quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

EM SEU PRIMEIRO DISCURSO NA TRIBUNA, O DEPUTADO CAPITÃO SAMUEL FEZ UM BALANÇO GERAL DA SEGURANÇA PÚBLICA NO ESTADO.

Na última segunda-feira (21), o deputado estadual capitão Samuel(PSL), ocupou a tribuna pela primeira vez e discursou de forma construtiva, reafirmando os compromissos e agradecendo a todos que participaram de sua vitória. “Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, senhores da galeria, fiquei feliz de ver o exército brasileiro aqui com a banda nas galerias, funcionários desta casa, meus amigos sargento Vieira e sargento Edgard que se encontram aqui, gostaria do agradecer a todos vocês, todos os amigos que confiaram na minha eleição, no trabalho do capitão Samuel e acreditaram que poderia sim ter um deputado aqui nesta casa, oriundo da família militar, oriundo da cidade de Malhador e da classe menos favorecida".

Agradecimentos

O deputado militar não esqueceu de agradecer aos amigos e familiares que estiveram presentes nos momentos difíceis da sua vida. " Agradeço primeiramente a Deus que permitiu a minha chegada aqui, por que sem ele com certeza eu não chegaria aqui. Vou agradecer a estes companheiros que trabalharam lado a lado comigo, agradeço do fundo do meu coração e reafirmo o compromisso com todos eles. O compromisso com a verdade com o coletivo e o compromisso com a família militar. Aos meus familiares pela luta que foi durante toda a minha vida, pelas prisões que já aconteceram enquanto militar no quartel, por lutar e falar tudo aquilo que eu acreditava e a minha família sofria mais do que eu quando ficava preso. Agradeço pelos momentos difíceis que eles viveram ao meu lado". Disse o parlamentar.

PEC 300

Capitão Samuel, teve cravado 15 minutos para falar na tribuna sobre o Projeto de Emenda Constitucional que iguala os salários dos agentes prisionais, das polícias militar, civil e bombeiros militares, com os salários dos profissionais de segurança pública de Brasília."No dia de hoje com a visita da presidente Dilma aqui em Sergipe eu aproveito para falar de um assunto que há muito é falado no Brasil inteiro que é a PEC 300. Muitas das vezes as pessoas falam disso e não sabem nem do que se trata, uns falam que é busca de dinheiro, outros ficam falando que o orçamento não dá para pagar e as vezes não sabem nem quanto representa isso". O parlamentar, fez questão de trazer para o plenário uma discursão sobre a segurança pública sergipana e do Brasil. "A PEC 300, como bem diz esta camisa é por uma questão de igualdade, por que o crime que é cometido em Brasília, em São Paulo, no Rio, em Belo Horizonte é cometido aqui em Sergipe também, o crime é o mesmo. O profissional que se arrisca se arrisca em qualquer lugar do Brasil. Os impostos pagos pelo comerciante pela indústria por todos é o mesmo, é imposto para o Brasil. E não tem por que pagar o policial de Brasília com impostos de sergipanos através do fundo nacional de segurança pública e não pagar a polícia sergipana. Proporcionar segurança ao povo de Brasília e não proporcionar segurança ao povo de Sergipe". Afirmou o capitão.

O parlamentar disse ainda que a PEC 300, trará a igualdade de tratamento entre as polícias ela trás a igualdade de tratamento entre os profissionais de segurança pública por que não adianta falar em integração policial, não adianta falar em construir CIOSP – Centro Integrado de Segurança Pública, onde ambas as polícias participem no mesmo ambiente de trabalho, e uma ganha mais do que a outra, não adianta fazer isso. Não adianta tentar misturar água e óleo". Afirmou Samuel.

Samuel Barreto disse que Itabaianinha precisa de mais atenção na segurança pública, por que no último carnaval esteve presente no município e constatou o problema de ordem pública, apenas oito policiais militares fazendo segurança para 50 mil pessoas. "Não podemos ver isso em Itabaianinha novamente".

Segurança e horas extras

O problema da falta de pagamento de horas extras dos policiais militares foi outro questionamento feito pelo deputado que não cansa de dizer que os problemas estão se somando e cada vez ficando ainda maior. Para o parlamentar existe um risco muito grande em acarretar uma carga de trabalho maior do que o trabalhador pode ter e sobretudo se esse trabalhador não recebe pelas horas extras trabalhadas. "Não posso ver a reclamação que fiz no ano passado e saber que os policiais que trabalharam no Pré Caju, em Itabaianinha, trabalharam cinco dias seguidos, e até hoje não foi pago as horas extras daqueles policiais. Agora vem Pré Caju, Projeto Verão, entre outros eventos e o problema se agravando".

Samuel relacionou alguns erros que estão incomodando os militares e refletindo diretamente na segurança e no policiamento ostensivo do Estado."O Secretário João Eloy é o responsável pelo que está acontecendo na Segurança Pública do Estado. Ele é o responsável pela pasta e tem que encontrar uma fórmula, seja conversando com o secretário da Fazenda que tem conversar com o governador e tentar resolver. O que não pode é o policial que trabalhou no carnaval do ano passado ficar esperando sem previsão para receber a hora extra. E como vai ficar este carnaval? Qual a motivação que este homem, este policial vai ter? Deixando sua família em casa, não participando do carnaval, não se divertindo com seus pais, com seus filhos e trabalhar de escala extra, arriscar a sua vida e não receber. Eu fico preocupado com o carnaval que se aproxima, por que voluntários não teremos e o efetivo atual não tem como fazê-lo, e essa preocupação não é só pelo não recebimento do meu policial, mas pela sociedade que pode ter a sua segurança prejudicada”.

O deputado aproveitou a oportunidade para parabenizar o novo comandante da Polícia Militar, cel. Resende. "Espero que Deus o traga com muita força para lutar, espero que o secretário João Eloy, revolva esse problema que me preocupa por causa da sociedade sergipana, pelo carnaval que se aproxima que é uma festa grande, temos em Aracaju um grande evento que é o Rasgadinho, essa preocupação tem que ser de todos os parlamentares. O efetivo da corporação é pouco não tem condições de fazer o carnaval sem hora extra, o policial terá que cumprir a escala por que a legislação obriga ou senão fica preso. Mas nós temos que tomar uma atitude e uma atitude que garanta a segurança do povo sergipano e garantir que esta segurança melhore a cada dia".

O deputado estadual Mudinho (PSL), parabenizou, o capitão Samuel pelo tema de extrema importância para a sociedade. “A vossa excelência já começa trazendo um tema importante, preocupado com uma festa grande, uma festa que se bebe muito, tem muita gente exaltado e a questão de segurança pública hoje é importantíssima demais, principalmente para as cidades que têm o carnaval tradicional como é o caso de Neópolis, Pirambu, Itabaianinha e esse tema deixa realmente a gente preocupado”. O deputado Mudinho, enfatizou a preocupação do capitão Samuel com esse tema Segurança Pública tendo em vista a intermediação através do secretário João Eloy entre outras ações. Mudinho disse que gostaria de se associar ao pronunciamento do deputado capitão Samuel, pela iniciativa em tratar das questões de segurança pública e pelo momento oportuno que antecede o carnaval.

O deputado de oposição Augusto Bezerra (DEM), também parabenizou o pronunciamento do capitão Samuel e em seu nome saudou todos os militares que fizeram o ano passado uma das demostrações mais organizadas que o estado de Sergipe já viu. "Em toda história dos servidores sergipanos o Movimento Tolerância Zero é inesquecível, um movimento em prol de melhores salários e a PEC 300 que vossa excelência e os militares trazem como uma solicitação que vai engrandecer a tropa não só em Sergipe, mas em todo o Brasil. É uma luta muito justa. Conte com a nossa simpatia como sempre contou e tenho certeza que nesta casa, vossa excelência será uma voz atuante em nome de Sergipe e também em nome de todos os militares através de uma luta séria que trouxe o senhor até esta casa como representante desta categoria". Concluiu Augusto Bezerra.

Gratidão dos militares

O deputado capitão, encerrou seu discurso questionando o pronunciamento do governador Marcelo Déda num programa de rádio matinal em que ele disse que a família militar era ingrata. “A polícia não é ingrata, ela é grata a quem lutou do lado dela, ela foi grata a quem estava com ela nos momentos difíceis, e ela foi grata ao governador Marcelo Déda, por que nós votamos no governador, por que sabemos dos avanços que houveram, sabemos e reconhecemos. E sabemos das dificuldades que foram criadas. Nós sabemos do papel de cada parlamentar, por exemplo da deputada Ana Lúcia (PT), que teve um papel fundamental no dado momento, por que ela entendeu a situação que nós passávamos, ela compreendeu. Todos tiveram a participação. Samuel falou que nos últimos quatro anos do governo Marcelo Déda, praticamente dobrou os investimentos na área de Segurança Pública agora a aplicação tem que ser pensada. "E nesse ponto eu não culpo o governador". Enfatizou o deputado.

Samuel parabenizou os deputados que devolveram os cem policiais militares para a sociedade e viu como uma demonstração de amor ao povo sergipano e um exemplo a ser seguido, pois, cada um está fazendo a sua parte. O deputado lembrou que o governador acertou quando teve a iniciativa em relação ao Banco do Estado de Sergipe – BANESE - em devolver cento e quarenta policiais militares para a segurança ostensiva. "Precisamos somar esforços, por que vários governos já tentaram e não conseguiram, tenho certeza que todos os deputados querem contribuir para o avanço.

O deputado estadual capitão Samuel, concluiu seu discurso dizendo que irá contribuir com o conhecimento técnico que tem, com o diálogo que irá travar e debater muitas vezes com secretário de Segurança Pública, João Eloy, mas sempre baseado no respeito, e com todos os deputados da Assembleia Legislativa para que se possa avançar a cada dia esse tema.

Fonte: Assessoria Parlamentar ( Chris Brota)

Nenhum comentário: