sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

GUARDAS MUNICIPAIS PODEM DECRETAR GREVE.

Categoria afirma que ficou insatisfeita com a reunião com a mesa de negociação da prefeitura

“Todas as reivindicações levadas para a mesa de negociação foram negadas, só recebemos não”. Com essas palavras o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais (Sigma), Ney Lúcio, afirma que a reunião realizada na última quinta-feira, 10, com representantes da prefeitura para tratar de negociações com a categoria não foi favorável.

Ney Lúcio esclarece que as reivindicações referentes ao concurso e aumento salarial da categoria não foram atendidos. “Desde 2008 que pleiteamos uma séria de reivindicações, mas infelizmente isso vem sendo negado. Queremos concurso para a guarda porque temos um efetivo de apenas 170 guardas de carreira”, salienta Ney, que pediu um aumento de R$1800 de salário bruto. “Sabemos que a prefeitura tem dinheiro para investir nos guardas municipais, porque eles gastam milhões com empresas de segurança em eventos”, frisa Lúcio.

Insatisfeito o presidente do sindicato adianta que na próxima semana vai convocar uma assembléia geral, onde decidirá sobre o indicativo de greve. “Vamos levar todas as questões para a assembléia e podemos decidir pelo indicativo de greve, ou seja, vamos fazer todas as mobilizações que realizamos no ano passado. Acredito que esse é um desgaste que não é bom para ninguém, mas os guardas não estão sendo levados a sério”, diz.

Prefeitura

Em matéria publicada pela assessoria de comunicação da prefeitura, o secretário de finanças, Jeferson Passos, informa que a expectativa é que as decisões finais relativas ao reajuste linear possam ser apresentadas até o dia 22, com retroativa ao mês de janeiro para todos os servidores. Com relação ao concurso público, a informação do secretário já é da intenção da Prefeitura realizar o concurso até o final do semestre, a depender da demanda das instituições organizadoras.

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

Nenhum comentário: