um número de policiais hoje que não tinha antes. As pessoas comentam: 'caramba, o policiamento nas ruas voltou'. E a população começou a sentir mais porque tem mulheres, né? As mulheres se destacam no policiamento a pé. Essa é a ideia", disse.

Quanto aos arrastões, ele disse não ser possível usar blindados nas vias expressas. "Isso é área de patrulhamento com viaturas. Os blindados são para transitarmos onde o tráfico ainda mantém domínio territorial. No futuro, da mesma maneira que não vamos precisar do fuzil, não vamos precisar dos blindados", disse. "A preocupação é cada vez mais aumentar o policiamento a pé".

Para o reforço do policiamento, Duarte disse que a PM aposta em um convênio com a prefeitura para contratar policiais de folga, que trabalham uniformizados. "Em vez de vender sua força de trabalho na folga para o Seu Manoel da padaria ou alguém que não esteja dentro da legalidade, ele vende para as prefeituras. Temos três interessadas: Rio, Rio das Ostras e Búzios", disse.

Segundo ele, isso permite sonhar com o policial fazendo serviços que não o desqualifique. "É o fim da privatização da segurança pública. Tem muita gente hoje envolvida com segurança privada e trabalhando na segurança pública". Ele citou ainda a remuneração de policiais em São Paulo, que chegam a ganhar R$ 1,5 mil com a proposta de convênio com as prefeituras, mencionadas por Duarte. "É um outro salário", disse.

Deficiências da PM

Para o comandante, a deficiência da PM se passa nos blindados. "A frota está obsoleta. Nossos blindados são carros de transporte de valores adaptados a uma situação que, nos primeiros anos, serviu. Mas os criminosos adotaram condutas que inviabilizaram nossos blindados para toda situação", afirmou.

Duarte afirmou ser necessário substituir 80% da frota sem descartar o que há disponível. "Temos um blindado russo em teste com o Bope e outros que deverão chegar", afirmou. Os veículos deverão desempenhar atividades diferentes, como o transporte de um contingente menor de oficiais, patrulhamento em áreas violentas, ou empurrar obstáculos.

Para tanto, a PM tem investimentos na ordem de R$ 1,5 bilhão até 2016. "Aí a gente pensa em tudo: parte terrestre, apoio aéreo, aeronaves não tripuladas, tecnologia de informação que implica em câmeras, etc. Além de coisas simples, como a compra das pistolas e coletes, para que cada policial tenha seu equipamento", afirmou Duarte.

Venda de quartel

"Sou um soldado. Não sou convidado, sou convocado. Se o governador mantiver a convocação, o soldado estará a postos, claro. Temos muitos planos, principalmente o Centro de Operações Especiais". Duarte afirmou que a PM busca quarteis com autossustentação. Uma ideia é vender o Quarte General, "com objetivo de quem comprar manter a história, porque a igreja, por exemplo, não é tombada. A ideia é ter um quartel vertical, mais moderno, com menos espaço, menos gente e colocar mais esse pessoal administrativo para serviço de rua".

Questionado sobre a Rocinha, na zona sul, Duarte disse que "da mesma forma que falei sobre os criminosos do Complexo do Alemão, a hora da Rocinha vai chegar".

Fonte: Portal Terra

A SMTT SÓ SERVE PARA MULTAR.

A maneira como a Prefeitura de Aracaju conduz a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), as escolhas de seus dirigentes, faz crer à população que a obtenção de dinheiro por meio de multas é muito mais importante que a ordenação do trânsito, a educação dos motoristas, a redução dos acidentes, que é seu papel precípuo.

Em poucos dias, a SMTT colocará em funcionamento, nas esquinas e avenidas da cidade, um verdadeiro exército de equipamentos prontos a multar os motoristas mais desatentos. A forma como a SMTT dispôs tais equipamentos, fotossensores, lombadas eletrônicas e câmeras de segurança, não deixa dúvida: a prioridade é multar e não educar, controlar, arrefecer a violência do trânsito.

Os agentes de trânsito da SMTT compreendem muito bem essa orientação distorcida. Sisudos e mal educados, abordam os condutores de veículos sem um cumprimento, um bom dia, boa tarde, como a prática da boa educação orienta. Dificilmente se vê um agente de trânsito orientando, educando, repreendendo algum erro. Não. Vão logo multando.

As últimas direções da SMTT, como também a atual, faz mal uso do poder de polícia conferido pela lei àquele órgão. O fazer cumprir a lei não implica em truculência, falta de educação, grosseria. Do mesmo modo, faz mal uso do poder de coerção, quando focaliza seus apetrechos de multas atrás de postes, árvores e arbustos, disfarçados, para que motoristas desatentos sejam multados.

É fácil, muito fácil mesmo, em Aracaju, flagrar agentes multando veículos enquanto ao seu lado, a poucos metros de distância, dezenas de pessoas tentam atravessar a rua mas não conseguem pelo excessivo número de veículos circulando.

Por causa dessa cultura distorcida da SMTT de preocupar-se apenas com as multas, seus agentes ignoram que o trânsito não é feito apenas de carros, mas de pessoas, pedestres, seres humanos. Além de multar, os agentes precisam também ajudar os velhinhos a atravessar, as mulheres grávidas, as crianças e estudantes, as pessoas de um modo geral, enfim.

Mas a ignorância e a visão caolha é tanta que os shoppings centers da cidade, Riomar e Jardins, começam a deslocar seus funcionários para controlar as ruas no entorno aos estabelecimentos comerciais, para dar conforto aos seus clientes. A propósito disso: os agentes da SMTT também aplicam multas dentro dos dois estacionamentos. É só o que sabem fazer, comprometendo toda a administração municipal.

Fonte: Jornal do Dia

FIM DE SEMANA REGISTRA 27 MORTES NO IML.

O feriadão de natal foi marcado por muita violencia no estado. Foram registrados até as primeiras horas desta segunda-feira (27), 27 mortes.

O Instituto Médico Legal (IML) recebeu 27 corpos, sendo que a mioria dos casos foi assassinato. Uma morte chamou a atenção pela forma com foi praticado o assassinato. Uma mulher matou o companheiro com uma garrafa quebrada. O fato aconteceu na Terra Dura.

Fonte: Faxaju

NOVOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS IMPLANTADOS PELA SMTT ARACAJU COMEÇARÃO A FUNCIONAR A PARTIR DA SEGUNDA QUINZENA DE JANEIRO.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito(SMTT), está implantando nova sinalização eletrônica na cidade. Todos os 35 novos equipamentos só entrarão em funcionamento a partir da segunda quinzena do próximo ano, após serem aferidos pelo Inmetro. Os 65 equipamentos já existentes, continuam operando normalmente. As lombada, fotosensores e radares darão ao gestor do trânsito possibilidades mais modernas que os antigos aparelhos instalados. Além do registro de velocidade, os novos equipamentos darão uma radiografia total do veículo, inclusive se ele tem alguma pendencia em qualquer parte do país. É uma segurança para o pedestre pois o aparelho inibe velocidade e para o próprio condutor que está com sua situação cadastral no órgão gestor.

Para o Superintendente da SMTT, Osvaldo Nascimento, “os novos locais onde os equipamentos estão sendo instalados, são necessários e em determinados pontos onde estão sendo colocados, atende a reivindicação da própria comunidade que exige segurança para o pedestre e uma fiscalização mais ativa na circulação de veículos”.

A fiscalização eletrônica é uma necessidade atual para ordenar o fluxo de veículos nas cidades de médio e grande portes. No interior paulista, cidades como Jaraguá do Sul, com pouco mais de 300 mil habitantes tem 67 desses equipamentos e a prefeitura pretende aumentar esse número, atendendo também ao apelo da comunidade.

“Os equipamentos eletrônicos que estão sendo instalados ajudam na fiscalização e no reordenamento da circulação de veículos, inibindo o desrespeito a velocidade máxima na cidade(60 km), protegendo o pedestre, o mais vulnerável no trânsito. O equipamento só multa quem não o respeita”, comentou o Superintendente.

PERSONALIDADES DESTACAM FATOS MARCANTES DO ANO DE 2010.

“Vários aspectos marcaram a família dos servidores militares, mas um dos mais fortes foi conseguir a união da família militar desde o soldado mais antigo até o mais alto posto da corporação. Houve a união de toda a corporação e conseguimos a tão sonhada valorização. Lutávamos para sermos reconhecidos, pois arriscamos nossas vidas para defender a população. Isso mostrou que o policial militar é cidadão e merece respeito. Conseguimos também eleger o primeiro deputado estadual e a absolvição de todos os líderes da classe no julgamento de motim”.
Sargento Jorge Vieira, gestor da Caixa Beneficente dos Servidores Militares.

Fonte:  Jornal da Cidade – Caderno B CIDADES (B-3)

CAPITÃO SAMUEL CRITICA POLÍTICA DE SEGURANÇA.

Em entrevista ao JORNAL DA CIDADE, o deputado estadual eleito capitão Samuel (PTC) criticou a política de Segurança Pública implementada pelo governo Marcelo Déda (PT), sob o comando do secretário Saulo Eloy. Para ele não há um planejamento de longo prazo e o atual secretário se concentra em empreender operações especiais, que rendem boa visibilidade, mas não garantem maior segurança à população. “Se Déda anunciou que vai manter João Eloy como secretário é porque ele não encontrou outra opção”, disse Samuel.

“No início da sua gestão João Eloy realizou muitas operações. Mas a longo prazo é preciso organizar o policiamento efetivo. É isso que traz um resultado concreto. As operações dão visibilidade e trazem um resultado de curtíssimo prazo. Mas existe uma ação, uma operação especial e depois a polícia só volta ao bairro seis meses depois. E como fica a Segurança?”, questionou o deputado eleito.

O capitão que está deixando a Polícia Militar para assumir mandato de deputado estadual disse ainda que mantendo ou trocando o secretário de Segurança Pública, o mais importante é implementar mudanças nas ações da Secretaria. Para ele é fundamental um maior diálogo com os Conselhos de Segurança Comunitária e um aumento do efetivo das polícias, com consequente interiorização.

Samuel destacou ainda a necessidade de implementar um funcionamento efetivo das polícias fora da capital sergipana, ressaltando a importância de interiorizar a Polícia Civil, que segundo ele, quase não existe no interior do Estado. “São essas ações, de forma continuada, que vão mudar o perfil da Segurança a médio e longo prazo. Para interiorizar a polícia, por exemplo, é necessário combater o desvio de função dos policiais, que atrapalha muito”, avaliou o capitão.

Ele ainda falou sobre a necessidade de modernizar a legislação que envolve as duas polícias, e classificou como um caos as leis que regem a PM em Sergipe. Capitão Samuel também falou que mantém uma boa relação com o secretário João Eloy, que classificou como um grande delegado, que este possui um bom diálogo com os policiais, mas deixou claro: quando chegar a Assembleia, o debate entre eles deverá acontecer. “Vamos ter que falar o que acontece. Vamos cobrar, por exemplo, a quantidade de ocorrências atendidas pela PM e um relatório com a quantidade de inquéritos solucionados, e não a quantidade de inquéritos abertos, como enviaram este ano”, concluiu o novo parlamentar.

Fonte: Jornal da Cidade (Max Augusto)

RIO GRANDE DO NORTE: POLICIAIS MILITARES PRESTAM HOMENAGEM AO COMPANHEIRO MORTO EM SERVIÇO.

Na tarde desta sexta-feira, 24, véspera de Natal, policiais militares do Rio Grande do Norte realizaram uma grande e emocionante homenagem ao companheiro Márcio do Nascimento Costa, soldado M. Costa, morto no último sábado (18) em uma abordagem a um ônibus em frente a um shopping da Zona Leste de Natal.

Mais de 300 policiais militares compareceram ao local da ocorrência, muitos fardados e levando rosas brancas, para prestarem uma emocionante homenagem que teve início às 17 horas da tarde de ontem.

Várias viaturas de área compareceram no local como uma forma de reconhecer o trabalho desse policial que há seis anos ingressou no quadro da PMRN para defender a sociedade "mesmo com o risco da própria vida", conforme o juramento feito na conclusão do Curso de Formação.

A noiva do soldado M. Costa, Elida Pontes, estava muito emocionada e abalada com tudo que aconteceu. Chorando, a jovem disse ainda que “tudo acontece no tempo de Deus”. “Ele passou em um concurso para a Polícia Civil de João Pessoa e estava esperando ser chamado. Aqui se formou como soldado em 18 de dezembro de 2006 e foi morto em 18 de dezembro de 2010. Deus queria que ele ficasse por aqui mesmo”, lamentou. Em outro momento, a jovem ainda disse: "Eu queria dizer tanta coisa a ele e não deu tempo... Todos os dias digam às suas esposas que amam elas, pois o hoje pode não ser amanhã...".

Todos se emocionaram com o evento inédito na Polícia Militar do Rio Grande do Norte. É a primeira vez que policiais militares se reunem por iniciativa própria para prestar a última homenagem a um PM morto em serviço. O ato público chamou a atenção e emocionava quem passava pelo local. As galerias do Shopping ficaram lotadas e todos pararam para reconhecer o trabalho dos policiais militares do RN.

Fonte: blog da Sd. Gláucia

PROFISSÃO ESCRAVIDÃO.

Às vezes, eu recebo alguns e-mails de policiais militares relatando absurdos, faltas de respeito, tratamentos desumanos para com o profissional. Alguns e-mails me fazem pensar que os militares vivem num regime de escravidão, num estado de exceção. Vejam só o teor da última mensagem que recebi (Obs.: troquei o nome da instituição por “?”):

Boa noite!
Caro companheiro, sou Sd da ? e gostaria de saber sobre a carga horaria especifica para a area operacional, pois o que acontece ultimamente no Dst ? onde trabalho, é sem condição, um desrespeito com a pessoa humana. Tem tres concorrendo a escala operacional trabalhando um plantão de 24 hs tendo 24 hs de descanso, mais um sobre aviso das 08:00 as 18:00hs fardando e trabalhando ate as 00:00hs e 08:00hs quando assume o plantão de 24hs, não sei como recorrer tendo em vista q a legislação da ? só fala sobre carga horaria mínima. Peço encarecidamente um caminho que posso seguir!

Leitores do blog, quando falo sobre a desmilitarização, vem sempre alguns dizendo que iríamos perder muito com isso. Certo, mas me diga se situações como a descrita acima não acontecem, no serviço público, somente em instituições militares, cujos profissionais sequer podem ter um sindicato para reivindicar direitos míninos, como uma carga horária. E, falando com toda sinceridade, isso que o companheiro relatou é uma extrema falta de respeito para com o ser humano!!!!! Os vários pontos de exclamação são para tentar expressar, de forma escrita, meu grito de indignação.

Estamos nos tornando escravos conformados. Ninguém reclama; e também reclamar para quem, já que o direito trabalhista não existe para nós, quanto mais uma Justiça do Trabalho...

Refiro-me a escravidão, pois não é só em destacamento que o militar sente que estão tirando sua vida. Eu sou sargento e uma grande indignação que tenho é quanto aos encargos, ou melhor, sobrecargos. Nós subtenentes e sargentos estamos nos tornando escravos conformados, passivos. Ora, temos que nos unir para acabar também com esse absurdo.

Não pensem, senhores e superiores, que é somente eu que estou reclamando. Não, negativo. Essa é uma reclamação que ouço frequentemente de muitos sargentos, mas essas queixas não têm para quem ser direcionadas. Vamos reclamar para quem? Para o senhor comandante? Será que Sua Senhoria vai atender nossos apelos, ou será que vai rir de nossa cara...?

Eu já sugeri, em outras postagens, que fosse criada uma equipe em cada Unidade para cuidar desses encargos referentes a procedimentos administrativos. Não vou ficar repetindo o que já disse. Clique aqui e aqui para saber minha opinião sobre o assunto.

Ontem, um sargento me disse, durante uma conversa, uma coisa muito interessante. Ele falou que tinha vontade de dizer o seguinte para o superior: "Superior, se o senhor quer tirar a sua vida, ok. Mas, por favor, não tire a minha". Ao termo vida, ele se referia às outras vidas além da profissional, como e principalmente à vida familiar.

Existem superiores que se dedicam 24 horas à polícia e querem que seus subordinados façam o mesmo e, ainda por cima, consideram isso totalmente normal. Então, eu faço minhas as palavras do companheiro. Superior, se o senhor quer tirar a sua vida, ok. Mas, por favor, não tire a minha. Não tire a minha, pois minha filhinha está para nascer e eu quero curti-la muito. Superior, após sair do serviço, eu não quero nem me lembrar da farda, então, por favor, não me incomode. Superior, quando eu estiver na minha casa, não quero nem pensar em prazos de sindicâncias, não quero ler procedimentos administrativos nos quais vou ter que dar parecer no CEDMU, não quero usar meu computador pessoal para fazer o relatório final do RIP, muito menos usar meu telefone particular para tentar contactar testemunhas que devam ser ouvidas em procedimentos sumários. Superior, quando eu não estiver no quartel ou numa viatura, eu quero estudar, ler meus volumosos livros de programação, ou meus agradáveis livros literários, ou simplesmente ficar em paz com minha família, conversando com minha esposa ou brincando com minha filhinha que está por vir. Superior, eu só quero viver.

Voltando a questão dos destacamentos, saibam que eu sei muito bem como é a vida dos profissionais que trabalham nessas frações, visto que também já trabalhei em um. Naquela época, há cerca de cinco anos, diziam que existia um memorando que determinava que, para o policial sair do destacamento, inclusive nos dias em que estivesse de folga, ele tinha que pedir AUTORIZAÇÃO para o superior. Prestem atenção no termo, eu disse “AUTORIZAÇÃO”, ou seja, toda vez que você estivesse de folga você deveria solicitar ao superior para poder se ausentar do município, e o superior poderia negar, a seu critério, e aí o militar teria que ficar literalmente preso no município.

Nunca procurei saber sobre a veracidade da existência desse memorando, pois eu não iria respeitá-lo mesmo se de fato existisse, uma vez que a Constituição Federal, em seu artigo 5ª, inciso XV, garante a QUALQUER PESSOA locomover-se pelo território nacional em tempo de paz. E se me prendessem ou me punissem, eu iria recorrer até a última instância administrativa ou criminal possível, iria entrar em contato com jornais e televisões para denunciar isso que para mim é um absurdo. Ora, ninguém pode me prender, seja num espaço de uma cela ou num espaço territorial de um município, sem que eu tenha cometido algum crime. Sou um profissional livre ou sou um escravo que não pode ir além dos limites territoriais de seu dono?

Não sei se vocês estão percebendo o tamanho do absurdo, mas como dito, estou falando em ficar preso numa cidade nos dias de folga, não estou falando no horário de serviço, não, não é isso. É nos dias de folga mesmo, por isso é que eu não respeitava, pois não sou ESCRAVO. Sou um profissional, um trabalhador. Ou o policial não é um trabalhador? Será que o policial militar vive num regime de exceção?

O e-mail que recebi apenas me reafirmou a total falta de respeito à qual estamos sujeitos, pois como bem disse o remetente da mensagem, o regulamento só dispôs sobre a carga horária mínima. Isso mesmo, em nossas normas administrativas não se fala nada em pagamento de hora extra ou, o mínimo que fosse, de um banco de horas, claro que o trabalho extra não poderia ser computado como carga horária normal, isto é, o que quero dizer é que essas horas extras deveriam ir para o banco de horas com um acréscimo de 50% ou mais, visto o desgaste que causa no profissional esse trabalho além da jornada prevista.

Companheiros, não sei se vocês já perceberam, mas não existe na instituição militar, pelo menos não que eu conheça, nenhum profissional da área de segurança do trabalho, o que eu acho que seria imprescindível. É fundamental que tenhamos um estudo sobre os riscos a que estamos sujeitos. Um estudo, por exemplo, sobre a ergonomia das viaturas ou sobre a utilização dos coletes balísticos, inclusive sobre o prazo de validade deles e quanto ao uso de um mesmo colete por vários policiais, o que, em minha opinião, pode ser causador de doenças contagiosas, uma vez que o policial transpira, e o colete absorve essa transpiração, e esse colete saturado de material biológico é usado por outro profissional. O colete é apenas um exemplo para ilustrar a falta de legislação para nos proteger, da falta que nos faz um sindicato, da falta que nos faz os direitos do trabalhador e de tudo quanto estamos sujeitos por estarmos regidos por um regime de exceção, talvez de escravidão.

Leitores do Universo Policial, o que me deixa triste é a nossa falta de mobilização para tentar mudar essa realidade. O fato é que não nos mobilizamos, não fazemos nada para mudar. Somente reclamamos de forma recíproca, entre nós mesmos. Não cobramos de nossos representantes políticos que eles nos vejam como profissionais. A minha percepção é de que lutamos de forma organizada apenas por salários e promoções. As reivindicações, ano após ano, só ficam nisso, salário e promoção, salário e promoção...

Não podemos aceitar que sejamos tratados como escravos. Se o superior quer se autoescravizar, que tirar sua própria vida, isso é com ele, o que não podemos aceitar é que ele nos escravize.

Para finalizar essa postagem, gostaria de solicitar ao representante político de nossa classe no Estado de Minas Gerais, eleito com nossos votos e de nossos familiares, o Deputado Sargento Rodrigues, que resolva a situação do remetente do e-mail, porquanto, infelizmente, foge da capacidade de um blog criar alguma lei que possa estipular uma jornada máxima nas instituições militares estaduais. Enquanto não existir esse contrapeso legal aos absurdos institucionais, só tenho a dizer a ele que se adapte ao regime de escravidão, pois, realmente, na legislação em vigor, só existe uma carga horária mínima. Faço também um pedido em nome dos subtenentes e sargentos, que seja criado um dispositivo legal, talvez incluído num novo Código de Ética, prevendo a criação de uma equipe em cada Unidade responsável exclusivamente pela confecção de procedimentos administrativos, equipe que, logicamente, trabalharia em sua jornada normal de serviço, dispondo de materiais e equipamentos adequados. Será que é pedir demais?

Fonte: Universo Policial

"LEI DA MORDAÇA"AMEAÇA LIBERDADE DE EXPRESSÃO DE POLICIAIS NA INTERNET.

Os regulamentos e normas que punem o policial por emitir opinião – em entrevistas, blogs ou fóruns na internet – ferem o direito constitucional de liberdade de expressão, caso não haja quebra clara de hierarquia. Essa interpretação sobre os direitos civis dos policiais foi incorporada à política de direitos humanos do governo federal. Ela está numa portaria conjunta do Ministério da Justiça e da Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

Há hoje uma blogsfera disseminada com opiniões de policiais de todo o país, mas já houve casos de punição com base na "lei da mordaça", como o delegado federal e deputado eleito Protógenes Queiroz (PC do B-SP). Protógenes foi suspenso pela Polícia Federal depois de ter postado em seu blog que havia sido afastado das atividades de delegado para "possivelmente" favorecer o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity.

Os regulamentos disciplinares de polícias de todo o país trazem dispositivos que punem agentes por casos que poderiam ser enquadrados como "opinião". No ano passado, o coronel da PM Luiz Alexandre Souza da Costa, do Rio, recebeu 20 dias de prisão administrativa em razão de comentários sobre a corporação. Segundo a portaria interministerial, o direito à opinião e à liberdade de expressão dos policiais é inalienável, especialmente na internet, onde é possível encontrar dezenas de blogs mantidos por agentes, delegados e PMs. Conforme a portaria, leis de regulamentos disciplinares para profissionais da segurança pública estão defasados e devem ser adequadas à Constituição de 1988. O texto fala ainda em direitos das mulheres policiais, do combate ao assédio moral e sexual, e à homofobia e racismo.

Fonte: Estado de Minas

MINAS GERAIS: PROIBIDO ADOECER.

Recebi mais um e-mail solicitando ajuda do Universo Policial contra "suposto" abuso. Mais uma vez, substitui todas as palavras que pudessem identificar o policial militar por "?". Novamente, meus comentários são desnecessários, pois o texto fala por si só.

Boa Tarde, gostaria de pedir o apoio deste respeitoso site, nossa ferramenta contra os abusos dos que estão no comando das diversas unidades da PM?. Trabalho na PM? estou lotado na ? Cia/ ? BPM, e o comando desta unidade IMPÔS uma ordem de serviço no qual o policial que por ventura sofrer alguma molestia e não puder trabalhar na sua escala ordinaria naquele dia (militar faltar serviço e pegar atestado medico) seja de plantao de 24h ou POG 8h /12H, deverá cumprir automaticamente uma escala de POG de 07 da manha as 13 tarde, no dia posterior ao dia que faltou por problemas de saude!!!

Ou seja, se o militar tiver com problemas de saude e nao cumprir sua escala de serviço daquele dia, esta escalado no outro dia automaticamente, será punido por nao cumprir sua escala.

Será que quando há feriado prolongado, no qual nenhum militar da administração trabalha, automaticamente estes estarão escalaos num POG de um sabado qualquer, para completar a carga horaria minima estabelecida??? Claro que NÂO !!!

Um absurdo, pois existe um memorando do EMPM que proibe tal postura - Memorando 11228 EMPM, mas por aqui este documento não tem valor nenhum. Isso configura abuso de autoridae e falta de humanismo por parte dos comandantes.

Quando são eles os beneficiados, tudo está certo, quando somos nós que estamos apenas exigindo o que é certo por direito, estamos ponderendo.

Divulguem este relato para que possamos dizimar tal atitude arbitraria, agradeço o apoio.

Favor nao divulgar meu nome, concerteza serei perseguido pelos superiores se isso ocorrer.

Fonte: Universo Policial

FORMAÇÃO POLICIAL MILITAR E SALÁRIO CONDIZENTE.

Em 2005, foi realizado um estudo a pedido do Ministério da Justiça com o objetivo de propor medidas para a modernização das Polícias Civis. Uma das propostas é a exigência do candidato possuir ensino superior para ingressar no cargo de agente dessas instituições, o que, aliado às expressões recorrentes no texto como "treinamento técnico-científico", "saberes especializados", "gestão do conhecimento", "formação multidisciplinar", entres outras, nos faz inferir que aquela corporação busca profissionais que tenham conhecimento, que usem mais a cabeça e menos os músculos.

Enquanto a Polícia Civil está à procura de candidatos com capacidade intelectual e propõe que seus profissionais tenham formação técnico-científica, saberes especializados, me pergunto e pergunto a vocês quais são os candidatos que a Polícia Militar procura e qual é a formação que ela oferece aos que nela ingressam?

Se quisermos sermos valorizados, é preciso mudar o paradigma da formação policial-militar. É preciso agregar valor ao nosso serviço. Meia volta, romper marcha, apresentar armas e submissão não agregam valor à atividade policial-militar, muito pelo contrário; perpetua na sociedade a imagem do trecho de uma cantiga de roda muito conhecida: "Marcha, soldado, cabeça de papel; se não marchar direito, vai preso pro quartel..."

Enquanto se tiver essa imagem do "soldado cabeça de papel", nunca teremos salários condizentes com a nossa atividade, a qual não comporta "cabeças de papel". Enquanto não agregarmos valor ao serviço policial-militar, enquanto não formarmos soldados para serem verdadeiras autoridades, sempre ficaremos preteridos em termos salariais.

Historicamente, o serviço braçal sempre foi desvalorizado. Marchar é serviço braçal, meia volta é serviço braçal, trabalho de sentinela/vigilante é serviço braçal, subir morro é serviço braçal, trocar tiro com bandido é serviço braçal. São atividades importantes? As tipicamente policiais sem dúvida que são muito importantes, mas é preciso agregar valor ao nosso trabalho, mostrando para a sociedade que fazemos muito mais do que serviços braçais, que a nossa atividade exige formação técnico-científica. Serviço braçal exige pouco conhecimento, e conhecimento é sinônimo de salário. Estamos, num esforço de sísifo, lutando e tombado na luta contra a criminalidade, mas e a remuneração condizente?


É preciso mostrar à sociedade que o policial militar é autoridade, no sentido mais lato da palavra. É preciso mostrar para a sociedade que, para atuar em locais de ocorrência, exige-se muito conhecimento, que vai desde os direitos administrativo, penal, processual penal aos ramos da psicologica e da sociologia. A formação do policial militar deve ser multidisciplinar, técnica. E não digo técnica/técnico apenas no nome, pois se nos quartéis ainda continuarem ensinando antigas lições (andar com as mãos para trás, por exemplo), as novas não prosperarão. Se os Direitos Humanos e a Polícia Comunitária ficarem apenas na teoria ou do lado de fora (extramuros), será difícil para o aluno assimilar e colocar em prática esses conceitos.

Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha, porque semelhante remendo rompe a roupa, e faz-se maior a rotura. Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam. - Jesus Cristo

É preciso agregar valor a nossa atividade, é preciso quebrar paradigmas. Será que as tradições e os rituais do militarismo não passam à sociedade a imagem de soldados submissos e "cabeças de papel"? Enquanto o policial militar não for formado para ser autoridade, assim como é o delegado de polícia, continuará sendo remunerado da forma que é.

domingo, 26 de dezembro de 2010

PM EXPLICA DEFICIÊNCIA DE EFETIVO EM PORTO DA FOLHA.

A denúncia feita pelo gestor da Absmse, sargento Jorge Vieira, é confirmada pela Polícia Militar

A PM confirma que existe um baixo efetivo em Porto da Folha

Um efetivo de quatro policiais militares que atendem a Porto da Folha e mais nove povoados. Esse é o quadro do policiamento ostensivo do município que, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem mais de 27 mil habitantes e possui uma área de 877 Km². A denúncia feita pelo gestor da Associação Beneficente de Servidores Militares de Sergipe (Absmse), sargento Jorge Vieira, foi confirmada pela assessoria de comunicação do comando da Polícia Militar.

De acordo com a assessoria a falta de efetivo policial é notória em todo Estado. A informação é que apesar do baixo efetivo a polícia cumpre a sua missão a contendo. Segundo a assessoria o comando está trabalhando no edital para seja realizado o concurso para contratação de novos militares.

Ainda sobre os quatro militares que estão realizando policiamento na área, a PM explica que dentro do planejamento de rondas o patrulhamento também é feito por equipes do Grupamento de Ações Táticas do Interior (Gati) e pelo Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (PEPAC).

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

NATAL VIOLENTO NA GRANDE ARACAJU.

Dez corpos deram entrada no Instituto Médico Legal (IML) nas últimas 24h. Sete foram vítimas de homicídios.

Por volta das 20h dessa sexta-feira, José Reinaldo Lima, mais conhecido por 'Pestana', 57, foi alvejado por dez tiros. Em Nossa Senhora do Socorro, por volta das 19h30, Robson Gomes da Mota e um homem de pré-nome Eduardo, também foram vítimas de arma de fogo.

A informação da polícia é que dois homens não identificados se aproximaram das vítimas em uma motocicleta e efetuaram os disparos. Os desconhecidos estão sendo procurados.

No bairro Santa Maria, Rosileide dos Santos assassinou o marido, José Cosme dos Santos, com golpes de faca e garrafadas.

Fonte: Jornal da Cidade