domingo, 1 de maio de 2011

SEM SEGURANÇA NA PRAÇA DA IMPRENSA.

Segundo denúncias, o local virou ponto de encontro de usuários de drogas, que vão ao local até mesmo à luz do dia. Eles também reclamam da iluminação

Praça é ponto de encontro de usuários de drogas, segundo moradores (Fotos: Portal Infonet)


Moradores e comerciantes da região onde fica a Praça da Imprensa, no bairro 13 de Julho, área nobre da capital, sentem-se cada vez mais aflitos com a situação do local. Além da falta de manutenção e segurança, grupos de jovens estão tornando a praça ponto de consumo de drogas, segundo relatos de quem vive na região.

De acordo com uma moradora que preferiu não ser identificada, o uso dos entorpecentes ocorre até mesmo à luz do dia. “Eles não estão nem aí. O dia todo tem gente usando drogas aqui, principalmente estudantes. O cheiro incomoda muito. O pior é que não há nenhum policiamento por aqui, o que é preocupante”, critica a moradora.

Ela vive no local há 28 anos e diz que a praça está completamente abandonada. “Outro dia as lâmpadas apagaram e só vieram trocar por que ligamos algumas vezes. Meu primo veio outro dia aqui em casa e foi assaltado na porta. Não só ele, as lojas daqui também já sofreram com os bandidos”, relatou a moradora. Comerciantes de estabelecimentos vizinhos, por outro lado, não quiseram conceder entrevista.

Para ela, a solução seria a melhoria na iluminação e na manutenção do espaço. “A gente sempre liga para a prefeitura, mas ninguém faz nada”, destacou.

O estudante Leonardo Reis, que vive nas proximidades da Praça há dois anos, confirma as declarações da moradora citada acima. “Não passa um policial aqui e por isso o pessoal fica usando droga. A maioria são pessoas que moram por aqui mesmo. Já veio até a coordenadora de uma escola particular flagrar um estudante usando droga. Não há policiamento algum”, critica.

Reis disse, ainda, que a manutenção da praça é deficiente. “Só aparam a grama, jogam água e vão embora. A iluminação também precisa ser melhorada”, acrescenta. Ele diz, no entanto, que nunca foi assaltado e não acredita que haja esse risco. “Aqui tem muitos bares então é bem movimentado. O risco de assalto é maior nas ruas de trás, perto do [estádio] Batistão”, relata.

Contingente

O comandante do Policiamento da Capital, coronel Enilson Aragão, disse que uma viatura do Grupamento Tático de Moto (Getam) faz rondas diárias no local, incluindo, ainda, as clínicas do bairro São José e o bairro 13 de Julho. Ele esclareceu que a segurança do local é de competência da Guarda Municipal.

O soldado Jorge Lima, da Guarda Municipal de Aracaju, responsável pela fiscalização operacional, disse que a instituição não tem efetivo suficiente e que, por isto, algumas áreas ficam descobertas. “Não temos efetivo para tudo. Há uma limitação para a demanda que existe. A Guarda Municipal conta com pouco mais de 270 servidores para atender a toda a estrutura organizacional da Prefeitura: escolas, prédios e postos de saúde. Algumas praças, então, ficam descobertas”, explicou.

Lima ressaltou, por outro lado, que a Guarda nunca recebeu denúncias dos moradores. Ele disse que não há previsão de concurso.

A Empresa Municipal de Serviços urbanos (Emsurb) disse que enviará ao local uma equipe técnica para verificar a necessidade de algum reforço no serviço de limpeza.

Fonte: Infonet (Diógenes de Souza)

Nenhum comentário: