quarta-feira, 6 de abril de 2011

DEPUTADO CAPITÃO SAMUEL PREOCUPADO COM SITUAÇÃO VIVIDA NAS INSTITUIÇÕES MILITARES.

Foto: Maria Odília

O deputado estadual Capitão Samuel (PSL) fez pronunciamento durante o pequeno expediente da sessão de hoje, dia 6, para demonstrar preocupação com a situação que tem acontecido dentro das instituições militares do Estado. Ele disse que esse é um assunto que já há algum tempo vem tentando tratar com o comandante da Polícia Militar, mas como as discussões não têm evoluído decidiu trazer à Assembleia.

Segundo o parlamentar, as associações militares têm lutado para ter um tratamento diferenciado na corporação do ponto de vista do respeito à hierarquia e disciplina, num respeito mútuo, com subordinado respeitando o superior e superior respeitando o subordinado. “Respeito não pode apenas ser imposto por legislação fria, tem que ser baseado em leis, não pode ser feito da forma que vem sendo feito na instituição militar”, afirmou.

Capitão Samuel relatou que a situação da relação interpessoal na Polícia Militar e Bombeiro Militar está difícil. Ele revelou que o que vem acontecendo internamente é que a hierarquia e a disciplina estão sendo quebradas por quem comanda, quando coloca, por exemplo, tenente-coronel para comandar coronel. O deputado disse que já tratou dessa questão com o comandante da PM, coronel Aelson Resende, algumas vezes, mas a informação que tem é que isso tem acontecido por problemas políticos.

“Pelo que me consta, o governador disse que na Saúde e Segurança Pública a questão política não entrava, seria técnico. E infelizmente parece que o comandante não compreendeu a determinação do governador e está colocando pessoas com grau hierárquico inferior por questões políticas”, declarou.

Para o deputado Capitão Samuel, isso está acontecendo por falta da legislação própria da Polícia Militar. Ele disse que isso já foi motivo de indicações na Assembleia, é uma luta antiga da corporação, foi motivo de negociação há dois anos e ficou acordado que essa legislação seria enviada ao Poder Legislativo. “Infelizmente nenhum deputado pode apresentar legislação sobre servidores e dentro dessa legislação que está para vir para cá está o regulamento disciplinar próprio, a lei de organização básica da corporação”. Na opinião do parlamentar, se continuar do jeito como está sendo gerida a Polícia Militar, com a política interferindo na segurança pública, não vai chegar ao local que todos querem.

Fonte: Alese

Um comentário:

Anônimo disse...

só falta o gov nomear um st para ser cmt geral
e vcs oficiais são uma ruma de incompetentes,sabe porque só sabem punir soldados cabos e sargentos ao seu beu prazer,cel QOPM recebe ordens de cel QOCPM que nem concurso fez recebe ordem de tc,cap recebe ordem de ten,ten de st,só o cabo que não manda em ninguem se tentar mandar vai responder na justiça
estou cansado da policia e triste falto alguns anos para ir para casa esquecer que um dia fiz parte desta instituição falida.