sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

SÃO CRISTÓVÃO: ABANDONO DE DELEGACIA SERÁ INVESTIGADO.

A Corregedoria da Polícia Civil vai apurar caso de suposto abandono de delegacia na madrugada desta sexta-feira, 25

Apenas um policial estava na delegacia durante a madrugada (Fotos: Arquivo Portal Infonet)

Uma delegacia de portas abertas, mas sem policiamento, será investigada pela Corregedoria da Polícia Civil. A ocorrência foi registrada em São Cristovão, município distante 25 km da capital sergipana. De acordo com informações do delegado do município, Ronaldo Marinho, apenas um policial estava de plantão no local e precisou se ausentar para comer um lanche.

O corregedor Frederico Murici explicou que enviou uma equipe ao local para verificar se algum objeto foi subtraído, mas esclareceu que nenhum preso estava na delegacia no momento do fato. Frederico disse ainda que será feito um levantamento de todos os fatos.

O delegado Ronaldo Marinho fala sobre o esforço e empenho da equipe

O delegado Ronaldo Marinho ressaltou que falta estrutura para o pleno funcionamento da delegacia e afirmou que conta apenas com uma equipe de dois investigadores e apenas um escrivão para atender uma população de 40 mil habitantes. Marinho admitiu que quando alguém liga para a delegacia, a orientação é que retornem a ligação para o Centro de Operações em Segurança Pública (Ciosp), através do 190.

Para o delegado a pouca estrutura da delegacia impossibilita o atendimento eficaz a população. “A estrutura não é a ideal, mas temos feitos esforços para atender a população na medida do possível. Temos uma equipe pequena, mas muito comprometida com o trabalho. Na delegacia somos responsáveis por diversos crimes contra o patrimônio, várias investigações envolvendo homicídios e violência de transito, lesões corporais e até coisas mais simples como briga de vizinhos e todos esses procedimentos são feitos”, conta Ronaldo Marinho, que destaca ainda a distancia entre os povoados como uma das dificuldades para o policiamento ostensivo.

“Tenho certeza que não é por falta de vontade da Polícia Militar, mas a maioria dos crimes que são registrados como assaltos e roubos são por falta de policiamento ostensivo. O problema é que falta efetivo tanto na Polícia Militar quando na Polícia Civil”, analisa.

Em entrevista ao Portal Infonet na última quinta-feira, 24, a assessoria de comunicação da Secretaria da Segurança Pública (SSP) explicou que nos últimos três anos a secretaria investiu na reforma e construção de unidades policiais, sendo um investimento de R$ 5 milhões. A assessoria afirma que várias unidades já foram reformadas no interior do Estado e outras também serão construídas e reformadas.

O assessor da SSP, Lucas Rosário, enfatizou que a necessidade de um efetivo maior é clara. “Mesmo com essa necessidade, as prisões continuam sendo realizadas, mas o governador já anunciou o concurso, mas ainda não tem data marcada”, esclarece.

Fonte: Infonet (Kátia Susanna)

Nenhum comentário: