terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ACUSAÇÕES GRAVES REVELAM DISCRIMINAÇÃO.

Um membro da alta cúpula da polícia, que participou da assembléia dos policiais militares, na quinta-feira (17) no Instituto Histórico e Geográfico Sergipe, em conversa reservada com a redação do Faxaju Online, revelou que a Polícia Militar se sente desprestigiada pelo Governo do Estado, em relação à Polícia Civil, que tem as melhores posições na Segurança Pública.

A fonte policial considerou grave para o bom entrosamento da segurança, a nomeação de mais um delegado para a cúpula da SSP: “apenas delegado na estrutura do comando da Segurança é uma discriminação com a Polícia Militar”, disse e acrescentou: “isso é uma coisa gravíssima”.

Outro problema que o militar considerou de certa gravidade é a disposição de policiais militares a juizes e promotores e delegados do interior e na Capital. E fez uma denuncia séria: “o sargento Josailton, que foi preso vendendo armas, estava há quase 20 anos à disposição do secretário de Segurança Pública, João Eloy”. Outra denúncia: “existe policiais militares na SSP fazendo serviço burocrático”.
Ação política – O Policial, que pediu sigilo em torno do seu nome, acha que o governador Marcelo Déda precisa ter “vontade política para fazer retornar aos quartéis para os PMs que estão em desvios de função, nos presídios, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Justiça Federal”.

A fonte disse ainda que nenhum coronel se autopromoveu e informou que “o problema maior é que “políticos mandam na instituição”. Segundo ele, “recentemente o Ministério Público queria promover um major a tenente coronel”.

Em sua opinião, a Polícia Militar necessita de ter legislação própria, segundo a legislação, “mas as coisas aqui se fazem de boca”. Acusou o Governo atual de permitir “a criação de unidades sem ser através de decreto lei”, e denunciou que “não existe lei para criação do Ciosp”. E foi mais além: “o grupamento tático aéreo também foi criado de boca, o Batalhão de Trânsito, 8º Batalhão, Getam (motos). Tudo sem lei de criação”. Disse ainda que “essa história de que ex-comandante na ativa atrapalha o comandante atual é balela, A PM é disciplinada, de coronel a soldado, é só determinar que se cumpre”.

Em Pernambuco – A fonte policial disse, ainda, que o governador Marcelo Déda viajou a Recife, acompanhado do secretário João Eloy, do coronel Rezende e do secretário adjunto João Batista, “para aprender segurança publica com a PM de Pernambuco. Isso não adianta nada”.

- No caso de Pernambuco, quem reduziu os índices de criminalidades foi a atuação do policiamento ostensivo. Então por que não investir mais na PM? Perguntou e lamentou: “a questão é que o governador só escuta os delegados e integração não significa colocar PM e PC no mesmo prédio. Por sinal a PM sempre fica com a garagem”, disse.

Para a fonte policial “integração passa por responsabilidades, por informações, por qualidade no trabalho, por salarios, por recursos e investimentos”. Informou que alguns oficiais já disseram ao governador Marcelo Déda da necessidade de se ter a mesma responsabilidade territorial entre uma delegacia e uma unidade da Polícia Militar. E lembrou que a SSP centraliza os recursos que vêm de Brasília e privilegia a Policia civil em detrimento da Militar: “há três anos não se compra uniformes para a PM”;

Jornada – A fonte policial tem patente, está bem acima de sargento e tem anos na Polícia Militar, experiente, diz que “Não adianta mudar comandante se não atualizar a legislação da PM. Precisa-se também se dar o mesmo valor para a PM que se dá a policia civil”.

Acrescenta que os militares (PM e BM) são a única categoria da segurança pública que não tem jornada de trabalho definida em lei. A PM é a única que está em todos os municípios 24 horas por dia. E denuncia que nos finais de semana, de sexta a segunda-feira, “não tem delegacia aberta no interior”.

Assembléia – A fonte esteve na assembleia dos policiais militares e disse que lá também se discutiu a diferença no tratamento entre a PM e a Polícia Civil, inclusive que parte da imprensa direciona matérias favoráveis à civil. Também foi tratada da luta por promoções, que estão atrasadas há mais de quatro anos e regularização de unidades criadas apenas de boca.

Denunciou que “colete balístico é material de uso individual e não coletivo, cada policial militar tem que ter o seu, assim como a sua arma. Isso só ocorre na Polícia Civil”. E para concluir faz uma pergunta: “alguém já se perguntou por que a PM e os bombeiros recebem os salários sempre depois da Polícia Civil?

Fonte: Faxaju (Munir Darrage)

2 comentários:

Anônimo disse...

NOS ESTAMOS GANHANO ABAIXO DA POLICIA CIVIL GRAÇAS A VCS, SGT VIEIRA, EDGAR, CABO PALMEIRA E O CAP.DEP. SAMUEL, TA ESQUECIDO SGT VIEIRA, QUANDO VC FOI PARA UMA EMISSORA DE RAIO CRITICAR O SAMUEL, DEIXE DE SER MAL CARATER CARA.

OBS: VOCES FOI QUE PARTICIPARAM DA MESA DE NEGOCIAÇÃSO.

Anônimo disse...

Bom dia, o caro colega que fez essa explanação tem memória curta, faça uma análise de consciência e veja o quanto melhorou a situação financeira dos militares. Concordo que o nosso salário ficou bem abaixo do esperado, mas isso é outra luta que iremos travar juntos contra o governo. Pessoal o aumento que os policiais civis tiveram foi um aborto digo sorte, é complicado para a nossa categoria ter um aumento desse porte, uma vez que nós somos divididos em classes e subclasses. ex:3sgt-2sgt...
Bem com relação ao oficial que fez essas denuncias meus parabéns, pena que os demais oficiais saibam disso e infelizmente a alta cúpula da PM não faz nada e fica assistindo de camarote a SSP ser cmt por Delegados, e nós ficamos com o fardo de carregá-los nas costas. Ex:as instalações do 8BPM não serve p/ser Delegacia, mas serve para ser um batalhão de policia, Senhores oficiais vamos acordar chega de receber migalhas.