sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

DENÚNCIA PODE LEVAR CAPITÃO A DETENÇÃO.

De acordo com a Associação de Servidores Militares, o nome do capitão do Corpo de Bombeiros foi apenas citado em uma denúncia feita pela Absmse

O gestor da Absmse diz que o capitão não cometeu crime (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Ano passado, o Portal Infonet mostrou uma denúncia feita pela Associação dos Servidores Militares de Sergipe (Absmse), a respeito de um capitão do Corpo de Bombeiros, que teria arrecadado dinheiro entre os companheiros da corporação para pagar a taxa de inscrição de um curso que estava sendo realizado no Estado de Alagoas. Três meses após a confusão, os gestores da Absmse voltam a público e denunciam que mesmo sem conceder entrevista e apenas ter seu nome citado, o capitão Hector Silva Monteiro, cumprirá detenção de quatro dias.

De acordo com o sargento Jorge Vieira, a denúncia foi feita pela Associação e pelo deputado estadual Samuel Barreto, na época capitão da PM. “Isso mostra claramente que existe perseguição e o militarismo continua sendo conservado. Foi feito um IPM [Inquérito Policial Militar] e o capitão foi isento de qualquer crime, mas mesmo assim, o comandante desconsiderou e pediu a prisão do oficial. Esse é um tratamento equivocado”, diz Vieira que ressalta o capitão como sendo militar há 15 anos.

“Se um oficial está sendo perseguido imagine os outros policiais. Deveriam estar preocupados em adquirir a escada magirus ou em reformar o quartel da praia, mas ao invés disso vai perseguir um oficial. É preciso rever essa postura. É um tratamento equivocado, ou seja, mesmo o IPM dizendo que não existe crime, o oficial é punido”, lamenta Vieira que desafia o comando a perseguir o deputado que fez a denúncia.

“A denúncia foi feita pelo capitão Samuel, agora deputado. Porque não vão perseguir e prender ele”, diz.

A assessoria do Corpo de Bombeiros disse que não teve acesso a sindicância e por isso não pode se pronunciar sobre o assunto. A informação é que o procedimento foi instaurado, mas nada foi publicado no Boletim Geral Ostensivo do Corpo de Bombeiros (BGO).

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

Nota: Lamentável a atitude do Comando do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe de punir o Capitão Hector Silva Monteiro, com detenção de quatro dias, pois o mesmo só teve seu nome citado nas matérias veiculadas na infonet e no faxaju, sem o mesmo ter emitido qualquer opinião. O que deveriam apurar era a vergonha que o Capitão Hector e mais três integrantes da Polícia Militar do Estado de Sergipe passaram em Alagoas, onde foram convidados a deixar o curso de oficiais caso não pagassem o valor devido das despesas. Será que vão indenizar a estes quatro oficiais o constrangimento passado na Academia da Polícia Militar de Alagoas? Agora estão querendo prender alguém que foi humilhado, por culpa do Estado de Sergipe. E haja perseguição.  Quem denunciou o fato ocorrido na Academia de Alagoas foi o Deputado eleito Capitão Samuel juntamente com a ABSMSE, então porque o Comandante do Corpo de Bombeiros do Estado de Sergipe não cobra explicação do nosso deputado estadual?  Outra pergunta, cadê a construção do novo quartel do Corpo de Bombeiros, conforme compromisso assumido perante o Ministério Público Estadual?

Como se não bastasse tudo isso, a assessoria do Corpo de Bombeiros informou à jornalista da infonet, que nada tinha sido publicado no Boletim Geral Ostensivo do Corpo de Bombeiros com relação ao procedimento contra o Capitão Hector, o que é uma inverdade, para não dizer mentira, senão vejamos o BGO do Corpo de Bombeiros que transcrevemos abaixo:

Página Número – 0186

IONALDO SANTOS – Cel. QOBM.
CHEFE DO EMG.
CONTINUAÇÃO DO BGO Nº. 014/2011/Sgt., DE 02/02/2011

2ª PARTE
(INSTRUÇÃO)
(Sem Alteração)

3ª PARTE
1 – ASSUNTOS GERAIS
1 – HOMOLOGAÇÃO DE SINDICÂNCIA

Pelas averiguações que mandei proceder por intermédio do Maj QOBM Miguel Pereira Filho, através da Portaria nº 282/2010-Aj. Geral de 18/11/2010, com a finalidade de apurar a matéria veiculada nos sites www.faxaju.com.br e www.infonet.com.br em 06/10/10 quanto ao não pagamento de taxa escolar devida por oficial do CBMSE, verifica-se dos fatos apurados que não houve crime de competência da Justiça Militar, mas sim ocorrência de transgressão disciplinar por parte do Cap QOBM Hector Silva Monteiro, conforme o previsto nos itens de n° 61 e 62,do Anexo I do RDE.

Isto posto, AVOCANDO a solução apresentada pelo Oficial encarregado, tendo em vista vislumbrar o cometimento de Transgressão Disciplinar, Resolvo:

1- Discordar do encarregado da Sindicância;

2- Publicar a presente Solução em Boletim Geral Ostensivo;

3- Publicar Nota de Punição ao referido oficial, tendo em vista que no decorrer do procedimento foi ofertado o direito a ampla defesa e ao contraditório, dispensando, assim, a abertura de outro procedimento para essa finalidade.

4- Arquivar o procedimento na Ajudância Geral do CBMSE.

Nenhum comentário: